ALFABETIZAÇÃO MIDIÁTICA EM PERSPECTIVA MULTIDISCIPLINAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA FORMAÇÃO CIDADÃ: UM OLHAR SOBRE AS PANDEMIAS DO CONSUMO INFANTIL E DA COVID-19

Diego Henrique Damasceno Coelho, Camila Braga Correa, Flavio Almeida Ribeiro, Andreia Almeida Mendes, Humberto Vinício Altino Filho

Resumo


A expansão dos meios de comunicação, a ubiquidade promovida pela conectividade em dispositivos tecnológicos e o acesso à informação, por via das mídias, representam novas formas de linguagem e de expressão no século XXI. Deste modo, a alfabetização midiática desponta como área da pedagogia e da didática capaz de habilitar os indivíduos para lidar com a mídia com confiança, autodeterminação, criatividade e criticidade, transpondo a mera operação de dispositivos, mas podendo ser aprendida da mesma maneira que as técnicas culturais clássicas de leitura, escrita e aritmética, tendo por objetivo final a educação para a mídia, a qual já pode ser iniciada como parte da educação nos primeiros estágios escolares e que per se, uma modalidade pluripotente e capaz de colaborar com a educação à distância, sobretudo em contextos disruptivos ao modelo tradicional educativo, tal como durante a pandemia do COVID-19. Assim, a presente pesquisa foi preparada e desenvolvida, utilizando o método quantitativo, com o escopo de aprofundamento a respeito da aprendizagem midiática, traçando a historiografia da mesma, apresentando os seus conceitos fundamentais e observando as experiências em perspectiva comparada, quando produzidas em outros países, bem como demonstrando a sua usabilidade como possível mecanismo integrante do processo de alfabetização de crianças, na grade curricular brasileira, face à necessidade de promover a Educação através de abordagens mais contextualizadas ao meio digital, como forma de promoção da autonomia cidadã de aprendizagem com a utilização de ferramentas eletrônicas e Tecnologias da Informação e da Comunicação.


Texto completo:

PDF

Referências


AN, Soontae. JIN, Hyun Seung; PARK, Eun Hae. Children's Advertising Literacy for Advergames: Perception of the Game as Advertising. Journal of Advertising. Nova York, Routledge, 2014.

BRASIL. Código Civil, Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002. 1a edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, Câmara dos Deputados, Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. DOU de 16/07/1990 – ECA. Brasília, DF.

BRASIL. Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do Consumidor. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. Brasília. 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Súmula – STJ. REsp 586.316/MG. Rel. Ministro Herman Benjamin, Segunda Turma, julgado em 17 abr. 2007, DJe 19 mar. 2009.

BOSTROM, Nick. Superintelligence: Paths, Dangers, Strategies. Oxford, RU: Oxford University Press, 2014.328 p.

BOURDIEU, Pierre. Sistemas de ensino e sistemas de pensamento. In: MICELLI, S. (Org.). A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1992, p. 203-229.

BOURDIEU, Pierre. Escritos de educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

BUCKINGHAM, David. As crianças e a mídia: uma abordagem sob a ótica dos Estudos Culturais. Matrizes, v. l5, n. 2, pp. 93-121. Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil, 2002. Publicado originalmente em Handbook of Children, Media and Culture, de Kirsten Drotner e Sonia Livingstone (eds.) Londres: Sage, 2008.

BURN, Andrew. DURRAN, James Media Literacy in Schools. London: Sage Publisher, 2007.

CENTER FOR MEDIA LITERACY – CML. The Voices of Media Literacy - Interviews of Neil Andersen (Canada); Cary Bazalgette (UK); David Buckingham (UK); Marilyn Cohen (U.S.); David Considine (U.S. by way of Australia); Barry Duncan (Canada); Lesley Farmer (U.S.); Jean Pierre Golay (U.S. by way of Switzerland); Renee Hobbs (U.S.); Douglas Kellner (U.S.); Robert Kubey (U.S.); Len Masterman (UK); Barrie McMahon (Australia); Kate Moody (U.S.); Renee Cherow-O’Leary (U.S.); James Potter (U.S.); Robyn Quin (Australia); Marieli Rowe (U.S. by way of Switzerland); Dorothy G. Singer (U.S.); Victor Strasburger, MD (US); Elizabeth Thoman (U.S.); Kathleen Tyner (U.S.); Chris Worsnop (Canada), 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2018.

CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO – CETIC. Tic Kids Online Brasil – 2017. Versão online. Disponível em:< https://cetic.br/pesquisa/kids-online/>. Acesso em: 15 nov. 2018.

CONAR. Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária. São Paulo. 1980. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2018.

CORRÊA, Luciana. Children and Internet use: A comparative analysis of Brazil and seven European countries. ESPM Publicação online: Media LAB, 2016. Disponível em: . Data de acesso: 15 nov. 2018.

ENZENSBERGER, Hans Magnus. Elementos para uma Teoria dos Meios de Comunicação. São Paulo: Conrad, 2003.

EUROPEAN AUDIOVISUAL OBSERVATORY - EAO. Mapping of media literacy practices and actions in EU-28. Strasbourg: European Audiovisual Observatory, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 dez. 2018.

