O PROCESSO DE ESTUDO DE TEMPOS

Renata Cardoso Leião, Marcus Vinícius Barbosa Soares, Israel Iasbik, José Damato Neto

Resumo


O estudo de tempos surgiu em 1881, sendo introduzido por Frederick Taylor. Esse estudo proporciona a determinação do tempo padrão, e análises de custos e eficiência das máquinas. O estudo de tempos apresenta uma relação com o layout, ergonomia e materiais. O objetivo do presente trabalho é revelar as fases do estudo de tempos, demonstrando o mecanismo de uso das fórmulas. Destacam-se os
quatro tipos de layouts existentes, sendo o layout posicional, por processo, celular, e por produto (ou em linha). O termo ergonomia é apresentado, sendo um fator importante para a produção. A ergonomia analisa o ambiente de trabalho, proporcionando bem estar ao ser humano e melhorias ao processo produtivo. Os suprimentos de uma empresa devem ser bem administrados no ato da compra, visando o atendimento das necessidades. A seleção dos documentos consultados foi baseada em autores que dispusessem das informações concretamente. O estudo de tempos é um processo de análise, contendo diversas etapas. O cronometrista é o profissional que executa o estudo. Os principais equipamentos usados são o cronômetro e a filmadora. Utiliza-se uma folha de observações para a realização de anotações. Inicialmente deve-se buscar a colaboração dos líderes e colaboradores da empresa, de forma que o estudo atinja um resultado satisfatório. O estudo de tempos proporciona aspectos favoráveis à empresa. O mesmo deve ser analisado
após a definição do layout adequado, ressaltando a aplicação dos conceitos da ergonomia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.