A FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA NEOPENTECOSTAL E O LUGAR DO AMOR E DA RELIGIOSIDADE NA RELAÇÃO CONJUGAL

Patrícia Brandão Amorim, Daniel Rodrigues Silva

Resumo


O presente estudo procura compreender a relação existente entre sexualidade e religiosidade na relação conjugal de mulheres evangélicas de uma igreja com denominação neopentecostalda zona rural do Município de Lajinha/MG. Observam-se as práticas adotadas pelo grupo através dos comportamentos e normas sociais adotadas a sobre a sexualidade das mulheres rurais e a possível influência da religião na conduta pessoal e íntima de suas adeptas. Trata-se de um estudo de caso realizado com mulheres de idades compreendidas entre 18 e 60 anos. Neste universo estão envolvidas 211 mulheres que frequentam a igreja, incluindo batizadas, não batizadas e as frequentadoras eventuais. Para a pesquisa aplicou-se a metodologia qualitativa, onde foram feitas observações participantes e entrevistas com um roteiro semiestruturado. As entrevistadas trazem consigo evidências de conflitos e ambiguidades em suas trajetórias sexuais, onde pode-se observar a influência de mitos e crenças provenientes de uma rígida educação familiar influenciando fortemente em seu modo de vida atual. Observou-se que a religião atua efetivamente no casamento e na vida conjugal das mulheres. As mulheres têm orientação e auxílio, e recorrem à igreja quando se deparam com algum problema familiar importante de difícil resolução para elas, obtendo na igreja o alicerce que lhes dá força para enfrentar os dissabores do casamento, como por exemplo, o adultério. Os conceitos de amor e sexo são reelaborados de acordo com a orientações religiosas de forma a ordenar uma identidade que busque traduzir uma personalidade equilibrada e íntegra de acordo com o que preconiza a denominação em estudo.

 


Palavras-chave


PALAVRAS-CHAVE: sexualidade, religiosidade, casamento, igreja, família.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BESSA, Daniela Borja. A batalha espiritual e o erotismo. Revista de Estudos da Religião, n. 1, p. 39-49, 2006.

GABATZ, Celso. As mulheres nas igrejas neopentecostais: a busca pelo protagonismo em meio a tradições hegemônicas. Sociedade e Cultura, v. 19, n. 2, 2016.

DANTAS, Bruna Suruguay do Amaral. SEXUALIDADE E NEOPENTECOSTALISMO, 2006. Tese de Doutorado. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO.

GABATZ, Celso. Idiossincrasias religiosas contemporâneas: Qual o lugar das mulheres nas Igrejas Neopentecostais?. Revista Pistis&Praxis: Teologia e Pastoral, v. 10, n. 1, 2018.

DE ALBUQUERQUE MARANHÃO FILHO, Eduardo Meinberg. " Nós somos a dobradiça da porta": notas preliminares sobre as mulheres na Bola de Neve Church. Mandrágora, v. 18, n. 18, p. 81-106. (2012)

KREHER, Rodrigo; GUARESCHI, Neuza Maria de Fátima. Ou caminha com Deus ou dança com o Diabo: igrejas neopentecostais e o dispositivo da sexualidade. Desidades: revista eletrônica de divulgação científica da infância e da juventude. Rio de Janeiro: UFRJ, 2013-. Vol. 5, n. 17 (out./dez. 2017), p. 23-34, 2017.

VIEIRA, Matheus Machado. “Mulheres cristãs, mulheres virtuosas, mulheres ideais”: 1-A representação feminina na literatura de aconselhamento da pastora Sarah Sheeva e da escritora cristã StormieOmartian. II SIMPÓSIO DA ABHR – XV SIMPÓSIO NACIONAL DA ABHR. História, Gênero e Religião – Violências e Direitos Humanos. 25 a 29 de Julho de 2016.

NUNES, Ana Paula. A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE FEMININA NA MÍDIA NEOPENTECOSTAL: uma análise da Folha Universal. Biblioteca Latino-Americana de Cultura e Comunicação, v. 1, n. 1, 2012.

DANTAS, Bruna Suruagy Do Amaral. Sexualidade, cristianismo e poder. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 10, n. 3, 2010.

SILVEIRA, J. P. Narrativas religiosas e a modernidade tardia: entre a adesão e a rejeição do mundo. Mneme - Revista de Humanidades, v. 12, n. 29, 12 jul. 2011.

VERGARA, Elias Mayer. Visões religiosas alternativas sobre sexualidade. Sexualidade e política na Ámerica Latina: Histórias, interseções e paradoxos, p. 350-359, 2011.

DA SILVA PIMENTEL, Fernanda. Psiquê nos Domínios do Demônio–um olhar sobre a relação entre exorcismo e cura em um grupo de mulheres fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus1. Revista de Estudos da Religião, v. 2, 2005.

CORDOVIL, Daniela. Sexualidade, gênero e poder: uma análise da participação feminina em políticas públicas para afrorreligiosos em Belém, Pará/Sexuality, genderandpower: ananalysisofthefemaleparticipation in public policies for afro-religiouspeople in Belém, Pará. PLURA, Revista de Estudos de Religião/PLURA, Journal for theStudyofReligion, v. 4, n. 2, jul-dez, p. 149-163, 2014.