GAPSKI, Harald. Medienkompetenz. Eine Bestandsaufnahme und Vorüberlegungen zu einem systemtheoretischen Rahmenkonzept. Wiesbaden: Springer Verlag, 2001.

GUNTER, Barrie. Kids and branding in a digital world. Manchester: Manchester University Press, 2015.

HABERMAS, Jürgen. Dialética e Hermenêutica – para a crítica da hermenêutica de Gadamer. Porto Alegre: L&PM, 1987.

___________. Teoria de la acción comunicativa I - Racionalidad de la acción y

racionalización social. Madri: Taurus, 1987.

__________. Teoria de la acción comunicativa II – Crítica de la razón funcionalista. Madri: Taurus, 1987.

HOFFMANN, Bernward. Medienpädagogik. Eine Einführung in die Theorie und Praxis. Paderborn: Ferdinand Schöningh, 2003.

HOLZ, Jo (2017). Kids' TV Grows Up: The Path from Howdy Doody to SpongeBob. Jefferson: McFarland, 2017.

HÜBNER, Edwin: Medien und Pädagogik. Gesichtspunkte zum Verständnis der Medien, Grundlagen einer anthroposophisch- anthropologischen Medienpädagogik. Stuttgart: Pädagogische Forschungsstelle beim Bund der Freien Waldorfschulen Verlag, 2015.

KOTLER, Philip. KARTAJAYA, Hermawan. SETIAWAN, Iwan. Marketing 4.0: Moving from Traditional to Digital. Hoboken, Wiley Editors, 2017.

KUNKEL, Dale. WILCOX; Brian. PALMER, Edward Palmer. CANTOR, Joanne. DOWRICK, Peter. LINN, Susan Linn. Report of the APA Task Force on Advertising and Children. Washington: The American Psychological Association, 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2018.

LORENZETTI, Ricardo Luis. Comércio eletrônico. Trad. de Fabiano Menke. São Paulo: Ed. RT, 2004.

MARQUES, Claudia Lima. A nova crise do contrato: estudos sobre a nova teoria contratual. São Paulo: Ed. RT, 2007.

MCNEAL, James U. Kids as Customers: A Handbook of Marketing to Children. Nova York: Lexington Books, 1992.

NASCIMENTO, I. P. As representações sociais do projeto de vida dos adolescentes: um estudo psicossocial. 380 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo (2002).

NICHOLLS, Alexander James Nicholls. CULLEN, Peter. The child–parent purchase relationship: 'pester power', human rights and retail ethics. Amsterdam: Journal of Retailing and Consumer Services – Elsevier, 2004. p 75–86.

OLSON, Erik L. THJØMØE, Hans Mathias. The relative performance of TV sponsorship versus television spot advertising. Bingley: European Journal of Marketing, 2012. p. 1726–1742.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A Cultura - UNESCO. Early childhood care and education. Disponível em: . Acesso em 20 nov. 2018.

POTTER, James W. Introduction to Media Literacy. Londres: Sage Publisher, 2016. 296 p.

POTTER, James W. Theory of Media Literacy: A Cognitive Approach. Londres: Sage Publisher, 2004.

PUGH, Allison J. Longing and Belonging: Parents, Children and Consumer Culture. Berkeley: University of California Press, 2009.

REIHER, Robert H. ACUFF, Daniel. What Kids Buy: The Psychology of Marketing to Kids. Nova Iorque: Free Press, 2008. 218 p.

SAMMOND, Nicholas. Babes in Tomorrowland: Walt Disney and the Making of the American Child, 1930–1960. Durham, NC: Duke University Press, 2005.

SCHOR, Juliet B. Born to Buy: The Commercialized Child and the New Consumer Culture. New York: Scribner, 2004.

SERVIÇO DE PROTEÇÃO AO CRÉDITO – SPC BRASIL. Consumo Infantil. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

SOZIO, Maria Eugenia. PONTE, Cristina. SAMPAIO, Inês Vitorino. SENNE, Fabio. OLÁFSSON, Kjartan. ALVES, Suzana Jaíze. GARROUX, Camila. Children and Internet use: A comparative analysis of Brazil and seven European countries. Genebra: EU Kids Online, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2018.

TURNER, Graeme. The Media and Communications in Australia. 3 ed. Crows Nest: Allen & Unwin, 2010.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION – UNESCO. Global Media and Information Literacy (MIL) Assessment Framework: Conutry Readiness and Competencies. Paris:UNESCO, 2013. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2018.

VALKENBURG, Patti M.; CANTOR, Joanne. The development of a child into a consumer. Amsterdam: Journal of Applied Developmental Psychology – Elsevier, 2001.

VOLLBRECHT, Ralph. Einführung in die Medienpädagogik. Weinheim: Beltz Verlag, 2001.

WALLIS, Richard; BUCKINGHAM, David (2013-10-01). Arming the citizenconsumer: The invention of ‘media literacy’ within UK communications policy. Londres: Revista Europeia de Comunicação, v. 28, p. 527-540, 2013. Disponível em:. Acesso em: 28 dez. 2018.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2020v18i5.1934

DOI (PDF): https://doi.org/10.21576/pa.v18i5.1934.g1676

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Camila Braga Correa, Diego Henrique Damasceno Coelho, Flavio Almeida Ribeiro, Andreia Almeida Mendes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.