FATORES DE RISCO ASSOCIADOS A QUEDA DE IDOSOS

Larissa Alvim Mendes, Ana Luiza Veloso Lima, Danielle Mendes Pinheiro, Fagner Henrique Costa, Júlia Spala Aguiar, Jadilson Wagner Silva do Carmo

Resumo


Resumo: Com o aumento da expectativa de vida a população idosa vem crescendo consideravelmente, o que redobra a atenção que deve ser dada à essa faixa etária. Dadas algumas fragilidades inerentes à idade é muito comum ocorrências de quedas que devem-se a fatores extrínsecos e intrínsecos, como uso intensificado de medicamentos e patologias presentes nas fisiologias senil. A poli farmácia está entre os fatores que mais predispõem a acidentes envolvendo idosos devido à interação medicamentosa. Sabemos que essa população está em constante uso de benzodiazepínicos, antidepressivos e neurolépticos, além de outros possíveis medicamentos, tais como, anti-hipertensivos, diuréticos e estatinas que potencializam a interação medicamentosa, provocando, assim, a instabilidade postural do paciente. Dessa forma, é fundamental conscientizar pacientes e seus familiares dos cuidados necessários na prevenção de quedas a fim de evitar as limitações de sua independência, redução da qualidade de vida e até mesmo incapacidade.


Texto completo:

PDF

Referências


AIOLFI, Claucia Raquel et al. Adesão ao uso de medicamentos entre idosos hipertensos. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 397-404, jun. 2015.

ALMEIDA, SionaraTamanini de et al. Análise de fatores extrínsecos e intrínsecos que predispõem a quedas em idosos. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 58, n. 4, p. 427-433, ago. 2012.

COUTINHO, Evandro da Silva Freire; SILVA, Sidney Dutra da. Uso de medicamentos como fator de risco para fratura grave decorrente de queda em idosos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18, n. 5, p. 1359-1366, out. 2002.

GASPAROTTO, Lívia Pimenta Renó; FALSARELLA, Gláucia Regina; COIMBRA, Arlete Maria Valente. As quedas no cenário da velhice: conceitos básicos e atualidades da pesquisa em saúde. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 201-209, mar. 2014.

HAMRA, Alberto; RIBEIRO, Marcelo Barbosa; MIGUEL, Omar Ferreira. Correlação entre fratura por queda em idosos e uso prévio de medicamentos. Acta ortop. bras. São Paulo, v. 15, n. 3, p. 143-145, 2007.

HUF, Gisele; LOPES, Claudia de Souza; ROZENFELD, Suely. O uso prolongado de benzodiazepínicos em mulheres de um centro de convivência para idosos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 16, n. 2, p. 351-362, jun. 2000.

LIMA, Daniele; CEZARIO, Vania. Quedas em idosos e comorbidades clínicas. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, v. 13, n. 2, 2014.

MACIEL, Arlindo. Quedas em idosos: um problema de saúde pública desconhecido pela comunidade e negligenciado por muitos profissionais da saúde e por autoridades sanitárias brasileiras. Revista Medicina Minas Gerais. Belo Horizonte, v.20, n. 554557.

MEIRA, Rafael Souza; JUNIOR, Jairo Teixeira. Comparação nos níveis de equilíbrio estático e dinâmico de idosos praticantes e não praticantes de exercícios físicos. In: Anais do Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEG (CEPE)(ISSN 2447-8687). 2018.

PRADO, Maria Aparecida Medeiros Barros do; FRANCISCO, Priscila Maria S. Bergamo; BARROS, Marilisa Berti de Azevedo. Uso de medicamentos psicotrópicos em adultos e idosos residentes em Campinas, São Paulo: um estudo transversal de base populacional. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília , v. 26, n. 4, p. 747-758, Dec. 2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.