COMPORTAMENTO FEMININO: MANUAIS DE ETIQUETA E CIVILIDADE PARA DONAS DE CASA (1940 À 1970).

Glaucia do Amaral Alves

Resumo


Ao longo século XX, uma enorme quantidade de publicações de grande sucesso editorial foi destinada a regular e formatar o comportamento feminino. Tais publicações se apresentavam como modelos de civilidade e etiqueta. Estudando este material, entre as décadas de 1940 e 1970, percebe-se que tais manuais praticamente não sofreram alterações em seu discurso. No entanto, estas quatro décadas, com a Segunda Guerra Mundial, o pós-guerra e os movimentos sócios culturais dos anos 1960-1970, marcaram alterações profundas na vida das mulheres do Ocidente. Interessa, assim, compreender e fazer um estudo comparativo do descompasso entre o discurso dos manuais de comportamento e a realidade das mulheres na segunda metade do século XX.

 


Palavras-chave


Comportamento; Manuais; Mulheres.

Texto completo:

PDF

Referências


CASTANHO, Iracema Soares. Etiqueta social. 9 ed. São Paulo: Universitária, 1956. 333 p.

DEL PRIORE, Mary. História do amor no Brasil. 2. ed. — São Paulo: Contexto, 2006.

_______________. Histórias e Conversas de Mulher. São Paulo: Planeta do Brasil, 2013.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 1939.

FIGUEIREDO, Jéssica. Etiqueta e hospitalidade do “bom ton” às “boas maneiras”. 2007. 115 f. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade) – Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, 2007.

FLORESTA, Suzana. Comportamento e organização social em Goiás-GO no começo do século XX: uma história da terceira margem. Universidade Federal de Goiás, s.d., 16p.

GRANDE, Humberto. A educação cívica das mulheres. 1967. Rio de Janeiro: Reper, 1967.

KOHLER, Hildegard A. Boas maneiras. Porto Alegre: Visuarte, 1977.

MARIZ, Luís Gonzaga. Civilidade ou código das boas maneiras. 4. ed. Salvador: Mensageiro da Fé, 1956.

MAXWELL, Elsa. A arte de receber. Rio de Janeiro: Record, 1964.

PINHEIRO, Aracceli Gonçalves. Aparência pessoal: conselhos à minha filha. 2. Ed. Rio de Janeiro: Bruno Buccini, 1965. 225 p.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: Unesp, 1998. 159 p.

________________. As mulheres ou os silêncios da história. São Paulo: Edusc, 2005. 519 p. Coleção História.

___________________. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2007, p. 191. (Tradução de Ângela M. S. Côrrea do original Mon histoire des femmes. Paris: Éditions du Seuil/France Culture, 2006.)

REVEL, Jacques. Os usos da civilidade. In: História da Vida Privada: Da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Cia das Letras, 1991. Vol. 03.

REVEL, Jacques. Os usos da civilidade. In: História da Vida Privada: Europa Feudal. São Paulo: Cia das Letras, 1986. Vol. 02.

WITTER, Nikelen Acosta. Males e epidemias: sofredores, governantes e curadores no sul do Brasil (Rio Grande do Sul, século XIX). 2007. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.21576/rpa.2017v15i1.30

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 glaucia do amaral alves

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.