CONTRIBUIÇÕES DA RELIGIOSIDADE NA EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA PELO CORONAVIRUS

Rafael Ferreira Pureza de Oliveira, Deborah Buril Rocha Ribeiro, Michele de Oliveira Pereira, Kelly Ramos do Rosario, Alexsandro Monteiro Pontini, Ronaldo Cardoso de Oliveira

Resumo


A pandemia pelo novo coronavirus (COVID-19) evidenciou aspectos até então, esquecidos pela sociedade. Outrora, era comum observar os parques cheios de famílias num pequinique tranquilo, ou ver as mães indo levar e buscar os filhos à escola, as pessoas livres, enfim, o cotidiano parecia normal, mesmo com toda a falta de tempo e estresse que o capitalismo impõe. Mas, o mundo não será mais o mesmo pós pandemia, as relações sociais sofreram uma verdadeira avalanche de mudanças sem o mínimo de planejamento e previsão, dessa forma, a família e a escola, enquanto núcleos primários de socialização precisaram se re-adaptar a nova estrutura de forma muito rápida. E nesse percurso a socialização esteve ameaçada, tendo em vista que a vida e a morte estiveram muito próximas das pessoas, de um jeito como nunca antes exprienciada. Nesse sentido, o estudo visa ressaltar a importância da religiosidade na área educacional em tempo de pandemia, uma vez que o processo de isolamento social trouxe em seu bojo uma serie de desafios até então desconhecidos, tais como o medo e ansiedade da doença, como também, o novo processo de ensino realizado à distância, sem estar perto e sem as interações. Por meio da pesquisa bibliográfica, baseada em Alves (1999), Freire (1996), Goleman (1999), Passos (2007), Junqueira (2016), dentre outros não menos importantes, foi possível inferir que a inteligência emocional como ação propositiva relacionada a religiosidade do indivíduo social, consegue assegurar atitudes de confiabilidade e segurança, indispensáveis para a manutenção de um status saudável junto aos professores/as e alunos/as no cotidiano do contexto educacional.


Palavras-chave


Educação; Inteligência emocional; Religiosidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rubem. O que é religião. São Paulo: Loyola, 1999.

ARANTES, Valéria Amorim. Afetividade e cognição: rompendo a dicotomia na educação. 2002. In: OLIVEIRA, M. K.; TRENTO, D.; REGO, T (Org). Psicologia, educação e as temáticas da vida contemporânea. São Paulo: Moderna, 2002.

BRASIL. Declaração de princípios sobre a tolerância. UNESCO, Art. 3º, 3.3, 1995.

CHABOT, D. Cultive a sua inteligência emocional. Estoril: Pergaminho, 2001

DAMÁSIO, A. O erro de Descartes – Emoção, Razão e Cérebro Humano. Mem Martins: Publicações Europa-América, 1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GAIGHER, Elorania Kellis Ahnert. Educação e religião: as manifestações religiosas no ambiente escolar e a construção de uma cultura de paz. Vitória: UNIDA, Faculdade Unida de Vitória, 2018.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. 3ª reimp. São Paulo: Atlas, 2010.

GOLEMAN, D. Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa: Temas e Debates, 1999.

GOLEMAN, D.; BOYATZIS, R.; MCKEE, A. Os Novos Líderes: a Inteligência Emocional nas Organizações. Lisboa: Gradiva, 2007.

GRANDISOLI, Edson; JACOBI, Pedro Roberto; MARCHINI, Silvio. Pesquisa: Educação, Docência e a COVID-19. Universidade de São Paulo: Cidades Globais. Instituto de Estudos Avançados da USP, 2020. Disponível em: http://www.iea.usp.br/pesquisa/projetos-institucionais/usp-cidades-globais/pesquisa-educacao-docencia-e-a-covid-19 . Acesso em: set. 2020.

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Publicações 2020. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_alphacontent&section=31&category=422&Itemid=357. Acesso em: set. 2020.

JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. Materiais didáticos para o componente curricular Ensino Religioso visando a implementação do artigo 33 da Lei 9394/96 revisto na lei 9.475/97. Brasília, 2016.

MAYER, J.; SALOVEY, P. Perceiving affective contente in ambiguous visual stimuli: A componente of Emotional intelligence. Journal of Personality Assessment, 54 (3-4), 772-781. 1990. In: VALENTE, Maria Nunes.; MONTEIRO, Ana Paula. Inteligência emocionla em contexto escolar. Revista Eletrônica de educação e psicologia. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. 2016. Vol. 7. p.1-11.

PASSOS, João Décio. Ensino religioso: construção de uma proposta. São Paulo: Paulinas, 2007.

PRETI, 2005. In: MARTINS, Ronei Ximenes; RAMOS, Rosana. Metodologia de pesquisa: guia de estudos. Lavras: UFLA, 2013, p. 8-21.

PUNSET, E. Viaje a las emociones. Las claves que mueven el mundo: la felicidad, el amor y el poder de la mente. Barcelona: Destino. 2010. In: VALENTE, Maria Nunes.; MONTEIRO, Ana Paula. Inteligência emocionla em contexto escolar. Revista Eletrônica de educação e psicologia. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. 2016. Vol. 7. p.1-11.

SENA, Luzia (Org.). Ensino religioso e formação docente: ciências da religião e ensino religioso em dialogo. São Paulo: Paulinas, 2007.

SILVA, N.P. Entre o público e o privado: um estudo sobre a fidelidade à palavra empenhada. Tese de Doutorado. Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo: 2002.

VALENTE, Maria Nunes.; MONTEIRO, Ana Paula. Inteligência emocionla em contexto escolar. Revista Eletrônica de educação e psicologia. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Vol. 7, p.1-11, 2016.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2020v18i5.2160

DOI (PDF): https://doi.org/10.21576/pa.v18i5.2160.g1670

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Rafael Ferreira Pureza de Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.