ESTUDO DE CASO: ESTRATÉGIAS DA FAZENDA CAFÉ NINHO DA ÁGUIA NA PRODUÇÃO DE CAFÉS ESPECIAIS

Carlos Henrique Cruz, Alexander Ribeiro Lacerda, Maria Geralda de Miranda

Resumo


Ao longo da história, o Brasil se notabilizou por ser o maior produtor e exportador de café mundial. No entanto, a qualidade não era uma prioridade e o café convencional vivencia uma crise de preços alavancada pelo excesso de grãos no mercado. Paralelamente, os hábitos de consumo mudaram e surgiram verdadeiros rituais em torno de um bom café. Aproveitando a nova onda do setor, o segmento dos cafés especiais apresenta maior taxa de crescimento. O consumidor paga até 40% de ágio por um produto de qualidade superior.  A Fazenda Café Ninho da Águia soube aproveitar dessa mudança de perfil. A propriedade encravada na Serra do Caparaó, em Minas Gerais, se notabilizou nos últimos anos por produzir o melhor café do Brasil (2014 e 2015) no concurso da Semana Internacional do Café e virou referência em transformar os cafés de qualidade inferior em um produto com alto valor agregado. O objetivo do presente artigo é analisar a transição da fazenda convencional para um núcleo de cafés especiais, apontando estratégias adotadas pela nova geração de cafeicultores e sugerindo um caminho que pode ser trilhado por outras propriedades. O resultado é um roteiro de ações para obter vantagem competitiva no segmento.


Texto completo:

PDF

Referências


ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café). O café brasileiro na atualidade. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2019.

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café). Brasil se destaca na produção de cafés especiais. 11 out. 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2019.

CAFÉ NINHO DA ÁGUIA. Disponível em: Acesso em: 20 de maio de 2019.

CAVALINI, Flavia Cristina. GRANATO, Paula Rodrigues. NEVES, Ademir Diniz. GALVÃO, Tauana Pinheiro Machado. Proposta de agregação de valor em cafés especiais procedentes da agricultura familiar. Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.5 n.10, jul-dez/2016.

CECAFE (Conselho dos Exportadores de Café). Dados Estatísticos: Consumo Interno. Disponível em: . Acesso em 22 maio 2019a.

CECAFE (Conselho dos Exportadores de Café). Dados Estatísticos: Consumo Mundial. Disponível em: Acesso em 22 maio 2019b.

COMMODITIES. In: SIGNIFICADOS. 22 abr. 2014. Disponível em: Acesso em 15 maio 2019.

CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento). Levantamento indica produção de 50,92 milhões de sacas de café em 2019. 16 maio 2019. Disponível em . Acesso em 22 maio 2019.

CRUZ, Cesar Waddington. Café Fazenda Ninho da Águia: um estudo de caso sobre a internacionalização de uma fazenda produtora de café especial. (Dissertação de Mestrado) Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2016.

FERREIRA, J. R.; ANDRADE, L. M. M. de; MADEIRA, P. A. Branding: um estudo de caso do “Café Fazenda Ninho da Águia”. In: IV Seminário Científico da FACIG (2018).

FREDERICO, Samuel; BARONE, Marcela. Globalização e cafés especiais: a produção do comércio justo da Associação dos Agricultores Familiares do Córrego D’Antas - ASSODANTAS, Poços de Caldas (MG). Soc. nat., Uberlândia, v. 27, n. 3, p. 393-404, Dez. 2015.

GRÃO GOURMET. Diferença entre café gourmet, café especial e tradicional. Disponível em: . Acesso em 14 maio 2019.

KANETO, Gabriela. Consumo de cafés especiais ajudou a impulsionar crescimento de 4,8% no Brasil 2019. Revista Espresso. 06 fev. 2019. Disponível em: Acesso em 15 maio 2019.

MARTINS, Ana Luiza. História do Café. 2ª edição. Contexto: São Paulo, 2008.

MATAS DE MINAS. Região das Matas de Minas. Disponível em: . Acesso em 19 maio 2019.

MONTEIRO, C. B. Resultados [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por e-mail. em 22 maio 2019.

MOTTA, Jéssica de Souza; JACOMEL, Naiana Barbosa; SILVA, Elisângela Freitas da Silva. A tendência do consumo de café especial e a consolidação de estratégias como vantagem competitiva da Fazenda Ninho da Águia. In: 11º ENTEC – Encontro de Tecnologia – Uniube: 2017.

PAULANI, L. Acumulação e rentismo: resgatando a teoria da renda de Marx para pensar o capitalismo. Paper, Rio de Janeiro, ANPEC, 2012.

PEREIRA, S. P.; AGUIAR NETO, A. P.; PRADO, A. S.; AGUIAR, C. M. G. de; DIAS, R. A. A. Descrição dos benefícios da certificação em propriedades cafeeiras: Estudo de Caso na Fazenda Ponto Alegre. Trabalho apresentado no Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil (7.: 2011 : Araxá, MG). Anais Brasília, D.F: Embrapa - Café, 2011.

PIRES, M. de M; CAMPOS, A. C.; BRAGA, M. J. e RUFINO, J. L. dos S. Impactos do crescimento do consumo de cafés especiais na competitividade inter-regional da atividade cafeeira. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 41, n. 3, p. 53-71, 2003.

SOUZA, M. C. M. Cafés sustentáveis e denominação de origem: a certificação de qualidade na diferenciação de cafés orgânicos, sombreados e solidários. (Tese de Doutorado) Universidade de São Paulo. São Paulo, 2006.

SOUZA, M. C. M., SAES; M. S. M.; OTANI, M. N. Pequenos produtores familiares e sua inserção no mercado de cafés especiais: uma abordagem preliminar. Informações Econômicas. Instituto de Economia Agrícola, São Paulo, v. 32, n.11, 2002. p. 16-26.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.