REALIDADE DO CARTÃO DE VACINA DE ALUNOS DE CURSOS DA SAÚDE: UMA AÇÃO PREVENTIVA

Gean Léri de Souza, Roberta Mendes Von Randow, Juliana Santiago da Silva

Resumo


Os profissionais da área de saúde estão expostos a vários tipos de riscos relacionados ao seu trabalho, sendo o de maior impacto o risco biológico, devido ao contato direto com pacientes e/ ou material contaminado (WICKER et al., 2007). O risco ocupacional biológico está presente ao se manusear, de forma direta ou indireta, material orgânico de pacientes portadores de diversas patologias (WURTZ, 1994), com potencial exposição a diferentes agentes, como vírus, bactérias, fungos, protozoários e ectoparasitas.
este estudo objetiva avaliar a situação vacinal dos estudantes do terceiro período dos cursos de Enfermagem e Medicina da FACIG (Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu), de maneira a identificar os estudantes que ainda não foram vacinados e determinar as vacinas, segundo o calendário básico de vacinação do Programa Nacional de Imunização, que ainda faltam para a imunização preventiva dos estudantes.

Texto completo:

PDF

Referências


BAER,G; BONHOEFFER, J; SCHAAD,UB; HEININGER,U. Protection against vaccine-preventable diseases in medical students. Pediatr Infect Dis J. 2003;22(4):373–4.

BAER,G; BONHOEFFER, J; SCHAAD,UB; HEININGER,U. Seroprevalence and immunization history of selected vaccine preventable diseases in medical students. Vaccine2005;23(16):2016-20.

BLÁZQUEZ, R. M. Occupational exposures to blood-borne pathogens in health care workers. Enferm Infecc Microbiol Clin, v. 19, n. 4, p. 156-60, 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria N°1602, de 17 de Julho de 2006. Institui em todo o território nacional, os calendários de Vacinação da Criança, do Adolescente, do Adulto e do Idoso. [online]. [acesso em 6 abr. 2008]. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/ Port2006/GM/GM-1602.htm.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação. 4. ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2001. [online]. [acesso em 14 de Dezembro. 2017]. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manu_proced_vac.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria N°597, de 8 de Abri de 2004. Institui, em todo território nacional, os calendários de vacinação. [online]. [acesso em 3 maio. 2017]. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/ Port2004/GM/GM-597.htm.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria N°597, de 8 de Abril de 2004. Institui, em todo território nacional, os calendários de vacinação. [online]. [acesso em 6 abr. 2008]. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/ Port2004/GM/GM-597.htm.

Brasil. Ministério da Saúde . Portaria Nº 1.602, de 17 de julho de 2006. Institui em todo o território nacional, os calendários de Vacinação da Criança, do Adolescente, do Adulto e do Idoso. [online]. [acesso em 21 de outubro de 2017]. Disponível em http://www.saude.mt.gov.br/upload/legislacao/1602-%5B2822-120110-SES-MT%5D.pdf

BUENO, M; MATIJASEVICH. Avaliação da cobertura vacinal contra hepatite B nos menores de 20 anos em municípios do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 20(3):345-354, jul-set 2011.

CISZ, R. Conscientização do uso de EPIs, quanto à segurança pessoal e coletiva. Curitiba, 2015.

CHEHUEN, N; TOLEDO, S; GONÇALVES, L; CUNHA, G; ALMEIDA, D; BITTENCOURT, C; ALMEIDA, A; SituaçãoVacinal dos Discentes da Faculdade de Medicina da UFJF–MG Undergraduates’ Immunization Status atthe UFJF Medical School. RevistaBrasileira de Educação. 270 34 (2) : 270–277; 2010.

GIR , E; CAFFER, J; ELAINE, S; SILVA, S R; HAYASHIDA, M; ARTIOLI, A. Accidents ith biological material and immunization against hepatitis B among students from the health area. Revista Latino Americana de Enfermagem. 200; 16(3): 4001-6.

MENDES, R. Patologia do trabalho. São Paulo: Atheneu, 2003.

SANTOS, SLV; SOUZA, ACS; TIPPLE, AFV; SOUZA, AFV; SOUZA, JT. O papel das Instituições de Ensino Superior na prevenção de doenças imunopreveníveis. Rev. Eletrônica Enferm. [periódico na Internet]. 2006 [acesso em 6 abr. 2008];8(1):91-8. Disponível em http://www.fen.ufg.br/revista/revista8_1/original_ 12.htm.

SCHMID, K; WALLASCHOFSKI, H; CREXLER, H. Student health policy of a German medical school--results of a cross sectional study concerning students’ immunity to vaccine-preventable diseases. Int J HygEnviron Health. 2004; 207(6):595-600.

WICKER,S; RABENAU, HF; GOTTSCHALK, R; DOERR HW; ALLWINN R. Seroprevalence of vaccine preventable and blood transmissible viral infections (measles, mumps, rubella, polio, HBV, HCV and HIV) in medical students. Med Microbiol Immunol. 2007;196(3):145-50.

WURTZ, R; DOLAN, M; O’NEAL, B; AZARCON, E; Infection control instruction and screening for students. Am J InfectControl. 1994;22(5):322-4.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.