O SEQUESTRO DA SUBJETIVIDADE: UM ESTUDO DE CASO COM AS CONSULTORAS DE UMA INDÚSTRIA DE COSMÉTICOS

Jéssica Oliveira Pereira, Renato José de Araújo, Sheila Benevides de Melo, Lilian Beatriz Ferreira Longo, Reginaldo Adriano de Souza, José Carlos de Souza

Resumo


A presente pesquisa teve como o objetivo compreender como as consultoras de cosméticos percebem a influência da ideologia da empresa e sua relevância para o sequestro da subjetividade, através
do discurso de que seus funcionários podem colocar Deus está em primeiro, família em segundo e trabalho, somente em terceiro lugar. Para isso, foi realizada uma pesquisa descritiva, de caráter qualitativo,
utilizando-se a aplicação de entrevistas semi-estruturada com as consultoras. De acordo com as informações obtidas, pôde-se observar que a ideologia da empresa seqüestra a subjetividade de suas funcionárias, pois verificou-se que apesar das consultoras considerarem Deus em primeiro lugar, família em
segundo e trabalho em terceiro, no dia-a-dia evidencia-se que o trabalho toma a maior parte do seu tempo, podendo-se concluir que ele está em primeiro lugar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.