A ORALIDADE E SUA INCIDENCIA NO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO COMPARADO

Giselle Leite Franklin von Randow, Leandro Soares von Randow

Resumo


Busca-se, neste trabalho, de modo conciso, trazer a tendência de alguns países de implementar a oralidade como meio mais eficaz de agilizar o processo e inseri-lo conforme as exigências da modernidade, como forma de substituição do processo lento por um mais célere e dinâmico, visando ao cumprimento da finalidade de todo litígio: a solução do conflito de interesses. Propõe também apresentar a experiência atual de Portugal, que tem tido êxito nos resultados das audiências gravadas, e da experiência de alguns países da América Latina, que vêm adotando a oralidade como regra em seus atos processuais.

Palavras-chave


Princípio da oralidade; Efetividade; Direito Processual do Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


ARGENTINA. Lei n. 18.345 de 12 de setembro de 1969. Ley de organizacion y procedimiento de la justicia nacional del trabajo. Buenos Aires, 12 set.1969.

ARGENTINA. Lei 7.987 de 13 de novembro de 1990. Código procesal del trabajo de Córdoba. Córdoba, 15 jan.1991.

CASTRO, Jordi Delgado. Principios del nuevo procedimento laboral chileno. Revista de Derecho, ano 9, número 9, 2008. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2014.

CHILE. Lei 20.087. Sustituye el procedimiento laboral contemplado en el libro v del codigo del trabajo. Santiago, 03 jan. 2005.

ESCOBAR, Javier H. Espinoza. Sindicato y Conflicto Individual en el Ordenamiento Peruano: Una Visión Constitucional. In: IUS – revista de investigación de la Faculdad de Derecho. Chiclayo, Peru, v. 02, n. 03, jan-jul. 2012.

GERALDES, António Abrantes. Temas da Reforma do Processo Civil, vol. II, 2. ed., Coimbra: Almedina, 2002.

LIVELLARA, Carlos Roberto. El proceso laboral y su cometido en la aplicación de las normas del trabajo en la Republica Argentina. [s.n.t].

PATIÑO, Andrea Ochoa de. La oralidad en el proceso laboral venezolano. In: Revista Jurídica, Venezuela: Universidad Católica de Santiago de Guayaquil, 2005.

PERU. Lei 29.497 de 15 de janeiro de 2010. Nueva ley procesal del trabajo. Lima, 15 jan. 2010.

PORTUGAL. Decreto -Lei n.º 39/95, de 15-2. Estabelece a possibilidade de documentação ou registo das audiências finais e da prova nelas produzida. Disponível em: . Acesso em: 01 jul.2014

PORTUGAL. Lei n.º 41/2013, de 26 de junho. Aprova o Código de Processo Civil. Lisboa, 26 jun.2013.

RAMOS. Brasilino Santos. Sistema processual do trabalho na Venezuela. In: EÇA, Vitor Salino de Moura. Direito processual do trabalho globalizado. São Paulo: LTr, 2012, p. 236-270.

SILVA, Carlos Manuel Ferreira. A oralidade em Portugal. Acervo da Biblioteca Jurídica Virtual do Instituto de Investigações Jurídicas da UNAM. Disponível em: Acesso em: 02 jul. 2014.

TOLEDO FILHO, Manoel Carlos. Sistema processual do trabalho na Argentina. In: EÇA, Vitor Salino de Moura. Direito processual do trabalho globalizado. São Paulo: LTr, 2012, p. 19-26.

VENEZUELA. Constituição da República Bolivariana da Venezuela. Caracas, 30 dez. 1999.

VENEZUELA. Ley orgánica procesal del trabajo. Disponível em: Acesso em: 01 jul. 2014.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2016v14i2.31

DOI (PDF): https://doi.org/10.21576/pa.v14i2.31.g23

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Giselle Leite Franklin von Randow, Leandro Soares von Randow

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.