PREVALÊNCIA DE PEDICULOSE EM ESTUDANTES DO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU, ESTADO DO RIO DE JANEIRO, BRASIL

André Fernandez de Oliveira, Antonio Neres Norberg, José Tadeu Madeira de Oliveira, Paulo César Ribeiro, Paulo Roberto Blanco Moreira Norberg, Nicolau Maués Serra Freire

Resumo


A pediculose por Pediculus humanus capitis é uma infestação de distribuição cosmopolita, em qualquer idade, mas prevalente em crianças, e se constitui um dos sérios problemas de saúde pública na atualidade. Objetivo: Avaliar a prevalência de pediculose em escolares da rede pública de ensino da cidade de Nova Iguaçu, estado do Rio de Janeiro. Pacientes e métodos: Estudo descritivo, transversal, realizado com 10.851 crianças com idades entre 4 e 12 anos, matriculadas em 72 escolas do município de Nova Iguaçu. A avaliação consistiu na inspeção visual e palpação das cabeças por dois minutos, com atenção à nuca, pescoço e região retroauricular, com a manipulação do cabelo. O material encontrado foi identificado no Laboratório de Parasitologia da Universidade Iguaçu. Resultados: Dos 10.851 estudantes examinados, 4.765 eram meninos e 6.086 eram meninas; do total, 4.023 estavam positivos para pediculose, correspondendo ao coeficiente de prevalência de 37,07%. A cor do cabelo influencia o parasitismo, mas o tipo de cabelo não. O comprimento do cabelo só influenciou no parasitismo dos meninos. Conclusões: A pediculose capitis constitui um importante problema de saúde pública entre estudantes do ensino fundamental, e deve ser integrada em programas de prevenção e controle de doenças infecto-parasitárias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2017v15i2.40

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.