CAPITÃES DA AREIA: UMA ANÁLISE LITERÁRIA DO DESCASO DO ESTADO EM RELAÇÃO AO MENOR ABANDONADO

Marcilaine Cristina Dutra, Carolina Garcia Mendes, Oswaldo Thadeu Miranda Fernandes Júnior, Fernanda Franklin Seixas, Andréia Almeida Mendes, Lídia Maria Nazaré Alves Alves

Resumo


O presente trabalho estuda a relação entre Literatura e Direito, sendo escolhida a obra ''Capitães da Areia'', de Jorge Amado, como objeto de análise, a fim de abordar a questão da criança abandonada e o descaso do Estado em relação a elas, face a legislação vigente na época, o Código de menores, em paralelo a lei atual, o Estatuto da Criança e do Adolescente. Os estudos voltados ao Direito e à Literatura, mostram a Literatura como uma forma de melhor compreender os fenômenos jurídicos, cuja percepção é limitada pelo tecnicismo. “Capitães da Areia'', ao abordar como tema crianças abandonadas, denuncia a marginalização e a repressão sofrida por elas e mostra como funcionava o controle da delinquência juvenil à época, possibilitando um diálogo com a legislação atual. Para traçar um paralelo com a sociedade atual, será evidenciado como o abuso de poder e da violência, vistos nas figuras daqueles que representam o Estado, como um todo, afastam as crianças de instituições que deveriam acolhê-las, fazendo com que estas prefiram viver à margem da sociedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.