SÍNDROME DO ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE CATASTRÓFICA: REVISÃO DE LITERATURA

Natália Tomich Paiva Miranda, Luciane de Andrade Rocha, Maíra de Paula Barbosa, Vinícius Schammass Penatti, Felipe Moura Parreira

Resumo


A síndrome do anticorpo antifosfolípide catastrófica (SAC) é uma doença auto-imune que se caracteriza pela oclusão vascular generalizada, associada à falência de múltiplos órgãos, acompanhada de elevados níveis de anticorpos antifosfolípides (aPL). A SAC é caracterizada como emergência reumatológica em virtude de sua rápida evolução e alta taxa de mortalidade. Tem início súbito sendo caracterizada pelo acometimento de pelo menos três órgãos simultaneamente. Histopatologicamente, o quadro se manifesta pela trombose em múltiplos vasos. A terapia indicada baseia-se nos fatores precipitantes, sendo as mais utilizadas a antibioticoterapia associada a anticoagulação, corticosteróide intravenoso (IV), gamaglobulina endovenosa e plasmaferese. Dessa forma, torna-se necessária a realização do diagnóstico preciso e do uso de uma terapia agressiva na tentativa de possibilitar maior sobrevida ao paciente. O presente artigo tem por objetivo apresentar as principais características, tratamento e diagnóstico da SAC, devido ao seu alto grau de letalidade levando à óbito 50% dos casos mesmo sob tratamento agressivo.


Palavras-chave


síndrome antifosfolípide catastrófica, trombose, doenças autoimunes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2019v17i2.713

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Luciane de Andrade ROCHA, Maíra de Paula BARBOSA, Vinícius Schammass PENATTI, Natália Tomich Paiva Miranda, Felipe Moura PARREIRA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.