INFECCÇÕES SEXUALMENTE TRANSMÍSSÍVEIS E O DESAFIO PARA EDUCAÇÃO EM SAÚDE

Letícia Luísa Mattos, Rúbia Soares de Sousa Gomes, Roberta Mendes von Randow

Resumo


O tema Infeccções Sexualmente Transmísiveis (ISTs) e sexualidade apesar de ser tratado com naturalidade ainda encontra preconceitos e tabus. Entretanto, os dados epidemiológicos evidenciam que os adolescentes sejam orientados em relação à prevenção das ISTS’s, HIV/AIDS precocemente e não quando já estão na vida sexual ativa, porém as escolas possuem dificuldades em abordar este tema. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo: realizar uma revisão de forma a evidenciar métodos de educação em saúde direcionados para essa temática. Por meio da análise dos estudos encontrados conclui-se que o aconselhamento coletivo é favorável ao aprendizado, uma vez que proporciona a troca de saberes, possibilitando orientação, informação e suporte emocional, não caracterizando como apenas uma palestra.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, C. L. F. et al. Projeto Papo Sério: Ações de saúde sexual e prevenção das ISTS/AIDS entre adolescentes. Extramuros- Revista de Extensão da UNIVASF. Petrolina, v.3, n.3, p. 51-61, 2015.

BENICASA, M.; REZENDE, M. M.; CONIARIC, J. Sexo desprotegido e adolescência: fatores de risco e de proteção. Psicologia: teoria e prática, São Paulo, v.10, n.2, dez.2008

BEZERRA, E. P. et al. Adolescência e vulnerabilidade às doenças sexualmente transmissíveis: uma pesquisa documental. ISTS- Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 20, n.1, p. 32-35, 2008.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância à Saúde. Programa Nacional de ISTS e Aids: Manual de Bolso das Doenças Sexualmente Transmissíveis. 2ª Ed. Brasília, DF, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Programa Nacional para Prevenção e o Controle das Hepatites Virais. Manual de aconselhamento em Hepatites Virais. Brasília-DF, 2005

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de ISTS e AIDS: Saúde e prevenção nas escolas: guia para a formação de profissionais de saúde e de educação. Brasília, DF, 2007.

BRASIL. Ministerio da Saude. Secretaria de Vigilância em Saude. Saúde e prevenção nas escolas: guia para a formação de profissionais de saúde e de educação. Brasilia, 2006.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde: Política Nacional de Promoção da Saúde. 3ª ed. – Brasília, DF, 2010.

CALAZANS, G. et al. Plantões Jovens: acolhimento e cuidado por meio da educação entre pares para adolescentes e jovens nos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA. Saúde e Sociedade, n.1, p.22-36, jan-abr 2006.

CARDOSO, C.L; FAZENDEIRO, U.N. Projeto adolescentes Multiplicadores de Atitudes da FUNDHAS.

Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. 8ª ed. São Paulo, 2010.

FONSECA, A. Prevenção às ISTS/AIDS no ambiente escolar. Interface Comunicação, Saúde, Educação, v.6, n.11, p.71-88, 2002.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

MARTINI, J. G.; BANDEIRA, A. S. Saberes e práticas dos adolescentes na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 56, n. 2, p. 160-163, mar/abr. 2003.

OLIVEIRA, D. et al. Conhecimentos e práticas de adolescentes sobre ISTs/hiv/aids. Escola anna nery revista de enfermagem, Rio de janeiro, v. 13, n. 4, p. 833-841, out. /dez. 2009. Disponível em:

.

RODRIGUES, M. J. Doenças sexualmente transmissíveis (ISTs) na adolescência. Nascer e crescer, Porto, v. 19, n. 3. 2010. Disponível em:

.

VIEIRA, N. F. C.; PAIVA, T. CH.; SHERLOCK, M. SM. Sexualidade, ISTs/aids e adolescência: não quero falar, tenho vergonha. ISTS – Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 13, n. 4, p. 46-51, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.