PREVALÊNCIA DE CASOS DE TUBERCULOSE NOTIFICADOS NO PARÁ DE 2009 A 2020: revisão integrativa

Angélica Marques Rêgo, Euliane da Cruz Pereira, Romisléia Alves Gaia, Ana Cristina Doria dos Santos

Resumo


A tuberculose é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis e possui altas taxas de prevalência no Brasil e subnotificação. Esta revisão de literatura teve o objetivo de analisar e discutir sobre a prevalência da tuberculose no Pará. Trata-se de uma revisão integrativa, orientada pelos descritores “tuberculose”, “prevalência”, “epidemiologia” e “Pará” verificados nos Descritores em Ciência da Saúde (DECS) de acordo com cada base de dados. Foram utilizadas as buscas bibliográficas nas bases de dados Scientific Electronic Library (Scielo) e Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Foram incluídos artigos com temática sobre a prevalência de tuberculose no estado do Pará, publicados entre 2009 a 2020, e foram excluídos artigos incompatíveis com o tema. Como resultado foi obtido um quantitativo de dez estudos. Após a análise destes trabalhos, foram encontrados estudos, principalmente no Scielo com dados da prevalência em Ananindeua, Belém, Benevides e Santarém, com casos em homens adultos, ensino fundamental e de zona urbana. O coeficiente de prevalência em Ananindeua foi de 58,93/100.000 habitantes. Belém possui taxa de prevalência de tuberculose de 50,7%, valor superior ao preconizado pelo Ministério da Saúde de 30%. Benevides apresentou o coeficiente de prevalência de 105/100.000 habitantes por ano. Já em Santarém verificou-se alta taxa de coinfecção de tuberculose e HIV. O presente estudo reafirma a alta magnitude da tuberculose no Pará. Os resultados mostram que a tuberculose continua sendo um problema de saúde pública. Torna-se necessário elaborar e implementar políticas públicas para controle das altas taxas de tuberculose nessas cidades, bem como intensificar os estudos em outras regiões do estado como o sudeste do Pará, para que possibilite de fato uma verificação real do número de casos dessa doença no estado.


Palavras-chave


Tuberculose; Prevalência; Epidemiologia; Pará.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico de Hanseníase. Brasília: Ministério da Saúde, 2021.

CARMO JDCB, COSTA CR, PAES LL, GALVAO RRG, TAVARES KB, RAMOS MDS, PAIVA CDOV, VIEGAS LDJS, CASTILHO EBDS, FERREIRA MGS, IMBIRIBA RB, IMBIRIBA MMBG. A prevalência da tuberculose pulmonar na população privada de liberdade da central de triagem penitenciária de Ananindeua –Pará, Brasil. Revista Eletrônica Acervo Saúde (2020).

CARVALHO, FM. Estudo dos mecanismos de modulação da resposta imune celular patógeno-específica em indivíduos infectados pelo Mycobacterium leprae. 2017. 112 f. Tese (Doutorado em Biologia Celular e Molecular) Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

CENTERS OF DISEASE CONTROL AND PREVENTION (CDC) The Pink Book – Course Textbook; Capítulo 19. 16ª edição, 2019. Disponível em: https://www.cdc.gov/tb/topic/basics/howtbspreads.htm

FONTES GJF, SILVA TG, SOUSA JCM, FEITOSA A, SILVA ML, BEZERRA ALD, ASSIS EV. Perfil epidemiológico da tuberculose no Brasil no período de 2012 a 2016 Rev. Bra. Edu. Saúde, v. 9, n. 1, p. 19-26, jan-mar., 2019.

FREITAS WMTM, SANTOS CC, SILVA MM, ROCHA GA. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes portadores de tuberculose atendidos em uma unidade municipal de saúde de Belém, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 2016 jun;7(2):45-50.

JÚNIOR AMF, SÁ AMM. (2019). Prevalência da infecção latente tuberculosa em comunicantes de portadores de tuberculose pulmonar. Revista Eletrônica Acervo da Saúde

KAUFMANN SHE. Envisioning future strategies for vaccination against tuberculosis. Nature Reviews Immunology. 2006, 6, 699 -704.

LIMA SS, VALLINOTO ACR, MACHADO LFA, ISHAK MOG, & ISHAK R. Análise espacial da tuberculose em Belém, estado do Pará, Brasil. Revista Panamazônica de Saúde, v. 8, p. 57-65, 2017.

