ANÁLISE CONTÁBIL DO TESTE DE ADEQUAÇÃO DE PASSIVOS REALIZADO POR SOCIEDADES REGULADAS PELA SUSEP NO PERÍODO ENTRE 2011 A 2014

Rafael Simão Gonçalves, Pierre Ohayon, Adriano Rodrigues, Marcelo Alvaro da Silva Macedo

Resumo


A pesquisa expõe uma análise contábil do Teste de Adequação de Passivos (TAP) nas companhias do setor securitário brasileiro. A atualização de valor resultante do TAP é lançada para despesa com contrapartida na conta de provisão técnica. Os gestores possuem poder discricionário na realização do teste, no qual há uma possibilidade em gerenciar o parâmetro de solvência e/ou diminuir o pagamento de impostos. O objetivo geral é examinar os possíveis determinantes da atualização de valor da provisão técnica decorrente do TAP realizado pelas sociedades supervisionadas que atuam no mercado securitário, com base nas informações quantitativas oriundas da contabilidade. Empregou-se uma regressão logística, sobre uma amostra composta por 100 observações, entre o primeiro semestre de 2011 a 2014, das sociedades supervisionadas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). No que diz respeito às evidências da pesquisa, destaca-se que grandes companhias (proxy de ativo total) têm uma maior propensão a lançar uma despesa, proveniente do TAP, em seu resultado, fazendo com que o lucro diminua no período. Já pequenas companhias têm uma menor propensão a não lançar uma despesa, oriunda do TAP, no seu resultado, fazendo com que o lucro não se altere. Obteve-se evidências de que empresas com maiores despesas de impostos apresentam uma maior propensão a lançar uma despesa, proveniente do TAP, no seu resultado, fazendo com que o lucro diminua no período, enquanto empresas com menores despesas de impostos apresentam uma menor propensão a não lançar uma despesa, oriunda do TAP, no seu resultado, fazendo com que o lucro não se altere.


Palavras-chave


Escolhas Contábeis; Gerenciamento de Informação Contábil; SUSEP; TAP; Teste de Adequação de Passivo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNATI, V. H. C.; NAKAMURA, W. T.; IUDÍCIBUS, S.; MARION, J. C. A Fase II da norma internacional do relatório financeiro para contratos de seguros. Revista de Investigación en Modelos Financeiros. Buenos Aires, v. 2, n. 2, 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2014.

BRASIL, Conselho Nacional de Seguros Privados. Resolução nº 178/2007.

_______, Conselho Nacional de Seguros Privados. Resolução nº 227/2010.

_______, Conselho Nacional de Seguros Privados. Resolução nº 302/2013.

_______, Conselho Nacional de Seguros Privados. Resolução nº 316/2014.

_______, Superintendência de Seguros Privados. Circular SUSEP nº 410/2010.

_______, Superintendência de Seguros Privados. Circular SUSEP nº 446/2012.

_______, Superintendência de Seguros Privados. Circular SUSEP nº 457/2012

CAMPOS, R. P. S. T. Nota Procuradoria Federal – Superintendência de Seguros Privados - Nº 31/2010. In: Superintendência de Seguros Privados. Minuta de Circular: Processo SUSEP nº 15414.001225/2010-79. Rio de Janeiro, 2010, p. 175.

CORRAR, L. J.; PAULO, E.; FILHO, J. M. D. Análise multivariada para os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo: Atlas, 2014.

DA SILVA, F. L.; CHAN, B. L.; MARTINS, G. A.; FÁVERO, L. P. L. Demandas de Resseguros no Brasil. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. 8. 2008, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: USP, 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2014.

DUARTE, A. A. A estrutura a termo da taxa de juros e seu impacto no Teste de Adequação de Passivo. 2013. 117 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Mestrado em Ciências Contábeis, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), São Paulo, 2013.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FIALKA, J. Implementation of the Liability Adequacy Test in the Czech Republic. In: International Congress of Actuaries. 28. 2005, Paris. Anais eletrônicos… Prague, 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2014.

FIELDS, T. D.; LYS, T. Z.; VICENT, L. Empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics. Massachusetts, v. 31, p. 255-307, 2001.

