O IMPACTO DA CANDIDÍASE ORAL EM PORTADORES DE SÍNDROME DE DOWN.

Alane Torres de Araújo Lima, Anna Carla Silveira Rodrigues, Elisiane de Bona Sartor, Maria Diana Cerqueira Sales

Resumo


O gênero Candida compreende micro-organismos comensais que habitam diversos nichos corporais, como cavidade oral, vagina, pulmões e pele. Entretanto, quando seu equilíbrio com o hospedeiro é rompido, torna-se patogênico, originando diversas infecções, desde pequenas lesões cutâneas até infecções disseminadas via corrente sanguínea. As irregularidades metabólicas, bioquímicas e anatômicas ocasionadas pela Trissomia do cromossomo 21, induzem alterações na microbiota oral, favorecendo assim, a colonização por espécies do gênero Candida. Como consequência disto, as candidíases bucais são umas das infecções mais frequentes em portadores de Síndrome de Down. Embora haja disponibilidade terapêutica para as candidíases bucais, as recidivas constantes justificam a necessidade de novas alternativas para a prevenção e tratamento desta infecção, sobretudo nestes indivíduos. Tendo como suporte esta temática, objetiva-se neste trabalho, através de uma revisão da literatura, analisar os aspectos envolvidos na relação entre a síndrome de Down e a elevada prevalência de colonização e infecção por fungos do gênero Candida na cavidade oral destes indivíduos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.