A INFLUÊNCIA DO ESTRESSE NA OTIMIZAÇÃO DOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM UMA COOPERATIVA DE CAFÉ DE MINAS GERAIS

Maria Cândida Aguiar Batista

Resumo


Este estudo teve como objetivo identificar e avaliar o nível de estresse, coping e qualidade de vida de profissionais, observado entre os funcionários de uma cooperativa de café de Minas Gerais. O estudo foi realizado através de uma abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 16 profissionais da equipe da empresa. Aplicaram-se os seguintes modelos teóricos: Job Stress Scale, Coping with Job Stress e WHOQOL-Bref. Os resultados apontaram que os respondentes têm a pontuação mais concentrada em valores médios de estresse, e em relação ao suporte social apresentou-se um baixo índice de seu uso. Profissionais com presença de estresse utilizaram mais as estratégias de evitação ou controle. Em relação às formas de enfrentamento, a grande maioria das estratégias está positivamente relacionada à qualidade de vida e aos níveis de estresse. O maior ponto de correlação (0,74) pode ser percebido na estratégia de administração do estresse relacionada à qualidade de vida física, demonstrando que quando se administra o estresse tem-se uma melhoria em relação a esse fator da qualidade de vida, porém nota-se que em relação ao controle de estresse há uma ligação negativa em relação à mesma. Conclui-se que os profissionais sob alto nível de estresse têm seu desempenho afetado pelo mesmo, porém a grande parte dos respondentes localiza-se nos níveis médio e baixo. Assim, observa-se que os respondentes possuem controle sobre o estresse, procurando como forma principal de enfrentamento a evitação. Os funcionários de uma forma geral possuem uma qualidade de vida positiva em relação aos níveis de estresse e ao seu enfrentamento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.