FRANKLIN JR., S. L.; DUARTE, T. B.; NEVES, C. R.; MELO, E. F. L. A estrutura a termo de taxas de juros no Brasil: modelos, estimação e testes. Economia Aplicada. São Paulo, v. 16, n. 2, p. 255-290, 2012.

HEALY, P. M.; WAHLEN, J. M. A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, Flórida v. 13, n. 4, p. 365-384, 1999.

HOLTHAUSEN, R. W.; LEFTWICH, R. W. The economic consequences of accounting choice: implications of costly contracting e monitoring. Journal of Accounting and Economics. Massachusetts, v. 5, p. 77-117, 1983.

INTERNATIONAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (IASB). International Financial Reporting Standard 4: Insurance Contracts. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2014.

JOSHI, P. L.; SAID, K. Some aspects of the adoption of IFRS-4 (insurance contract) by insurance companies in Bahrain: an exploratory study. International Journal of Managerial and Financial Accounting. Bentley, v. 4, n. 2, p. 125-142, 2012.

LIMA, J. B. N. A relevância da informação contábil e o processo de convergência para as normas IFRS no Brasil. 2010. 236 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

MACHADO, M. R. C. Gestão do risco de subscrição em seguradoras que operam em risco massificado: um estudo de caso. 2007. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

MALACRIDA, M. J. C.; MAK, A. P. Liability Adequacy Test para Planos de Previdência. In: Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, 9, 2012, São Paulo. Anais… São Paulo: USP, 2012.

MARTIRE, A. L. Embedded surrender option pricing for equity-linked policies: comparisons and solutions for bivariate models. 2012. 90 f. Tese (Doutorado em Economia) – Escola de Pós-Graduação em Economia da Universidade de Roma, Roma, 2012.

MATTOS, B. M.; MACEDO, M. A. S. Análise da influência da regulação econômica e tributária no gerenciamento das provisões técnicas constituídas por operadoras de plano de saúde. In: Congresso USP Controladoria e Contabilidade, 14, 2014, São Paulo. Anais… São Paulo: USP, 2014.

NEVES, C. R.; PERES, M. A. S. Aspectos Técnicos a Respeito do Teste de Adequação de Passivos Introduzido pelo IFRS 4. Revista Brasileira de Risco e Seguro. Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 141-152, out. 2009/mar. 2010.

PARASKEVOPOULOS, A.; MOURAD, A. M. IFRS 4: Introdução à Contabilidade Internacional de Seguros. São Paulo: Saraiva, 2009.

RIBEIRO, A.; VIEIRA, D. M.; PEREIRA, F. C.; MARTINS, H. M. T.; PAVÃO, H. E. M.; DOHERTY, L.; MILANI, M. F.; RIBEIRO, P. L.; D´AVILA, R. M.; AMARAL, R. P.; RIGUEIRA, T.; AYRES, T. Nota técnica sobre o Teste de Adequação de Passivos (TAP). Rio de Janeiro: Funenseg, 2012.

RODRIGUES, A. Gerenciamento da informação contábil e regulação: evidências no mercado brasileiro de seguros. 2008. 150 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SANTOS, O. M. Lobbying na regulação contábil e qualidade da informação: evidências do setor petrolífero. 2012. 257 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SILVA, D. C. Regulamentação de Seguro. In: Superintendência de Seguros Privados. Minuta de Circular: Processo SUSEP nº 15414.002623/2012-74. Rio de Janeiro, 2012, p. 105.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS. Minuta de Circular: Processo SUSEP nº 15414.001225/2010-79. Rio de Janeiro, 2010, p. 1-321.

___________________________________________. Minuta de Circular: Processo SUSEP nº 15414.004259/2012-87. Rio de Janeiro, 2012, p. 1-56.

___________________________________________. Minuta de Circular: Processo SUSEP nº 15414.002623/2012-74. Rio de Janeiro, 2012, p. 1-105.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. Towards a positive theory of the determination of accounting standards. The Accounting Review. Califórnia, v. 53, n. 1, p. 112-134. 1978.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2018v16i2.520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Rafael Simão Gonçalves

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.