AVALIAÇÃO DO RISCO DE PROPAGAÇÃO DE INCÊNDIOS: UM ESTUDO DE CASO CONSIDERANDO SEPARAÇÃO DE EDIFICAÇÕES COM FACHADAS NÃO PARALELAS

George Martins Mariani, Stanley Schettino, Luciano José Minette, Marco Túlio Gomes de Freitas, Vinícius de Castro Quirico

Resumo


Este estudo teve como objetivo identificar, através de um estudo de caso, se as edificações comerciais analisadas, com fachadas não paralelas, estão adequadamente separadas de forma a isolar externamente os riscos de propagação do incêndio por radiação de calor, convecção de gases quentes ou transmissão de chama. Essa separação visa evitar que o incêndio proveniente de uma edificação se propague para outra, ou ainda, de forma a retardar a propagação do incêndio permitindo a evacuação dos
seus trabalhadores. A metodologia adotada foi uma análise da separação externa de duas edificações quanto ao risco de propagação de incêndio. Foram utilizadas como referência as Instruções Técnicas do Corpo de Bombeiros do Estado de Minas Gerais. Para o cálculo da separação entre edificações (isolamento de risco) foram baseadas duas possibilidades, a propagação entre fachadas e a propagação entre cobertura e fachada. Os resultados indicaram que os estabelecimentos estudados, sob a perspectiva das suas edificações, atendem a Norma Regulamentadora 23 do Ministério do Trabalho e Emprego, garantindo a segurança e saúde do trabalhador. Ainda, todas as Instruções Técnicas do Corpo de Bombeiros foram integralmente, esses empreendimentos foram aprovados e obtiveram seu Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros expedidos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.