O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO ATRAVÉS DO AGROTURISMO NA LOCALIDADE DE FORQUILHA DO RIO / DORES DO RIO PRETO – ES.

Aparecida Patrícia Carvalho Machado, Fernanda Rosa Fernandes, Pábulo Bernardi de Souza, Luís Américo Bertolace Júnior

Resumo


O desenvolvimento econômico através do agroturismo tem ganhado destaque no cenário brasileiro. Diante dessa afirmativa o presente estudo tem como objetivo geral abordar a respeito do desenvolvimento econômico através do agroturismo no acesso capixaba do Pico da Bandeira, com destaque para a oferta aos turistas de cafés especiais. Para alcançar o objetivo proposto, a metodologia foi definida como descritiva e a abordagem foi qualitativa e quantitativa, através de pesquisa bibliográfica e pesquisa com aplicação de questionário semiestruturado para a coleta das informações, com uma amostra composta por 11 (onze) empreendedoresdo distrito de Pedra Menina, Dores do Rio Preto - ES. Os resultados apontaram que, os empreendedores acreditam que a oferta de cafés especiais contribuiu de maneira considerável com o desenvolvimento local. Concluiu-se que, 90,9% dos empreendedores entrevistados acredita que a oferta de cafés especiais trouxe novos turistas para a região. Essa oferta também conseguiu impulsionar os produtores locais, visto que 45,5% dos cafés servidos pelos empreendedores é oriunda de pequenos produtores locais. 

 

Palavras-chave: Cafés Especiais;Agroturismo; Desenvolvimento Econômico Local.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Cláudia Margarida Brito Ribeiro de. (Org.). Turismo, sustentabilidade e hospitalidade.Ponta Grossa: Atena Editora, 2019.

ANDRADE, Helga Cristina Carvalho de.Agregação de valor pelo agroturismo: umestudo na cadeiaprodutiva do café em Araponga – MG. Dissertação de Mestrado (Administração). 2015. 121 f. Programa de Pós-Graduação em Administração. Universidade Federal deLavras. Lavras, 2015.

BOAVENTURA, Patricia Silva Monteiro et al. Cocriação de valor na cadeia do café especial: o movimento da terceira onda do café. Rev. Adm. Empres., São Paulo, v. 58, n. 3, p. 254-66, jun. 2018.

BORELLI, Fabricio. O cluster turístico como alternativa de desenvolvimento regional na microrregião polo Caparaó (ES).Dissertação Mestrado (Planejamento Regional e Gestão de Cidades). 2007. 191 f. Programa dePós-graduação em PlanejamentoRegional e Gestão deCidades. Universidade Cândido Mendes. Campos dos Goytacazes, 2007.

BRASIL. Café no Brasil. Brasília, 2018. Disponível em:

br/assuntos/politica-agricola/cafe/cafeicultura-brasileira>. Acesso em: 18 ago. 2019.

BRASIL. Ministério do Turismo. Roteiros do Brasil: Turismo e Sustentabilidade. Brasília: Ministério do Turismo, 2007.

BRASIL. Ministério do Turismo. Redes sociais ajudam a divulgar destinos e atrair visitantes. Brasília, 2015. Disponível em:

s-not%C3%ADcias/5545-o-turismo-turbinado-pelas-redes-sociais.html>. Acesso em: 18 ago. 2019.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB. Acompanhamento da safra brasileira: café. Brasília:CONAB, 2014.

DELGADO, Guilherme Costa. Texto para discussão no 1025 - o setor de subsistência na economia e na sociedade brasileira: gênese histórica, reprodução e configuraçãocontemporânea. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, 2004.

DIAS, Reinaldo. Introdução ao turismo. São Paulo: Atlas, 2005.

FIDELIS, Leandro. Dores do Rio Preto cresce com turismo e cafés especiais, mas falta emprego. Dores do Rio Preto, 2018. Disponível em:

cias.com/2018/03/dores-do-rio-preto-cresce-com-turismo-e-cafes-especiais-mas-falta-emprego/>. Acesso em: 18 ago. 2019.

GAZETA ONLINE. Verão além das praias: Espírito Santo tem boas opções de cachoeiras. Vitoria, 2018. Disponível em:

/01/verao-alem-das-praias-espirito-santo-tem-boas-opcoes-de-cachoeiras-1014114036.html>. Acesso em: 18 ago. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA – IBGE. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo Demográfico 2010. Brasília: Ministério doPlanejamento, Orçamento e Gestão, 2010.

PAVÃO, Andressa Rodrigues. Estrutura socioeconômica do Estado do Espirito Santo: uma análise partir da matriz de contabilidade social regional. Tese de Doutorado (Ciências). 2013. 133 f. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Universidade de São Paulo. Piracicaba, 2013.

PIRES, Mônica de Moura et al. Impactos do crescimento do consumo de cafés especiais na competitividade inter-regional da atividade cafeeira. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 41, n. 3, p. 53-71, 2003.

PODESTÁ, Rita de; SIX, Cacaio. Parque Nacional do Caparaó. Belo Horizonte, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2019.

RODRIGUES, AdyrBalastreri. Turismo e espaço: rumo a um conhecimento transdisciplinar. São Paulo: HUCITEC, 1977.

SANTANA, Adelmir(Org.). Café do Brasil. Brasília: Serviço Social do Comércio SESC, 2018.

SANTOS, Rodrigo Amado dos; BERTOLDI, Juliane. O desenvolvimento da atividade turística: entendimentos, questionamentos e acepções a prática deste fenômeno e suas relações com o segmento da melhor idade. Rev. Cient. Elet. Turismo, São Paulo, v. 9, n. 16, p. 01-17, jan. 2012.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. Mercado de Cafeteria. Brasília, 2014. Disponível em:

mercados.com.br/wp-content/uploads/2015/10/2014_06_26_BO_Maio_Turismo_Caf

eteria_pdf.pdf>. Acesso em: 17 ago. 2019.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. O potencial transformador do turismo. Brasília, 2018. Disponível em:

ial-transformador-do-turismo/5ad65a59aa99b919008c9661>. Acesso em: 17 ago.2019.

SECRETARIA DE ESTADO DE TURISMO DO ESPIRITO SANTO - SETUR-ES. Região do Caparaó. Vila Velha, 2019. Disponível em:

-do-caparao>. Acesso em: 17 ago. 2019.

SILVA, Luana Vitorino da et al. Marketing de lugares e suas perspectivas na revolução do café de qualidade: um estudo na região de Caparaó – MG. In: IV Seminário Científica da FACIG. Manhuaçu: Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu, 2018.

SILVEIRA, Aline Vargas da; MORELATO, Andressa daSilveira. O turismo sustentável como estratégia de preservação da paisagem cultural na região do Caparaó. Labor & Engenho, Campinas, v. 5, n. 2, p. 110-126, jan. 2011.

TELES, Susana. Fatores determinantes na definição da estratégia de uma companhia aérea. Dissertação de Mestrado (Gestão Estratégica e Desenvolvimento do Turismo). 2006. 162 f. Curso de Gestão Estratégica e Desenvolvimento do Turismo. Universidade da Madeira. Funchal, 2006.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 5ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.