FATORES AMBIENTAIS E COMPORTAMENTAIS DO HOMEM RELACIONADOS À INCIDÊNCIA DE CASOS DE LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NA ÀREA DE SÃO JOSÉ DO MERITI, IBATIBA-ES

Hellen Daianny de Freitas Serpa, Cyntia Dias Donato, Maria Rosa Pim Moreno, Raissa Brenda Moura Melo, Jussara Dias Marçal, Juliana Santiago da Silva

Resumo


A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença infecciosa
crônica,transmitida pela picada de vetores como o mosquito flebotomíneo fêmea do gênero Lutzomyia. É causada por protozoários do gênero Leishmania, tendo como reservatório espécies de animais que garantam a circulação da doença nos vários meios, como por exemplo, ratos e gambás (silvestres) e cães e gatos (domésticos). A interferência humana como processos de dispersão populacional, grande aumento no número de ocupações de encostas no espaço rural e periurbano, também por meio de exploração desalinhada de florestas e derrubada de matas, são fatores relativosà transmissão da doença, segundo NEVES et al (2011). o objetivo desse trabalho é analisar os fatores que podem estar relacionados ao aparecimento de casos de Leishmaniose Tegumentar na área rural
de São José do Meriti, pertencente à Ibatiba – ES.

Texto completo:

PDF

Referências


JUNIOR, B, P. Geoiae ecologia da Leishmaniose Tegumentar no Estado do

Espírito Santo.Rio de Janeiro s.n 2000 68p. Disponível em:

https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/4939/2/173.pdf. Acesso em: 02 Mai. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diagnóstico Clínico. In:__. Manual de Vigilância da Leishmaniose Tegumentar. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde 2017. Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_vigilancia_leishmaniose_tegu mentar.pdf. Acesso em: 30 abr. 2018.

COSTA, J. M. L. Epidemiologia das Leishmanioses no Brasil. Gazeta Médica da Bahia, v. 75, n.1, p.3-17, 2005. Disponível em:https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/9808. Acesso em: 02 Mai. 2018.

MUNIZ, L. H. G. et al. Estudo dos hábitos alimentares de flebotomíneo em área rural no sul do Brasil. Revista Saúde Pública 2006;40(6):1087-93. Disponível em:https://www.scielosp.org/pdf/rsp/2006.v40n6/1087-1093/pt. 02 Mai. 2018

NEVES et al. Estudo clínico randomizado comparando antimoniato de

meglumina, pentamidina e anfotericina B para o tratamento da leishmaniose cutânea ocasionada por Leishmaniaguyanensis. In: ANAIS BRASILEIROS DE DERMATOLOGIA.2011, Manaus. Anais eletrônicos... Manaus 2011.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v86n6/v86n6a05.pdf. Acesso em: 30 abr. 2018.

OLIVEIRA et al. Leishmaniose tegumentar americana no município de Jussara, estado do Paraná, Brasil: série histórica de 21 anos.Revista de Saúde Pública do Paraná, Londrina, v.17, n.2, p. 59-65, dez. 2016. Disponível em:

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/espacoparasaude/article/view/25728/4. Acesso em: 01 Mai. 2018.

SILVA, F. O. L. Leishmaniose Tegumentar Americana em Governador Valadares (Minas Gerais, Brasil): estudo de reservatórios e vetores. 2011. Dissertação (Mestranda em Ciências na área de concentração de Doenças Infecciosas e Parasitárias) - Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas René Rachou,

BeloHorizonte. Disponível em:http://www.cpqrr.fiocruz.br/texto-completo/D_59.pdf. Acesso em: 02 Mai. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.