FORÇA DE DESPRENDIMENTO DE FRUTOS DE CAFÉ CONILON NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Gustavo Soares de Souza, Maurício Blanco Infantini, José Antônio Lani, Patrick De Oliveira Alves

Resumo


Um dos principais problemas enfrentados pelos produtores rurais de café conilon é a falta de mão de obra, principalmente durante a colheita. A mecanização da colheita é uma opção viável para a falta de mão de obra e para reduzir o custo. A força de desprendimento dos frutos é um dos fatores que influenciam a eficiência da colheita mecanizada e é influenciada por aspectos genéticos e de manejo. O objetivo deste estudo foi avaliar a força de desprendimento dos frutos de café conilon de plantas da variedade Robusta Tropical e do clone LB1, visando criar subsídios para o uso de colhedoras automotrizes. O estudo foi realizado em lavoura comercial em Governador Lindenberg-ES. A força de desprendimento dos frutos foi avaliada com um dinamômetro portátil digital. A força de desprendimento dos frutos de café conilon reduziu com o aumento do estágio de maturação. A variação de força de desprendimento entre os frutos verdes e cerejas foi de 2,5 e 1,2 N para a variedade Robusta Tropical e o clone LB1, respectivamente. A força de desprendimento dos frutos foi 25% maior nos frutos não derriçados após passagem da máquina em relação à média da lavoura não derriçada. A força de desprendimento dos frutos de conilon varia com o estágio de maturação e o material genético, indicando a possibilidade de selecionar materiais mais adaptados para o uso de colhedoras automotrizes. A colhedora apresenta potencial de selecionar os frutos com menor força de desprendimento.


Palavras-chave


colheita mecanizada; colhedora de café; derriça; Coffea canephora

Texto completo:

PDF

Referências


CRISOSTO, C.H.; NAGAO, M.A. Evaluation of fruit removal force of coffee cultivars. Horti-Science, v.26, n.2, p.210-230, 1991. Disponível em: . Acesso em: 24 Outubro 2017.

PREZOTTI, L.C. et al. Calagem e adubação do café conilom. In: FERRÃO, R.G.; FONSECA, A.F.A.; FERRÃO, M.A.G.; DEMUNER, L.H. (Ed.). Café Conilon, 2 ed. atual. e ampl. Vitória, ES: Incaper, 2017. p. 347-357.

RONCHI, C.P.; DAMATTA, F.M. Aspectos fisiológicos do café conilon. In: FERRÃO, R.G.; FONSECA, A.F.A.; FERRÃO, M.A.G.; DEMUNER, L.H. (Ed.). Café Conilon. 2 ed. Vitória, ES: Incaper, 2017. p.103-129.

SILVA, F.C. et al. Comportamento da força de desprendimento dos frutos do cafeeiro ao longo do período da colheita. Ciência e Agrotecnologia, v.34, n.2, p.468-474, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 Outubro 2017.

SILVA, F. M. et al. Custo da colheita mecanizada de café com colhedoras automotrizes no Sul de Minas. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v. 8, n. 1, p. 54-60, jan./mar. 2000.

SILVA, F.C. et al. Correlação da força de desprendimento dos frutos em cafeeiros sob diferentes condições nutricionais. Coffee Science, v.11, n.2, p.169-179, 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 Novembro 2017.

SOUZA, G.S. et al. Colheita mecanizada do café conilon. In: FERRÃO, R.G.; FONSECA, A.F.A.; FERRÃO, M.A.G.; DEMUNER, L.H. (Ed.). Café Conilon. 2 ed. Vitória, ES: Incaper, 2017. p.509-529.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2018v16i1.359

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Gustavo Soares de Souza, MAURÍCIO BLANCO INFANTINI, JOSÉ ANTÔNIO LANI, PATRICK DE OLIVEIRA ALVES

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.