O CONTEÚDO DE LÍNGUA PORTUGUESA EM QUESTÃO: O EMBATE ENTRE DOIS DISCURSOS

Adelino Pereira dos Santos

Resumo


A partir do referencial teórico e metodológico da Análise de Discurso de linha francesa, o trabalho de pesquisa consistiu na constituição e análise de um corpus formado por respostas de professores de Língua Portuguesa do ensino básico a um formulário contendo três questões: “O que é conteúdo de ensino-aprendizagem da disciplina Língua Portuguesa? Que conteúdo ensinar em Língua Portuguesa e por que ensiná-lo? De que maneira o conteúdo de Língua Portuguesa poderá contribuir para a formação cidadã do educando?” A análise permitiu a confirmação da hipótese da existência de dois discursos em um intricado jogo de oposição, embate, ambiguidade e entrelaçamento: o Discurso Pedagógico Tradicional sobre o conteúdo de Língua Portuguesa (DPT) e o Discurso sobre o conteúdo de Língua Portuguesa advindo dos Estudos Linguísticos Funcionalistas (DELF). O que compreendemos por DPT não é apenas uma questão de dizeres sobre o ensino de gramática normativa no ensino básico, discussão antiga, embora ainda atual. O DPT corresponde também à tradição de crenças e valores escolares que se consubstanciam e se fundamentam ideologicamente em práticas pedagógicas tradicionais. Compreendemos por DELF todos os saberes e dizeres sobre o conteúdo e a prática pedagógica de Língua Portuguesa enunciados a partir dos campos epistemológicos dos Estudos Linguísticos que concebem o texto, nas modalidades oral ou escrita e nas multimodalidades, em seus aspectos discursivos, pragmáticos, semântico-conceituais e formais como o objeto precípuo de ensino e aprendizado na educação básica.  O DPT e o DELF estabelecem uma luta simbólica pela hegemonia na determinação do conteúdo de ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa no ensino básico. O primeiro estabelece relações de resistência, de permanência. O segundo busca conquistar espaço e legitimidade.  Os resultados dessa luta simbólica foram analisados nas  seções deste artigo.

 


Palavras-chave


Conteúdo de Língua Portuguesa; Discurso; Sujeito

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: 3º e 4º ciclos: língua portuguesa. Brasília: MEC /SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMT, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio: volume 1: linguagens, códigos e suas tecnologias. MEC/SEB, 2006.

GADET, Françoise. HAK, Tony (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Trad. Bethania S. Mariani et al. 3. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Curitiba: Criar, 2005.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2000.

ORLANDI, Eni P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 2. ed. Campinas: Pontes, 2005.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni Pulcinelli Orlandi. 3 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1997




DOI: http://dx.doi.org/10.21576/rpa.2017v15i1.27

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Adelino Pereira dos Santos

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.