TROMBOSE VENOSA CEREBRAL EM REGIÃO ENDÊMICA DE FEBRE AMARELA

Matheus de Andrade da Silva

Resumo


A trombose venosa cerebral é uma patologia de baixa incidência , estando habitualmente relacionada com condições clínicas pró-trombóticas hematológicas. O estudo avalia o evento adverso , relacionado com a incidência elevada de trombose venosa cerebral em região endêmica de febre amarela. Analisou-se a incidência de 17 casos, em um intervalo de 5 meses , com quadro clínico de cefaléia refratária recorrente associado a sintomas de hipertensão intracraniana. Os pacientes foram submetidos a propedêutica de imagem por tomografia computadorizada do crânio e angio-ressonância do encéfalo com sinais de alteração de fluxo sanguíneo em seios durais, compatíveis com trombose venosa cerebral . A avaliação epidemiológica revelou que 4 dos pacientes apresentavam fatores de risco para TVC, no entanto, 4 casos manifestaram sinais clínicos e laboratoriais de meningite asséptica . A exposição direta ou indireta ao o vírus vivo atenuado da vacina de febre amarela foi observado em 16/17 pacientes. A investigação sorológica por Isolamento viral, PCR em tempo real , IgM para febre amarela foi realizado em 10 / 17 pacientes , sendo o tempo médio entre o início dos sintomas e a coleta das amostras de 55 dias . Os resultados sorológicos mostraram-se indetectáveis , no entanto o tempo de coleta após 8º dia favorece resultados falso negativos , sendo os dados clínicos e epidemiológicos recomendados para o diagnóstico . O tratamento com anticoagulante foi indicado para 14/17 pacientes . Os controles clínicos e por imagem mostraram recuperação total em 15 pacientes , sendo a melhora funcional parcial em 2 casos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.