DE FRANCO, Clarissa. ANA KEILA MOSCA PINEZI. Revista Último Andar, n. 26, p. 006-016, ISSN 1980-8305, 2015

DA CRUZ, DENISE APARECIDA RIBEIRO. FAMÍLIAS RESTAURADAS: CASAMENTO E SEXUALIDADE NA LITERATURA DE AUTO-AJUDA E ACONSELHAMENTO DA RCC. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2011. Disponível em: http://www.historia.ufpr.br/monografias/2011/2_sem_2011/denise_aparecida_ribeiro_cruz.pdf

DE ALMEIDA, Vanessa Renata; DA SILVA, Cristiane Gonçalves. GÊNERO E RELIGIOSIDADE: DECIFRANDO A CONSTRUÇÃO DOS PAPEIS SOCIAIS ENTRE JOVENS DA ÁREA CONTINENTAL DE SÃO VICENTE/SP. CONEDU – Congresso Nacional de Educação – 18 a 20 de Setembro de 2014. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

BANDINI, Claudirene. Costurando certo por linhas tortas: práticas Femininas em igrejas pentecostais. Salvador: Pontocom, 2014.

OLIVEIRA FILHO, Paulo Gilberto de. A construção das relações de gênero na mídia da Igreja Universal do Reino de Deus. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012

NETO, Ana Luíza Gouvêa. Mulheres na Assembleia de Deus: para se pensar a categoria gênero além do estruturalismo. Numen, v. 18, n. 2, 2016.

BUTLER, Judith. O gênero é uma instituição social mutável e histórica. Net. IHU On-Line. Entrevista concedida a Revista IHU On-Line. Disponível em:< http://www. unisinos. br/ihuonline/index. php, 2006.

NETO, Ana Luíza Gouvêa. Nacapa e por dentro: uma análise sócio histórica sobre a mulher evangélica em publicações assembleianas. 2015. 148f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015.

WOODHEAD, Linda. As diferenças de gênero na prática e no significado da religião. Revista Estudos Sociológicos, Araraquara, v.18, n.34, p.77-100, jan./jun. 2013.

MAFRA, Clara; SWATOWISKI, Claudia; SAMPAIO, Camila. O Projeto Pastoral de Edir Macedo: uma igreja benevolente para indivíduos ambiciosos? Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 27, n. 78, p. 81-96, 2012.

DE PAULA BANDINI, Claudirene. Gênero e poder na Igreja Universal do Reino de Deus. HORIZONTE-Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 13, n. 39, p. 1410-1426, 2015.

ASSAD, Elias Mattar. Poligamia Constitucional Brasileira. Disponível em: Acesso em: 09 de mar. 2007

BAMPI, Maria Alice Moreira. Poder, opressão e dependência na construção da subjetividade feminina. Rio de Janeiro, 2001. Acesso em: 13 nov. 2001.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70. 1977.

BECKER, H. S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1993.

BRASIL, IBGE. Censo demográfico 2010. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm Acesso em: 04/09/2018

BLANK, Renold J. Ovelha ou Protagonista? 1ª ed.São Paulo: Paulus, 2006.

CICOUREL, A. Teoria e Método em Pesquisa de Campo. In: GUIMARÃES, A. Z. Desvendando Máscaras Sociais. 3. ed. Rio de Janeiro: Livraria Franco Alves, 1990, pp. 87-121.

COUTO, M. T. Na trilha do gênero: observando a trajetória de estudos sobre pentecostalismo e CEBs. Revista Estudos Feministas, Santa Catarina, v. 10, n. 2, 2002.

MACHADO, Maria Das Dores Campos. Representações e relações de gênero nos grupos pentecostais. Artigo. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2005

MARIZ, Cecília L. Comunidades de Vida no Espírito Santo: um novo modelo de família? Rio de Janeiro: Departamento de Ciências Sociais/ IFCH/UERJ, 2004

NÉRI, Marcelo. A ética católica e o espírito da revolução feminina. Revista Conjuntura Econômica. Maio 2005.

NICOLAU, Gina ValbãoStrozzi. Os Batistas e as Novas Concepções Sobre a Sexualidade Feminina. Disponível em: . Acesso em 10/09/2005.

PIMENTEL, Fernanda da Silva. Psique nos Domínios do Demônio – um olhar sobre a relação entre o exorcismo e cura em um grupo de mulheres fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus. REVER – Ano 2005. ISSN 1677-1222

RODRIGUES, Cátia S. Lima. Católicas e Femininas: Identidade Religiosa e Sexualidade de Mulheres Católicas Modernas. Revista de Estudos da Religião, Nº 2/2003/pp.36-55. ISSN 1637-1222.

ROTHMAN, F. D. O Estudo de Caso como Método Científico de Pesquisa. In: 1° SIMPÓSIO DE ECONOMIA FAMILIAR, 1994, Viçosa. “Economia Familiar: uma olhada sobre a Família nos anos 90”. Viçosa: Imprensa Universitária, 1994.




DOI: https://doi.org/10.21576/rpa.2019v17i2.715

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais