ABORDAGEM OBSTÉTRICA DE GESTANTES AFETADAS PELO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO

Renata Teixeira de Melo Diniz

Resumo


O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença autoimune caracterizada por uma gama de manifestações clínicas e anormalidades sorológicas e, seu espectro clínico varia de leve a grave. O LES ainda é uma doença desafiadora, especialmente no contexto da gravidez, nesse sentido, o objetivo dessa revisão foi divulgar as recomendações existentes sobre o acompanhamento obstétrico entre os profissionais que atendem mulheres grávidas afetadas pelo LES. Com base em uma revisão de literatura, foi realizada uma ampla busca utilizando-se as bases científicas eletrônicas PubMed, Scielo e MedLine chegando a um total de 17 artigos. Foi visto que, está bem estabelecido que grávidas portadoras do LES possuam um risco maior para complicações e desfecho desfavorável, dessa forma o manejo com o obstetra e o reumatologista é fundamental para o acompanhamento desde as orientações pré-concepcional até o puerpério. É de extrema importância que haja assistência adequada e orientada a respeito dos medicamentos usados no tratamento do lúpus e sua relação com a gestação. Em conclusão, as gestantes com Lúpus Eritematoso Sistêmico apresentam um maior risco de complicações, resultados perinatais desfavoráveis e perda da gravidez. Dessa forma, o acompanhamento da equipe multidisciplinar e cuidados pré-natais individualizados devem ser o objetivo principal para se obter resultados satisfatórios

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.