A HISTÓRIA DAS MENTALIDADES: TRAJETÓRIA, CONTROVÉRSIAS E PERSPECTIVAS PARA A CONTEMPORANEIDADE

Camila Klen de Oliveira, Germano Moreira Campos

Resumo


Este artigo tem o intento de descrever os processos mais relevantes que efetivaram a história das mentalidades no campo historiográfico. Iniciando sua jornada ainda nos primórdios da Escola dos Annales, perpassando por um período de negligência por parte dos historiadores da demografia na segunda fase dos annalistas – conhecida comumente como “era Braudel” - até seu emprego, que deixa de ser exclusivamente da ótica do campo social, na longa duração. Revela as ferramentas e interdisciplinaridades utilizadas pelos historiadores da terceira geração – denominada por seus membros como Nova História – a fim de adentrarem nas mentalidades de outrora, tornando-a seu carro-chefe. Busca igualmente, entender as críticas que foram feitas aos historiadores das mentalidades e, o motivo pelo qual alguns a rejeitam como campo da historiografia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.