O PROPÓSITO E O ENTENDIMENTO DA MEDICINA ALTERNATIVA

Lanna Isa Estanislau de Alcântara, Giovanna dos Santos Flora, Letícia Nora Henri Guitton, Mariana Cordeiro Dias, Nathely Bertly Coelho Pereira, Andréia Almeida Mendes

Resumo


A medicina alternativa (MA) é uma complementação dos métodos tradicionais de tratamento e cura dos pacientes que vem ganhando espaço com profissionais da saúde, principalmente nos sistemas públicos. Ainda há uma parcela da sociedade que se opõe a tal prática e, na maioria das vezes, isso ocorre pela falta de entendimento e esclarecimento a respeito das terapias alternativas. A MA visa o bem estar do paciente com o meio em que se insere, além de oferecer tratamento mais acessível à população carente, o que surge um conflito de interesses entre as indústrias farmacêuticas. Além disso, as pesquisas que deveriam colaborar com a expansão do uso e confiabilidade são questionadas sobre sua validade, visto que podem ser influenciadas pelas indústrias.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAZ, Alessandra de Sousa et al. Uso da terapia não farmacológica, medicina alternativa e complementar na fibromialgia. Revista Brasileira de Reumatologia, v.51, n.3, p.269-282, 2011. Disponível em: . Acesso em: 16/08/2017.

BRUNING, Maria Cecilia Ribeiro; MOSEGUI, Gabriela Bittencourt Gonzalez; VIANNA, Cid Manso de Melo. A utilização da fitoterapia e de plantas medicinais em unidades básicas de saúde nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu – Paraná: a visão dos profissionais de saúde. Ciência & saúde coletiva, v.17, n.10, p.2675-2685, 2012. Disponível em:

. Acesso em: 23/08/2017.

CRUZ, Marina Zuanazzi. A integração da medicina complementar e alternativa em sistemas de saúde convencionais. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Biológicas - Modalidade Médica) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu, 2008. Disponível em: . Acesso em: 23/08/2017.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

LEITE, S.N. Além da medicação: a contribuição da fitoterapia para a saúde publica [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2000.

LING, Xu; NOLETO, Paulo. Fitoterapia chinesa: matéria médica Chinesa. São Paulo: Icone Editora, 2009.

LORENZI, Harri; MATOS, Francisco José de Abreu. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2002.

LUZ, Madel Terezinha. Cultura Contemporânea e Medicinas Alternativas: Novos Paradigmas em Saúde no Fim do Século XX. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, 15(Suplemento), p.145-176, 2005. Disponível em: . Acesso em: 16/08/2017.

MATSUDA, Andréa Harumi; NEGRAES, Paula Ferrari. Fitoterápicos: complementos nutricionais ou medicamentos? In: TORRES, Elizabeth Aparecida Ferraz da Silva. Alimentos do milênio: a importância dos transgênicos, funcionais e fitoterápicos para a saúde. São Paulo: Signus, 2002, p.31- 41.

NAGAI, Silvana Cappelleti; QUEIROZ, Marcos de Souza. Medicina complementar e alternativa na rede básica de serviços de saúde: uma aproximação qualitativa. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n.3, p.1793-1800, 2011. Disponível em:. Acesso em: 16/08/2017.

OTANI, Maria Aparecida Padovan; BARROS, Nelson Filice de. A Medicina Integrativa e a construção de um novo modelo na saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n.3, p.1801-1811, 2011. Disponível em: . Acesso em:16/08/2017.

SIMÕES, Claudia Maria Oliveira et al. Plantas da medicina popular no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1988.

YAARI, Michel; ROMAN, Angelmar C. Práticas integrativas. In: GUSSO, Gustavo; LOPES, José. Tratado de medicina de família e comunidade. Porto Alegre: Artmed, 2012, p.707-721.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.