MELNYK BM F-OE. Making the case for evidence-based practice. In: editor. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico. 2019;45(9):1-5.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portal da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil, 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Brasil Livre da Tuberculose Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública 2017

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: Indicadores prioritários para o monitoramento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil. Volume 48 N° 8; 2017.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Perspectivas brasileiras para o fim da tuberculose como problema de saúde pública. Boletim epidemiológico, 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de vigilância epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – 3. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

MURRAY PR, ROSENTHAL, KS & PFAÜER, MA. Mycobacterium. In: Microbiologia Médica. 6° ed. Guanabara Koogan. 2017, 266 – 269

NEVES DCO, LOUREIRO LO, PAIVA NP, OHNISHI MDO, RIBEIRO CDT. Análise do Programa de Controle da Tuberculose no estado do Pará, Brasil, de 2005 a 2014. Rev Pan - Amaz Saude. 2018; 9(4):47-56

NEGI AS, KUMAR JK, LUQMAN S, SAIKIA D, KHANUJA SP. Antitubercular potential of plants: a brief account of some important molecules. Medicinal Research Reviews. 2010, 30(4), 603-645.

OLIVEIRA, SM. Fatores associados ao alto risco de abandono do tratamento da tuberculose em Porto Alegre-região sul do Brasil Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas, 2018.

PEREIRA LFS, MAUES CRF, CARVALHO AJS, LIMA AS, BEZERRA NV. Epidemiologia da tuberculose no estado do Pará Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 2, n. 2, p. 800-808, mar./apr. 2019.

OROCA, DAR, LIMA AS, LIMA JFA, CRUZ HLA, MONTENGRO LML. Differentiation of micobacteria by multiplex PCR. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 42, n. 6, p. 716-22, 2009 Nov-Dec 2009.

RABAHI MF, SILVA JÚNIOR JLR, FERREIRA ACG, TANNUS-SILVA DGS, CONDE MB. Tratamento da tuberculose. J Bras Pneumol. 2017;43(6):472-86

RIBEIRO WA. Tuberculose: um perfil epidemiológico dos municípios de Belém e Ananindeua-PA no período de 2006 a 2008. Rev. Para. Med 2011.

RODRIGUES ILA, CARDOSO NC. Detecção de sintomáticos respiratórios em serviços de saúde da rede pública de Belém, Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 2010;1(1):67-71.

ROSEMBERG, J. Tuberculose - Aspectos históricos, realidades, seu romantismo e transculturação. Boletim de Pneumologia Sanitária, v. 7, p. 5-29, 1999.

SANTOS SMD, SANTOS ALVD, FREITAS BQ, MARINS CMF, CARNICEL C, SCHERER EF, LIMA FA, FONSECA GAA, QUEIROZ RCF, & DELMONDES, PH (2020). Perfil dos pacientes portadores de tuberculose e os fatores de risco associados em municípios da Amazônia legal. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (43), e2344.

SANTOS ML, COELI CM, BATISTA JDL, BRAGA MC, & ALBUQUERQUE, MFPM (2018). Fatores associados à subnotificação de tuberculose com base no Sinan Aids e Sinan Tuberculose. Revista Brasileira de Epidemiologia, 21

SANTOS BO, BRITO TVR, MESQUITA CR, GUIMARAES RJPS, LEAO LA, ROCHA MP. Análise espaço-temporal da incidência de tuberculose na atenção primária Pará Res Med J. 2017;1(2):e21

SHUHAMA BV, SILVA LMC, ANDRADE RLP, PALHA PF, HINO P, SOUZA KMJ. Evaluation of the directly observed therapy for treating tuberculosis according to the dimensions of policy transfer. Rev Esc Enferm USP. 2017.

SOUSA LM, MARQUES-VIEIRA C, SEVERINO SS, ANTUNES AV. Metodologia de Revisão Integrativa da Literatura em Enfermagem. Rev Inv Enferm. 2017; Série II(21): 17-26.

SOUSA BA, BRAZ VHC, PAES ALV Prevalência de infecção por tuberculose em funcionários de um hospital universitário / Prevalence of tuberculosis infection in employees from university hospital Rev. para. med ; 25(1)jan.-mar. 2011.

VAZ DWN, EVANGELISTA HI, RODRIGUES lCT, SILVA JB, BARROS TVL, SANTOS LCC. Perfil Epidemiológico de Pacientes Internados com tuberculose na cidade de Santarém-PA Revista Brasileira de Educação e Saúde, v.10 n.2 (2020).

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Global Tuberculosis Report 2019. Geneva: WHO, p.265, 2019.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2021v19i3.2443

DOI (PDF): https://doi.org/10.21576/pa.v19i3.2443.g2078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 ÂNGELICA MARQUES RÊGO, EULIANE DA CRUZ PEREIRA, ROMISLÉIA ALVES GAIA, Ana Cristina Doria dos Santos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.