AS PRAÇAS COMO ESPAÇOS DE CONEXÃO DA CIDADE: UM ESTUDO DAS PRAÇAS DE MANHUMIRIM-MG

Elizandra Heringer Batista

Resumo


Manhumirim recebeu uma série de melhorias a partir de 1924, onde surgiu também a primeira Câmara Municipal sob a presidência do o Dr. Alfredo Soares de Lima que, com visão transformadora, mudou a perspectiva do município onde também se preocupou com a vida dos cidadãos. A partir do segundo semestre de 1924 a cidade se desenvolve a passos largos, sua área urbana apresenta visual de cidade nova e bom padrão de vida, a partir desse progresso são instalados novas residências, comércios e serviço. A praça é um local intrínseco da cidade e refere-se ao espaço público aberto que é destinado a lugar de encontro e lazer da população. O estudo tem como objetivo demonstrar a importância da qualificação das praças de Manhumirim enquanto espaços de conexão da cidade, com foco na utilização saudável destinado ao uso de pessoas. Tem-se como metodologia, além de pesquisa bibliográfica, o processo metodológico que consiste na análise qualitativa realizada por meio de visitas in loco utilizando a metodologia proposta por De Angelis (2004). Manhumirim possui doze praças e todas obtiveram desenvolvimento acompanhando o progresso do município. Comprova-se com a metodologia analisada que todas as doze praças da cidade apresentam problemas comuns como: escassez de mobiliário, equipamentos de recreação, iluminação para assegurar a segurança, acessibilidade e arborização adequada. Então é necessário repensar os espaços públicos abertos de lazer da cidade para que a apropriação do espaço seja eficaz e atenda as necessidades dos usuários.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.