MALEFÍCIOS E BENEFÍCIOS DA UTILIZAÇÃO DO BALÃO ESFOFAGOGÁSTRICO SENGSTAKEN-BLAKEMORE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Rafaela Lima Camargo, Mariana Cordeiro, Sérgio Alvim Leite

Resumo


Neste artigo tem-se por objetivo esclarecer os malefícios e benefícios da utilização do balão esofágico, instrumento utilizado em situações de hemorragia digestiva alta para tamponamento das varizes esofágicas decorrentes de hipertensão portossistêmica, relatadas, principalmente, em pacientes com cirrose e/ou esquistossomose crônica. O presente trabalho baseou em uma metodologia qualitativa, de natureza básica, objetivo exploratório com finalidade descritiva. Além disso, embasou em procedimentos bibliográficos, documentais, ex-post-facto e relatos de casos. Diante das pesquisas realizadas, houve a orientação para o correto manuseio do balão Sengstaken- Blakemore. Ademais, foi comprovado que seu uso é eficiente quando usufruído conforme suas indicações e se realizada a manobra de forma correta. Entretanto, casos sobre seu fracasso demostram ineficiência quando manuseado incorreto, seja pela pressão exagerada, tempo de permanência, localização inadequada, despreparo do profissional ou análise inadequada do quadro do paciente.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAS, Abul K. et al. Robbins e Cotran: Patologia - Bases patológicas das doenças. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. 1458 p.

ABOIM E-& CUNHA C. Pitressin associado ao isoproterenol nas hemorragias digestivas da hipertensao portal. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v.2, n.6, p. 304-309, 1915.

ALVES, José Roberto; RODRIGUES, José Mauro da Silva. Hemorragia Digestiva: manejo fundamentado na medicina baseada em evidências. Revista da Faculdade Ciências Médicas de Sorocaba, Sorocaba, v. 10, n.1, p. 5-10, mar. 2008. Disponível:

. Acesso em: 28 set. 2017.

BALINT J. A., SARFEK I.J. & FRIED M.B. Esophageal varices. Gastrointestinal bleeding. Diagnosis and .management. Clinical Gastroenterology Monograph Series. USA: A Wiley medical publication, p. 68-72, 1977.

BARSOUM M.S et al. Tamponade and' injection sclerotherapy in the management of bleeding oesophageal varices. Br J Surg, n.69, p. 76-78, 1982.

COELHO, Fabricio Ferreira et al. Tratamento de Hemorragia Digestiva Alta por varizes esofágicas: conceitos atuais. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, São Paulo, v. 27, n.2., p. 138-144, abr./jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2017.

D'ALBUQUERQUE L. C, Rodrigues G. J.'& SILVA A. O. Tratamento cirúrgico da hipertensao portal na cirrose hepãtica. in: Silva A. O & D'Albuquerque L. C. Hepatologia clínica e cirugica. Sarvier, São Paulo, p. 683-691, 1986.

ELEWAUT A, De Man M. et al. . Endoscopic scherotherapy: The value of balloon tamponade and the importance of Vdisin- fection. Endoscopzy, n. 20, p.48-51, 1988.

ESTALOTE A. C. et al. Hemorragia digestiva aguda: análise clínica. F méd, v.96, n.6, p. 361- 364,1988.

FRANCHI-TEIXEIA, Antonio Roberto et al. Aspectos técnicos da utilização do balão de Sengstaken- Blakemore. Perspectivas Médicas, São Paulo, v. 19, n.1, p. 42-46, jan./jun. 2008. Disponível em:

. Acesso em: 28 set. 2017.

FUJIMURA I, Carvalho C.A.F. et al. Histórico e conceito atual das varizes do esôfago: aspectos morfológicos e fisiológicos da dinâmica circulatória. Revista Hospital Clínica Faculdade Médica, São Paulo, v. 43, n.1, p. 26-34, 1988.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GRATCHEV, Victor; MODCOICAR. Hemorragia Digestiva Alta. In: . Monografias. Maputo: Consejo Interhospitalario de Cooperación, 2005, p. 5-33. Disponível em: < http://www.ciccooperacion.org/wp- content/uploads/2012/07/Monografia_2014_HemorragiaDigestiva.pdf>. Acesso em: 28 set. 2017.

GOLDMAN, Lee; AUSIELLO, Dennis. Tratado de Medicina Interna. 22ª Ed. Rio de Janeiro: ELSERVIER, v. 1, 2005.

LABRECQUE, D. et al.. Varizes Esofágicas. World Gastroenterology Organisation Practice Guidelines, 2015. Disponível em:

. Acesso em: 28 set. 2017.

MURSULÍ, Armando Leal et al. Estenosis Esfágica Isquémica por uso de sonda de balón: presentación de un caso. Revista Cubana de Cirurgía, Ciudad de la Habana, v.44, n.2-3, p. 0-0, abr./sep. 2005. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2017.

NETO, Ramiro Colleoni et al. Hemorragia digestiva por fístula de artéria subclávia direita anômala com o esôfago. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v.44, n. 2, p. 149-151, abr./jun. 1998. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2017.

OLIVEIRA, Mário Ramos de; FANGANIELLO, Mário. Hemorragias de causas digestivas: aspectos fisiopatológicos e clínicos. Revista de Medicina, São Paulo, v.44, n. 4, p. 231-245, nov. 1960. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2017.

SILVA, Douglas Batista da; BAUMANN, Valmir. Hemorragia digestiva alta por varizes esofagianas: análise de 56 casos no hospital Santa Isabel – Blumenau/SC. 1989. Dissertação (Trabalho da 12ª fase do curso de Graduação em Medicina) – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1989. Disponível em:

. Acesso em: 28 set. 2017.

VENEGAS, Orestes Campos; ALFONSO, Lázaro E; MARTÍNEZ, Margarita L. Reyes. Uso de al sonda de Sengstaken-Blakemore em el traumatismo hepático. Revista Cubana de Medicina Militar, Ciudad de la Habana, v. 29, n.1, p. 61-94, jan./abr. 2000. Disponível em:

. Acesso em: 28 set. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.