EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA MARCA

Anandy Kassis de Faria Alvim Hannas

Resumo


Apresenta-se, neste artigo, a evolução histórica das marcas. A evolução da marca pode ser definida em quatro etapas: (1) associação do nome do proprietário ao nome do estabelecimento ou atividade econômica; (2) associação de algum topônimo ao estabelecimento; (3) nome do produto associado aos processos produtivos ou à forma de sociedade e de associação e; (4) utilização do nome baseado em recursos mercadológicos para sua definição. Não há uma data específica para determinar cada etapa. Elas ainda podem coexistir, conforme o tamanho da cidade, os ramos de atividade e, principalmente, da interação com o consumidor. Ressalta-se que a marca é essencial para o marketing bem sucedido de diversas empresas. A resposta do seu nome na mente do consumidor agiliza o processo de venda e consolida participações de mercado. Ela é um conjunto de percepções, sensações e sinergia que possibilitam a identidade das empresas. Ao agregar valor ao produto, a marca gera vantagens e desvantagens que são fundamentais para uma boa gestão estratégica. O conhecimento das melhores formas dc aplicação possibilita aniagem competitiva para empresas que lutam para alcançar posições de mercado representativas. O desenvolvimento de produtos com marca requer estbrços na compreensão do mix der arketing. A sua utilização implica em custos altos e diversos adicionais. Em alguns casos é melhor deixar a 'marca ser trabalhada por urna outra empresa.


Texto completo:

PDF

Referências


AAKER, DavidA. Criando e administrando marcas de sucesso. São Paulo: Futura, 1996

BIONDO, Graziela; CARAJAVILLE, Andréa. A arquitetura da marca. HSM Management. São Paulo, ano3, n.13, p.112-116, mar/abr 1999

BLECHER, Nelson. A força dos mitos: verdades e mentiras do mundo das marcas globalizadas. Exame. São Paulo. Ed. 785, ano 37, ano 4,12 de fevereiro de 2003. p. 13-14.

FOX, Kenneth A. Brand management: brand neming challenges in the new millenniurn. The Journal of Business Strategy. Boston, nov/dec 2002.

KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 7. Ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1999, 527p.

MOREIN, Joseph A. Troque o marketing dc marca pelo marketing de linhas de produtos. In: Biblioteca Harvard de Administração de Empresas: série temática. Editora Abril, p..107-114

OURUSSOF, Alexandra; PANCHAPAKESAN, Meenakshi . Quem disse que as marcas estão mortas? Traduzido por: Marcello Queiroz. Propaganda. São Paulo, ano 38, n. 487, p. 14-20, set. 1993

PÍNEO, J. B. O poder das marcas. São Paulo: Summus Editorial, 1996

QUELCH, John A.; HARDING, David. Marcas do fabricante versus marcas próprias: lutando para vencer. In: Administração de marcas: Harvard Business Review. Rio de Janeiro: Campus, 2000. p. 29-56

RIES, AI; RIES, Laura. As leis da marca: saiba como construir um nome forte na mente do consumidor. HSM Management. São Paulo, ano 2, n. 12, p. 20-24, jan/fev 1999

RUSSO, Elio P.. O poder das marcas (ou a marca do poder). Mercado Global. São Paulo, ano 24, n.102, p.24-33, 2' trimestre/1997

SEMENIK, Richard J.; BAMOSSY, Gary J. Princípios de marketing: uma perspectiva global. São Paulo: Makron Books, 1996

SOUZA, Marcos G., Nemer, Artur. Marca & distribuição: desenvolvendo dominação estratégica e vantagem competitiva no mundo global. São Paulo: Makron Books, 1993.

TAVARES, Mauro Calixta. A força da marca: como construir e manter marcas fortes. São Paulo: Habra, 1998, 220p.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2005v1i1.1045

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Anandy Kassis de Faria Alvim Hannas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.