ABORDAGEM NA PREVENÇÃO DE FRATURAS EM PACIENTES IDOSOS

Danilo Costa da Silva

Resumo


A transição demográfica é um evento no qual não podemos ignorar, o Brasil e o mundo estão passando por essa mudança de perfil populacional. O aumento na expectativa de vida das pessoas vem acompanhado também do aumento de ocorrência de quedas e consequentemente de fraturas. Neste artigo de revisão foram usados Artigos científicos, Revistas de publicações científicas, Teses de doutorado, além de pesquisas em bancos de dados eletrônicos, que estão entre as datas de 1963 e 2018. O envelhecimento requer maior cuidado com o corpo devido ao declínio fisiológico, assim os medicamentos passam a ser rotina na vida dessa pessoa, o que pode reduzir a parte motora, psíquica e de orientação de tempo e espaço. As comorbidades são um agravante, quando associada a uma queda, torna-se pior o prognóstico desse idoso, tanto para o tratamento da condição já instalada quanto para a reabilitação pós um evento de queda. Todo idoso deveria praticar atividade física de acordo com sua capacidade, tendo com isso um ganho de massa e condicionamento físico, evitando quedas e melhorando a saúde em um todo. Mediante isso, a principal medida a ser tomada é a prevenção dessas quedas e de eventos seguintes, mesmo esse idoso tendo todos os agravos citados acima, com ações multidiciplinares em conjunto com os familiares ou cuidadores, pois evitar os acidentes ainda é o melhor tratamento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.