O SUFIXO –INHO NA FALA DE ITAÚNA (MG): UM ESTUDO LÉXICO-SEMÂNTICO

Christiane Miranda Buthers

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar itens lexicais nos quais aparece o sufixo –inho. Nessa análise, o foco recai sobre os possíveis valores semânticos que podem ser aferidos desse sufixo; e, adicionalmente, se os sentidos que dele são depreendidos estabelecem correlação com a base lexical no qual se conectam. Os dados investigados neste artigo são selecionados de um corpus da cidade de Itaúna (MG). Obviamente, para a sua devida análise, foram considerados os contextos de produção, e não o item isoladamente, que poderia nos apresentar um resultado equivocado. O resultado é que, em geral, o sufixo –inho denota valor semântico de “afetividade”, podendo conectar-se, gradativamente, a bases lexicais morfológicas também distintas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBADE, C.M.S. Filologia e o Estudo do Léxico. Cadernos do CNF, Série X, Nº 9.

BASÍLIO, M. Competência Lexical. São Paulo: Ática, 2007.

COCKELL, M. Um Estudo Descritivo e Comparativo das Principais Propostas Gerativas. Revista Philologus, ano 15, nº 44. Rio de Janeiro: CiFEFil, maio/ago 2009.

CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

LACOTIZ, A. A Análise dos Sufixos –ança/-ença, -ância/-ência na obra do simbolista João da Cruz e Souza. Estudos Linguísticos XXXV. São Paulo: USP, 2006.

NASCIMENTO, R.I.; ISQUERDO, A.N. Frequência de Palavras: Um diagnóstico do vocabulário de redações de vestibular. In: ALFA, vol. 47, nº 1. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 2003.

SANDMAN, A.J. Produtividade lexical. In: Competência Lexical: produtividade, restrições e bloqueio. Curitiba: Ed. Da UFPR, 1991.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2019v17i1.270

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 CHRISTIANE MIRANDA BUTHERS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.