O USO PRECOCE DE BEBIDAS ALCOOLICAS E SEUS REFLEXOS NA VIDA DOS ADOLESCENTES

Míriam Ferreira Guedes, Márcia Helena Carvalho

Resumo


O álcool é a droga psicoativa mais comum entre os adolescentes na contemporaneidade, e diversos fatores estão relacionados e contribuem fortemente para o consumo precoce dessa substância por esse público. Neste artigo, por meio de uma pesquisa biográfica, foram analisados os aspectos que contribuem para o acesso dos adolescentes de maneira precoce à bebidas alcoólicas, sendo identificados a influência familiar, quando existe na família alguém que é dependente químico e a necessidade de afirmação frente ao grupo de amigos como os mais comuns. Dentre as principais conseqüências identificadas encontra-se a dependência do álcool, também conhecida como alcoolismo, e o comprometimento neuropsíquico, tendo em vista que o adolescente encontra-se em uma fase peculiar de formação biológica. Outro aspecto degenerador pelo uso freqüente do álcool são as relações sociais, pois a dependência de drogas lícitas ou ilícitas tem sido uma dos principais fatores de ruptura de vínculos familiares e comunitários, na atualidade. Conclui-se que, embora o álcool seja proibido para crianças e adolescentes, existe uma facilidade muito grande deste público infanto-juvenil acessar a ele devido ao fato de ser uma droga lícita e barata, comumente presente em festas e comemorações. Nesse sentido, acredita-se que somente através de políticas públicas voltadas para a juventude, com campanhas de conscientização dos efeitos nocivos do álcool é possível diminuir a utilização desta droga pelos adolescentes.

Texto completo:

PDF

Referências


ALGRANTI, Leila Mezan. Aguardente de cana e outras aguardentes: por uma história da produção e do consumo de licores na América Portuguesa. In VENÂNCIO, R.P. &

BARBOSA, JLA. Alimento, bebida e droga: uma abordagem histórica sobre a imagem e o uso da cachaça . In: Engenho de cana-de-açúcar na Paraíba: por uma sociologia da cachaça [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2014. Substractum collection, pp. 29-81. ISBN 978-85-7879-330-2. Available from SciELO Books .

BERTONI, Luci Mara.“Se beber não dirija”: representações sociais de universitários sobre propagandas televisas de cerveja. Tese (Doutorado em Educação Escolar) 2007,p.107 Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara.

BÍBLIA. Português. 1996. A Bíblia : antigo testamento e novo testamento. Tradução ecumênica. São Paulo: Loyola, 1996. BRASIL. Leis e Decretos. Lei nº 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da criança e do Adolescente e da outra providencia. Brasília. Congresso Nacional. 1990. BRASIL. Presidência da República. Secretaria Nacional Antidrogas. Drogas: cartilha álcool e jovens. Secretaria Nacional Antidrogas. Brasília: Presidência da República, Secretaria Nacional Antidrogas, 2007;

BRASIL. Lei Federal n.8069, 13 de julho de 1990. Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente. BÜCHELE, Fátima. CRUZ, DéborahDomiceli de Oliveira. Aspectos socioculturais do uso de álcool e outras drogas e exemplos de projetos de prevenção. Capacitação para Conselheiros e Lideranças Comunitárias. 4. ed. Brasília Ministério da Justiça; CARNEIRO, H., Álcool e drogas na história do Brasil. Belo Horizonte: Ed. PUCMinas, 2005. pg. 71-92; CISA - Centro de Informação de Saúde e Álcool. 2017. Uso de bebidasalcoólicas por menores de idade: Um grande desafio para a saúde pública, Disponível em: Acesso em:29nov. 2017; DIAS, Laercio Fidelis. Usos de abusos de bebidas alcoólicas segundo os povos indígenas do Uaçá, In LABATE, B. et al, Drogas e Cultura: novas perspectivas. Salvador: Ed. EDUFBA, 2008. pg.199-217., 2008;

LAPATE, Vagner. Hora Zero: a independência das drogas –antes que os problemas cheguem. São Paulo: Scortecci, 2001. LARANJEIRA, R.; PINSKY ,I.; ZALESKI, M.; CAETANO, R. I Levantamento nacional sobre os padrões de consumo de álcool na população brasileira. Brasília: Secretaria Nacional Antidrogas, 2007. LARANJEIRA, Ronaldo Ramos. Alcoolismo na Adolescência. 2012. Disponível em. Acesso em: 29 novembro 2017;

MILAN, James R.; KETCHAM, Katherine. Alcoolismo: mitos e realidade. São Paulo: Nobel, 1986.

SALES. Eliane. Aspectos da História do Álcool e do Alcoolismo no Século XIX. Revista Caderno de História da Universidade Federal do Pernambuco. Ano VII No 7. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/cadernosdehistoriaufpe/article/viewFile/110065/21988. Consultado em 02/04/2017, as 08:00.

SENAD - Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, 2011. CEBRID, Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas. Universidade Federal de São Paulo. Depto. de Medicina Preventiva. São Paulo – SP. 2006. Disponível em: Acesso em: 07 janeiro. 2018. SOUZA, L. V. S. Características do perfil sócio-epidemiológico e do processo de trabalho, relacionadas ao consumo de álcool: um estudo em policiais militares do batalhão de radiopatrulha de Pernambuco. 2004. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2004.

STANDAGE, Tom. História do mundo em 6 copos. trad. Antônio Braga. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.