ÍNDICE DE PARASITOSES INTESTINAIS NAS ZONAS URBANA E RURAL DO MUNICÍPIO DE CAPUTIRA - ESTADO DE MINAS GERAIS

Estéfane Souza Lopes Oliveira, Juliana Santiago da Silva

Resumo


No Brasil, as doenças parasitárias figuram entre os principais problemas de saúde pública. No entanto, a investigação parasitológica tem sido amplamente negligenciada no país. O presente estudo teve como objetivo verificar o índice de parasitoses intestinais nas zonas rural e urbana do município de Caputira, localizado na Zona da Mata Mineira, comparando o índice de parasitose e observando o parasito de maior incidência na população urbana e rural, através de exames parasitológicos de fezes (HPJ). Dos examinados, 96,7% estavam parasitados, sendo que Ascaris lumbricoides, Schistosoma mansoni, Giardia lamblia e Entamoeba histolytica foram os parasitas mais frequentes, com prevalências de 93.4%, 50.0%, 33.4% e 33.4%, respectivamente. Foi observado que os helmintos foram mais frequentes na zona rural, enquanto a prevalência dos protozoários E. histolytica e G. lamblia foi maior na zona urbana. Observou-se uma diferença significativa na prevalência dos parasitas E. histolytica, G. lamblia e A. lumbricoides que têm seus mecanismos de transmissão vinculada a água na população urbana. A hipótese para tentar explicar essa questão pode estar relacionada à qualidade da água utilizada pela população urbana. 


Texto completo:

PDF

Referências


BASSO, Rita Maria Callegari et al. Evolution of the prevalence of intestinal parasitosis among schoolchildren in Caxias do Sul, RS. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 41, n. 3, p. 62-66, 2008.

BRASIL, Guia de vigilância Epidemiológica. 6ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em:

BENCKE, A. et al. Enteroparasitoses em Escolares Residentes na Periferia de Porto Alegre, RS, Brasil. Vol. 35 (1): 31-36. Jan-abr. 2006.

FAULKNER, C. T. et al. Prevalence of endoparasitic infection in children and its relation with cholera prevention efforts in Mexico. Revista Panam. Salud Publica, v.14, n. 01, p.31-41, 2003.

FERRARONI, M. J. R. et al. Prevalência de enteropatias na cidade de Manaus. J Pediatr 67: 24-28, 1991.

FERREIRA, G. R, ANDRADE, C. F. S. Alguns aspectos socioeconômicos relacionados a parasitoses intestinais e avaliação de uma intervenção educativa em escolares de Estiva Gerbi, São Paulo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 2005.

FERREIRA, J. R; VOLPATO, F; CARRICONDO, F. M; MARTINICHEN, J. C; LENARTOVICZ, V; Diagnóstico e prevenção de parasitoses no reassentamento São Francisco, em Cascavel – PR. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v.36 p. 145-146, 2004.

GURGEL, R.Q., SILVA, A.M., OLIVEIRA, R.C.V. Creche: ambiente expositor ou protetor nas infecções por parasitas intestinais em Aracaju, SE. Revista Brasileira de Medicina Tropical, v.38, p.267-269, 2005.

HOFFMAN, WA, Pons JA, Janer JL. The sedimentation concentration method in schistosomiasis mansoni. Puerto Rico J Publ Health Trop Med;9:283-298. 1934.

IBGE. Instituto brasileiro de geografia e estatística. No- 6, de 3 de novembro de 2010. Disponível em:

INNOCENTE, M.; OLIVEIRA, L. A.; GEHRKE, C. Surto de ascaridíase intradomi-ciliar em região central urbana, Jacareí, SP, Brasil, junho de 2008. Revista Bepa, Jacareí, São Paulo, v.62, n.6, 2008.

LAURENCE, J. Biologia: ensino médio. 1ª ed. São Paulo. Nova geração. p.55-59, 2005.

