ENSINO REMOTO DE URGÊNCIA NOS CURSOS DA ÁREA DA SAÚDE DURANTE O DISTANCIAMENTO SOCIAL GERADO PELA PANDEMIA

Ana Carolina Dondoni Fávero, Felipe Moura Parreira

Resumo


Com o avanço do novo Coronavírus, as restrições exigidas pelo distanciamento social geraram impactos sobre as atividades da população, principalmente sobre as escolas e universidades, que têm experimentado um novo modelo educacional, marcado pela mudança da educação presencial para o ensino on-line. O ensino remoto emergencial traz consigo uma preocupação em relação à carência de fiscalização, podendo comprometer a qualidade do ensino, prejudicando a formação dos futuros profissionais. Este trabalho trata de uma pesquisa de levantamento, utilizando como instrumento de coleta de dados o survey, aplicado em meio digital. A população escolhida foram acadêmicos dos cursos da área da saúde de um Centro Universitário do leste mineiro sujeitos ao ensino totalmente on-line durante o período de pandemia. Após o recebimento das respostas, os dados foram analisados, sendo que, dos resultados obtidos, 72,7% dos estudantes acreditam que o ensino remoto pode ser uma ferramenta complementar ao ensino presencial, enquanto 27,3% acredita que não. Quando questionados se professores estão capacitados para o emprego do ensino remoto, 59% afirmaram que sim, mas 41% acredita que não. Em relação à produtividade, 87,5% dos estudantes afirmaram que as aulas presenciais são mais produtivas que as aulas à distância, enquanto 12,5% acredita que o ensino remoto seja mais produtivo.  Os maiores dificultadores técnicos das aulas on-line foram: internet inadequada (52,4%), local inadequado para assistir às aulas (22,9%) e recursos tecnológicos inadequados (8,5%). Ao serem interrogados sobre seu nível de satisfação com o ensino remoto, as respostas dos acadêmicos variaram desde totalmente satisfeitos a totalmente insatisfeitos. Em virtude dos aspectos observados, depreende-se que o ensino remoto implantado no contexto da pandemia é uma solução imediata que pode continuar sendo empregada junto ao ensino presencial no intuito de enriquecer o crescimento científico e possibilitar maiores acessos.


Palavras-chave


Ensino a Distância; Ensino Remoto; Ensino Superior; Docência; Pandemia

Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, K. P. et al. Ensino remoto em universidades públicas estaduais: o futuro que se faz presente. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. e359997226-e359997226, 2020. Disponível em: < https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/7226/6517>. Acesso em: 05 Nov. 2020.

BORBA, R. C. N. et al. Percepções docentes e práticas de ensino de ciências e biologia na pandemia: uma investigação da Regional 2 da SBEnBio. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, v. 13, n. 1, p. 153-171, 2020. Disponível em: < http://sbenbio.journals.com.br/index.php/sbenbio/article/view/337/100>. Acesso em: 23 ago. 2020.

BUTTIGNON, K.; GARCIA, R. P. C.; SILVA, M. H. Uma Reflexão sobre o Ensino a Distância, via Internet, no Brasil. http://www. feg.unesp.br/ceie/Monografias/CEIE0204.pdf, v. 25, n. 07, p. 07, 2002. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2020.

BRASIL. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 jul 2020.

BROOKS, S. K. et al. The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. The Lancet, 2020. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2020.

COVID-19 Dashboard by the Center for Systems Science and Engineering (CSSE) at Johns Hopkins University (JHU). Disponível em: < https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6>. Acesso em: 16.Jul.2020.

EL KHATIB, A. S. Aulas por Videoconferência: Uma solução para o distanciamento social provocado pela COVID-19 ou um grande problema? Disponível em: . Acesso em: 16.Jul.2020.

FERRARI, M. A. L. D.; SEKKEL, M. C. Educação inclusiva no ensino superior: um novo desafio. Psicologia Ciência e Profissão, v. 27, n. 4, p. 636-647, 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/pcp/v27n4/v27n4a06>. Acesso em: 05 Nov. 2020.

FERREIRA, A. M. S. et al. COVimpact: pandemia COVID-19 nos estudantes do ensino superior da saúde. Revista de Investigação & Inovação em Saúde, v. 3, n. 1, p. 7-16, 2020. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2020.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JOYE, C. R.; MOREIRA, M. M.; ROCHA, S. S. D. Educação a Distância ou Atividade Educacional Remota Emergencial: em busca do elo perdido da educação escolar em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 7, p. e521974299-e521974299, 2020. Disponível em: < https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4299/3757>. Acesso em: 29 Out. 2020.

KENSKI, V. M. Gestão e uso das mídias em projetos de educação a distância. Revista e-curriculum, v. 1, n. 1, 2005. Disponível em: . Acesso em: 03 Dez. 2020.

LAWSON, T. et al. Images of the future for education? Videoconferencing: A literature review. Technology, pedagogy and education, v. 19, n. 3, p. 295-314, 2010. Disponível em: . Acesso em: 16.Jul.2020.

LOBO, A. S. M.; MAIA, L. C. G. O uso das TICs como ferramenta de ensino-aprendizagem no Ensino Superior. Caderno de Geografia, v. 25, n. 44, p. 16-26, 2015. Disponível em: < https://www.redalyc.org/pdf/3332/333239878002.pdf>. Acesso em: 05 Nov. 2020.

MARQUES, R. A ressignificação da educação e o processo de ensino e aprendizagem no contexto de pandemia da COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 3, n. 7, p. 31-46, 2020. Disponível em: < https://revista.ufrr.br/boca/article/view/Marques>. Acesso em: 16 ago. 2020.

MILL, D. Análise da educação a distância como interseção entre a formação docente, as tecnologias digitais e a pós-graduação. Educação em Perspectiva, v. 4, n. 2, p. 1-27, 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

MOORE, M. G. KEARSLE, G. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Thomson, 2007.

ROSO, C. C. et al. Currículo temático fundamentado em Freire-CTS: engajamento de professores de física em formação inicial. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. 2, p. 372-389, 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2020.

SILVA, O. D. L. A Estatística e o Ensino Superior em regime não presencial no período da pandemia por Covid-19. Correio dos Açores, p. 17-17, 2020. Disponível em: < https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/5526/1/Silva_30_04_2020.pdf>. Acesso em: 16.Jul.2020.

TORRES, A. C. M.; ALVES, L. R. G.; COSTA, A. C. N. Educação e Saúde: reflexões sobre o contexto universitário em tempos de COVID-19. 2020. Disponível em: < https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/640/885>. Acesso em: 16.Jul.2020.

TAKAHASHI, E. K.; CARDOSO, D. C. Experimentação remota em atividades de ensino formal: um estudo a partir de periódicos Qualis A. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 11, n. 3, p. 185-208, 2011. Disponível em: < https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4214/2779>. Acesso em: 05 Nov. 2020.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2020v18i5.2023

DOI (PDF): https://doi.org/10.21576/pa.v18i5.2023.g1674

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ana Carolina Dondoni Fávero, Felipe Moura Parreira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.