SANEAMENTO BÁSICO EM MANHUAÇU: IMPACTOS NO MEIO AMBIENTE, NA SAÚDE PÚBLICA E NA ECONOMIA

Cristiane Pereira Guimarães, Quésia Klem Horsts de Oliveira, Társis Marcos de Matos Corrêa, Maria Geralda de Miranda

Resumo


Saneamento básico é um direito previsto por lei, mas negligenciado pelo poder público, o que coloca em risco o meio ambiente e a saúde humana. Por meio de levantamento de dados junto ao sistema de informações do SUS (DATASUS) sobre morbidade hospitalar e a órgãos governamentais, buscou-se refletir sobre o panorama relacionado ao tratamento de esgoto do município de Manhuaçu, Minas Gerais. Os resultados do estudo demonstraram que o município não possui tratamento de esgoto e que doenças infecciosas e parasitárias foram responsáveis por muitas internações hospitalares entre os anos 2008 a 2018. O estudo apresenta também os inúmeros benefícios econômicos, sociais e ambientais para uma região quando se faz o tratamento adequado de esgoto, e que, portanto, são necessários mais investimentos nesse setor.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Agência Nacional de Águas. Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil 2018: informe anual. Brasília. ANA, 2018.

BRASIL. Lei nº 11.445, 05 de janeiro de 2007. Diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de saneamento básico.

BRASIL. Instituto Trata Brasil: Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento Brasileiro, 2018. Disponível em http://www.tratabrasil.org.br/images/ estudos/itb/beneficios/Relat%C3%B3rio-Benef%C3%ADcios-do-saneamento-no-Brasil-04-12-2018.pdf. Ultimo acesso em 04 de junho de 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes para atuação em situações de surtos de doenças e agravos por de veiculação hídrica: 2018. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_agravos_veiculacao_hidrica.pdf. Ultimo acesso em 01 de agosto de 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS (Datasus). Informações de saúde. Morbidade hospitalar. Doenças infecciosas e parasitárias. Disponível em http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sih/cnv/nimg.def. Ultimo acesso em 04 de junho de 2019.

BRASIL. Plano Municipal De Saneamento Básico Manhuaçu – Mg, Manhuaçu, 2015. Disponível em http://www.manhuacu.mg.gov.br/abrir_arquivo.aspx/PRODUTO_FINAL_PA

RA_CONSULTA_POPULAR?cdLocal=2&arquivo=%7BDEAE62EE-8B38-D6BC-B3DB-0DECC8C81DE4%7D.pdf. Último acesso em 04 de junho de 2019.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto. Disponível em http://app4.cidades.gov.br/serieHistorica/. Ultimo acesso em 04 de junho de 2019.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDUSTRIAS. Impactos Fiscais Decorrentes do Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento do Saneamento Básico (REISB), Brasília, 2017.

FERREIRA, M. P.; GARCIA, M. S. D. Saneamento básico: meio ambiente e dignidade humana. Dignidade Re-Vista, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 12, 2017.

FERRARI, J. C. Gestão de Custos em Obra de Rede de Esgoto Sanitário: Custo Orçado x Custo Real. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009

REAMI, L. Aplicação de métodos multicriteriais de apoio à tomada de decisão para escolha de tecnologia de tratamento de esgoto: estudo de caso de Restinga, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

SOUSA, C. D. S. S.; SOUSA, S. C. S.; ALVARES, A. M. Diretrizes normativas para o saneamento básico no Brasil Normative guidelines towards basic sanitation policy in Brazil. Caderno de Geografia, Maranhão, v.25, n.43, 2015, pg. 102-115, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.