LUDWIG, Karin Maria et al. Correlação entre condições de saneamento básico e parasitoses intestinais na população de Assis, Estado de São Paulo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. Uberaba, v.32, n.5, 1999.

MACEDO, H. S. Prevalência de Parasitos e Comensais Intestinais em Crianças de Escolas da Rede Pública Municipal de Paracatu (MG). RBAC, vol. 37(4): 209-213, 2005.

MENDOZA. D., et al. Parasitosis intestinales en 4 circulos infantiles de San Miguel del Padrón, Ciudade de La Habana. Rev. Cubana, 1998. Med. trop.; 53 (3):189-93. 2001.

MYLIUS, L. C. SOPELSA, A. M. I. PONTE, C. I. R. V, SILVA, K. V. SPALDING, S. M. RAFFIN, R. P. Perfil parasitológico de crianças de vilas periféricas de Porto Alegre, RS. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. p. 29-31, 2003.

NEVES, D. P. et al. Parasitologia Humana. 11. Ed. SP: Atheneu, 2008.

OGLIARI, T. C, C, PASSOS. J. T. Enteroparasitoses em estudantes de quintas séries do Colégio Estadual de Terra 21. Boa, Campina Grande do Sul, Paraná. Acta Biológica Paranaense 31: 65-70, 2002.

PUPULIN, A. R. T; GUILHERME, A. L. F; ARAÚJO, S. M. et al. Envolvimento de acadêmicos em programas integrado visando a melhoria nas condições de vida de comunidades. Acta Scientiarum, v.23, n.3, p. 725-729, 2001.

REY, L. Parasitologia. 3. ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

REY, L. Bases da Parasitologia Médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002, 2ª ed.

REY, L. Parasitologia. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S. A., 2008.

ROCHA, R. S. et al. Avaliação da esquistossomose e de outras parasitoses intestinais, em escolares do município de Bambuí, Minas Gerais, Brasil. Rev.Soc. Bras. Med. Trop., v. 33, n. 05, p.431-436, 2000.

ROUCOURT S, SANTOS ADS, CHIEFFI PP, FARIA JUNIOR D, BALIEIRO FO. Diagnóstico e tratamento das parasitoses intestinais na gestação. GO Atual 1999; 9 (2): 23-9.

SANTOS, Paçó JM, Isac E, Alves EL, Vieira MA. Prevalência estimada de parasitos intestinais em escolares de creches e estabelecimentos de ensino em Goiânia-Goiás. Revista de Patologia Tropical, 19:35-42, 1990.

SANTOS, M.E.S.; THAIA, O.; BRUNA, P.V.F.; CARMELINO, E.G.J., JOZIANA, M.P.B. Ocorrência de enteroparasitos em crianças atendidas no programa de saúde da família de uma área de abrangência do município de Vespasiano, Minas Gerais, Brasil. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, v.8, n. 1, 2006.

SILVA JUNIOR, César. SASSON, Sezar. SANCHES, Paulo Sérgio Bedaque. Ciências: estendendo a natureza. Os seres vivos no ambiente. 16ª ed. São Paulo: Saraiva, 1999.

TAVIRA, L. T. Departamento de microbiologia e parasitologia. FCML UEI de Clínica Doenças Tropicais. Medicina Tropical. P. 1337-142, 1991.

WHO (World Health Organization), 2011. Intestinal Parasites. Infectious disease home. Burdens and trends. Disponível em: http://www.who.int/health-topics/helminthiasis/en - Acesso em 29 de Setembro de 2011.

ZAIDEN, G.A. RODRIGUES, A.S.L., LUCAS, A.S., CUNHA FILHO, N.A., FELIPE, G., FARIAS, N.A.R. Endoparasitos de cães urbanos e rurais do sul do RS. Laboratório e parasitologia da Universidade Federal de Pelotas, 4p., 2008.www.ufpl.com.br. Acesso em 16/02/2012.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2016v14i2.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Juliana Santiago da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.