OS PORTOS SECOS COMO MEIO DE REDUÇÃO DO FLUXO DE VEÍCULOS DE CARGA PESADA NO PERÍMETRO URBANO

Allison Barbosa do Amaral, Lidiane Espíndula

Resumo


O presente artigo tem como objetivo estudar as características e as vantagens da utilização de um porto seco para a solução de problemas como congestionamentos, danos às vias, poluição sonora e visual e mobilidade urbana, utilizando como base de estudo a cidade de Manhuaçu-MG. Este estudo busca analisar e compreender o fluxo de cargas no perímetro urbano, estudando os danos causados pelo transporte de insumos. No dia 02 de Maio de 2017, foram estudadas as cinco vias, que mostraram possuir os maiores fluxos do bairro Bom Pastor, observando o fluxo de veículos de cargas, dividindo em categorias e quantificando os que circularam nas vias dentro de um limite de 30 minutos por via, analisadas em três períodos: matutino das 7:30 horas às 10:00 horas, vespertino das 12:00 horas às 14:30 horas e noturno das 18:00 horas às 20:30 horas. Observa-se a necessidade da implantação de um sistema de gerenciamento do transporte de cargas, com o intuito de amenizar os problemas encontrados, apontando para a demanda da construção de um Porto Seco, a fim de melhorar a distribuição de mercadorias, diminuindo a burocracia, aprimorando do fluxo viário dentro do perímetro urbano, diminuindo os congestionamentos e melhorando o estado de conservação das vias públicas, também criando novos empregos e diminuindo custos em todos os pontos referentes a transporte, distribuição e armazenagem de insumos.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Instituto Brasileiro De Geografia e Estatísticas. Dados do Senso de 2015. Disponível em:

. Acesso em: 22 Fev. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Receita Federal do Brasil. Instrução normativa RFB nº 1208, 04 de nov. de 2011. Diário oficial da união, Brasília, DF, 08 de nov. 2011, p. 32. Disponível em:

. Acesso em: 06 Abr. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 581, de 15 de abr. de 2010. Disponível em: . Acesso em: 06 Abr. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Receita Federal do Brasil. Portos Secos. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 06 Abr. 2017.

COELHO, L. C. Situação dos Portos Secos no Brasil: Benefícios para importações e exportações. 2011. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2017.

COSTA, Marcos Aurélio da. A Logística em 2016. 2016. Disponível em:

. Acesso em: 30 mar. 2017.

CNT. Confederação Nacional do Transporte. Boletim Estatístico. fev. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 06 abr. 2017.

DIANA. Divisão de Administração Aduaneira. Superintendência da Receita Federal na 5ª Região Fiscal. Estudo De Viabilidade – Porto Seco Rm Salvador. 2011. Disponível em:

. Acesso em: 10 julh. 2017.

ESPINDULA, Lidiane. DUTRA, Josimar Catarina Gonçalves. Estudo da mobilidade urbana no município de Manhuaçu/MG. I Jornada de Iniciação Científica da FACIG, II Seminário Científico da FACIG– 17 e 18 de Nov. de 2016. Manhuaçu, 2016.

JM, Jornal da Manhã. Os desembaraços no porto seco de Uberaba. Uberaba, 26 de Out. 2014. Cá Entre Nós. Inverso. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2017.

MACHADO, Sivanilsa Teixeira. et al. Estudo sobre a utilização de portos secos no Brasil e uma proposta de implementação desses no estado de Mato Grosso do Sul. Revista Metropolitana de Sustentabilidade. v. 3, n. 1, 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 mar.

MAGALHÃES, Paulo Jorge da Mota. Optimização dos Processos de Armazenagem e Expedição. 2011. Dissertação de Mestrado em engenharia mecânica. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Porto, Portugal, 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2017.

MANHUAÇU, Prefeitura Municipal. Localização de Manhuaçu. Comunicação Portal Fácil. Manhuaçu, 12 de Nov. de 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2017.

SOUZA, Reginaldo da Silva. Os portos secos como canais de comércio exterior. 2015. Dissertação de Mestrado profissional em Administração. Fundação Pedro Leopoldo. Pedro Leopoldo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2017.

PACHECO, Manoel Mauricio N. Logística Aduaneira: Um estudo sobre a importância da criação de portos secos para o comércio exterior do estado de Pernambuco. 2014. Faculdade ASCES. Caruau, 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2017.

PORTO SECO, Sul de Minas. 2017a. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

PORTO SECO, do Triângulo. 2017b. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

ROCHA, Paulo César Alves. Logística & Aduana. 4. ed. São Paulo: Aduaneiras, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.