ICMS ECOLÓGICO E O PRINCÍPIO DA EQUIDADE INTERGERACIONAL EM PROL DO MEIO AMBIENTE E DA SOCIEDADE

João Emilio de Assis Reis, Tamires Gomes da Silva

Resumo


Atualmente, a preocupação com o meio ambiente está cada vez mais em evidencia. Depois de muitos anos, a sociedade se despertou para os sinais de socorro que a natureza vinha demostrando ao homem. A Constituição Federal do Brasil de 1988, já consagrava em seu bojo, a busca pelo meio ambiente ecologicamente sustentável para as presentes e futuras gerações. Para que exista a sustentabilidade ambiental, é necessário o envolvimento e empenho de cada indivíduo. O princípio da equidade intergeracional desse modo, fundamenta-se nos pilares da prevenção e precaução e implica o dever do Poder Público e de toda a coletividade em unir forças em prol do meio ambiente. A política do ICMS Ecológico, busca a conscientização ecológica ambiental por meio da extrafiscalidade sócio-ambiental, regulando os subsídios fornecidos a municípios que desenvolvem atividades de proteção e conservação ambiental. Com a implantação da função extrafiscal do tributo, foi possível se perceber, o abandono do seu papel de mero financiador da atividade Estatal, e um poderoso provedor de recursos para direcionar a conduta dos contribuintes em relação a matéria ambiental. 


Palavras-chave


Arrecadação Tributária; Desenvolvimento Sustentável; ICMS Ecológico; Meio Ambiente; Princípio da Equidade Intergeracional.

Texto completo:

PDF

Referências


ACQUATELLA, Jean. Aplicación de instrumentos económicos en la gestión ambiental em América Latina y el Caribe: desafíos y factores condicionantes. Publicación de las Naciones Unidas. Comisión Económica para América Latina - CEPAL. División de Medio Ambiente y Desarrollo. Santiago de Chile: enero de 2001. Disponível em: < http://www.eclac.cl>. Acesso em: 31.01.17.

AMORIM, João Luiz. ICMS: questões controvertidas. 2 ed.Niterói: Impetus, 2009.

ARAÚJO, Cláudia Campos de et al. Meio Ambiente e Sistema Tributário: Novas Perspectivas. São Paulo: Senac, 2003.

BALEEIRO, Aliomar. Direito tributário brasileiro. 11 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

BENSUSAN, Nurit; FREITAS, Analuce. “ICMS Ecológico: Um Incentivo Fiscal para a Conservação da Biodiversidade”. IN: BENSUSAN, N. (org.) Seria melhor mandar ladrilhar? Biodiversidade como, para que, por quê. Brasília: Universidade de Brasília, 2002.

BLAYTH, Taís Fernanda; HUPFFER, Haide Maria; SCHNORR, Lucas Ismael. ICMS ecológico: um caminho para a realização do princípio da solidariedade intergeracional. In: HUPFFER, Haide Maria e WEYERMULLER, André Rafael (Org). ICMS ECOLÓGICO: Instrumento de estímulo à conservação e à proteção ambiental. Porto Alegre:Entremeios, 2013.

CAMPOS, Leu Pompeu de Rezende Campos. ICMS Ecológico: Experiências nos Estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Alternativas na Amazônia. Trabalho apresentado na 3ª reunião temática do programa piloto para proteção de florestas tropicais. Cuiabá (MT), 2000.

CIQUEIRA, Antenor da Silva; NETO, José Lopes Soares. ICMS Ecológico – Recebimento e aplicação do imposto: Um estudo de caso de dois municípios Tocantinenses. 13 f. http://www.catolica-to.edu.br/portal/portal/downloads/docs_gestaoambiental/projetos2009-2/4-periodo/Icms_ecologicorecebimento_e_aplicacao_do_imposto_um_estudo_de_caso_de_dois_municipios_tocantinenses.pdf , 2009.

COELHO, Cecilia Choeri da. Substituição Tributária “para frente” no ICMS e Direito à Restituição. 35 f. Artigo Cientifico do curso de Pós-Graduação Lato Sensu da Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. http://www.emerj.tjrj.jus.br/paginas/trabalhos_conclusao/2semestre2012/trabalhos_22012/CeciliaChoeriSilvaCoelho.pdf. Rio de Janeiro, 2012.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Olanda. Novo dicionário aurélio da língua portuguesa. 3ª ed. Curitiba: Positivo, 2005.

FERREIRA, Lúcia da Costa. Conflitos sociais contemporâneos: considerações sobre o ambientalismo brasileiro. Revista Meio Ambiente & Sociedade. nº 5. Campinas, Julho/Dec.1999.

FIGUEIREDO, João Alcione Sganderla; WEYERMULLER, André Rafael. Economia e meio ambiente: realidade e possibilidades integrativas. In: HUPFFER, Haide Maria e WEYERMULLER, André Rafael (Org). ICMS ECOLÓGICO: Instrumento de estímulo à conservação e à proteção ambiental. Porto Alegre:Entremeios, 2013.

FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 13 ed.rev., atual. E ampl. São Paulo, 2012.

FIUZA. Anete Pinto Fiúza. ICMS Ecológico – Um Instrumento para a Gestão Ambiental. Disponível em: . Acesso em: 31.01.2017.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. 2. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

GONÇALVES, Régis Afonso Furtado. A extrafiscalidade e o ICMS ecológico como instrumento econômico de política e preservação ambienta. Trabalho de conclusão de curso, Faculdade de Direito da Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2008.

JÚNIOR, Amery Moises Nadir; SALM, José Francisco e MENEGASSO, Maria Ester. Estratégias e ações para implementação do ICMS ecológico por meio da co-produção do bem público. Revista de Negócios, v.12, n.3, p.62-73, julho/setembro. Disponível em: . Blumenau, 2007. Acessado em 27.02.2017.

LEFF, Enrique. Saber Ambiental. Sustentabilidade, racionalidade, complexidade e poder. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. 8. ed. Petrópolis, Rio de /janeiro: Vozes, 2011.

LEFF, Henrique. Discursos sustentáveis. São Paulo: Cortez, 2010.

LOUREIRO, W. Contribuição do ICMS ecológico à conservação da biodiversidade no estado do Paraná. 161 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2002.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 24º ed. São Paulo: Malheiros, 1999.

MERICO, L.F.K. Introdução à Economia Ecológica. 2ª ed. Blumenau: Edifurb, 2002.

MURARO, Leonardo. A Extrafiscalidade Tributária no Brasil como Implementadora de Políticas Públicas para o Meio Ambiente. Dissertação (Mestrado em Direito) - Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC, Santa Cruz Do Sul, 2006.

OLIVEIRA, José Marcos Domingues de. Direito Tributário e Meio Ambiente: Proporcionalidade, Tipicidade Aberta e Afetação da Receita. 2º ed. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

ROCCO, R. Dos instrumentos tributários para a sustentabilidade das cidades. In: COUTINHO, R. e ROCCO, R. (Org.) O direito ambiental das cidades. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

SCAFF, Fernando Facury; TUPIASSU Lise Vieira da Costa; TORRES, Heleno Taveira (Org.). Tributação e políticas públicas: O ICMS Ecológico. São Paulo: Malheiros Editores, 2005. p. 724-748.

TUPIASSU, Lise Vieira da Costa. Tributação Ambiental: a Utilização de Instrumentos Econômicos e Fiscais na Implementação do Direito ao Meio Ambiente Saudável. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2017v15i2.239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 João Emilio de Assis REIS, Tamires Gomes da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.