PACIENTES ACOMETIDOS POR TRAUMA GRAVE DE FACE: ABORDAGEM, ETIOLOGIA, PROGNÓSTICO E CARACTERÍSTICAS

Fernanda Alves Luz, Letícia Luísa Mattos, Luíza Gomes Santiago, Rúbia Soares de Sousa Gomes, Emanuel Costa Sales, Alex Nagem Machado

Resumo


O trauma se destaca por ser uma das principais causas de mortalidade e morbidade em todo o mundo, acometendo, predominantemente, a população jovem e masculina. A grande prevalência de traumas envolvendo a região da face se dá pelo fato dessa área possuir pouca proteção e grande exposição. O objetivo deste trabalho é avaliar as principais etiologias dos traumas faciais, qual a população mais acometida, a faixa etária, além das condutas adequadas e principais complicações. Trata-se de uma revisão bibliográfica associada a um estudo de caso de quatro pacientes vítimas de traumas faciais. Após a análise, verificou-se que acidentes de trânsito são a causa mais comum desses traumas e que fraturas de base de crânio e obstrução de vias aéreas estão associados ao quadro esses pacientes. Dessa forma, o atendimento e tratamento precoce é fundamental para uma técnica bem sucedida, além de uma conduta multidisciplinar e integral para com esses pacientes.

Texto completo:

PDF

Referências


American Colege of Surgeons. ATLS- Advanced Trauma Life Support for Doctors. 1997.

BRASIL, ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Traumas matam mais que as três grandes endemias: malária, tuberculose e AIDS. Brasília, DF, 2012.

Convington, D.S.; et al. Changing patterns in the epidemiology and treatments of zygoma fractures: 10-year review. J Trauma, p. 343-348, 1994.

FLORES, L. P.; CASULARI, L. A. Blefaro-hematoma, otorragia e sinal de Battle como indicadores de Fratura de base do cranio e de lesoes intracranianas. Brasília Médica. Brasília, v. 40, n. 1, p.43-45, 2003.

GERHARDT, T. E.; Silveira, D.T. Métodos de pesquisa. UFRGS Editora. Rio Grande do Sul, 2009.

ICOC. Instituto de Cirurgia Ortognática de Curitiba. Disponível em: http://www.icoc.com.br/areas- de-atuacao/odontologia/cirurgia-bucomaxilofacial/emergencia-traumatismo-acidente-de-face/. Acesso em 06 set. 2017.

MACEDO, J.L.S.; et al. Mudança Etiológica do Trauma de Face de Pacientes Atendidos no Pronto Socorro de Cirurgia Plástica do Distrito Federal. Rev. Bras. Cir. Plást., Brasília, v. 22, n. 4, p. 209- 212, 2007.

MACEDO, J. L. S. D.; et al. Perfil epidemiológico do trauma de face dos pacientes atendidos no pronto socorro de um hospital público. Rev. Col. Bras. Cir., Rio de Janeiro, v. 35, n. 1, p. 9-13, Feb. 2008.

MOTA, V. C.; AGULAR, E. G. D.; DUTRA, C. E. A. Levantamento sobre os atendimentos de trauma facial: Realizado em hospital de pronto socorro. RGO, v. 49, n. 4, p. 187-190, 2001.

SANTOS, A. M. B; MEURER, E. Eventos agudos na atenção básica: Trauma de face. UFSC. Florianópolis, 2013.

SASTRY, S. M.; et al. Leading causes of facial trauma in the major trauma outcome study. PlastReconstrSurg., p. 196-197, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.