A GERAÇÃO Y E OS DESAFIOS DOS CARGOS DE GESTÃO NO TRABALHO

Wesley Franklin, Lilian Beatriz Ferreira Longo, Reginaldo Adriano de Souza, Rita de Cássia Martins de Oliveira Ventura, José Carlos de Souza

Resumo


A geração Y e sua forma de gestão têm sido alvo de muitos estudos e pesquisas nos últimos anos. Este estudo tem com objetivo descrever e analisar a forma como a geração Y enfrenta os desafios dos cargos de gestão no trabalho na cidade de Ibatiba (ES). Desta maneira, foi realizado um estudo de caso de caráter descritivo, com abordagem qualitativa. Os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. Os resultados revelam que a geração Y vem buscando cada vem mais se tornarem aptos aos cargos de gestão que ocupam nas organizações, tornando seu conhecimento completo através de uma mescla da tradição e experiência que as práticas das gerações passadas com a inovação e audácia tecnológica e virtual da geração vindoura no mercado de trabalho, conhecida como geração Z. Conclui-se então que a geração Y conseguiu chegar aos cargos de gestão e caiu nas graças das organizações, e sua participação no mercado de trabalho torna-se mais perceptível a cada dia na unidade pesquisada e exerce os cargos de liderança da melhor maneira possível, cativando seus subordinados ao alcance dos objetivos organizacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADES, S. I.; MENDES, P.; CORREA, D. A.; ZAINE, M. F.; OLIVEIRA, A. T. Conflito de Gerações no Ambiente de Trabalho em Empresa Pública. Disponível em: . Acesso em: 17 Nov. 2016.

ANINGER, L. Gerenciando conflitos. Disponível em: http://www.linhadireta.com.br/novo/livro/parte/artigos.php?id_artigo=16>. Acesso em: 18 Nov. 2016.

BERTERO, C. O. Cultura Organizacional e instrumentalização do poder. In: FLEURY, M. T. L., FISCHER, R. M. (coords.). Cultura e Poder nas Organizações. ed. 2. São Paulo: Atlas, 1996.

BERTUCCI, J. L. DE O. Metodologia básica para elaboração de trabalhos de conclusão de cursos (tcc). São Paulo: Atlas, 2012.

BISPO, P. O valor de cada geração. Publicado em 2008. Disponível em:. Acesso em: 17 Nov. 2016.

BRITO, P. V. de. As gerações boomer, baby-boomer, X, Y e Z. Publicado em 2013. Disponível em:. Acesso em: 24 Nov. 2016.

CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas e o novo papel dos recursos humanos na organização. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004, p. 415-427.

COELHO, A. M. R. Guerra de gerações: O que aprender com cada um delas? Disponível em:. Acesso em: 22 Nov. 2016.

COIMBRA, R. G. C. de; SCHIKMANN, R. A geração net. In: ENANPAD 2001. Campinas – São Paulo. Anais do XXV da ANPAD.

CORDEIRO, H. T. D.; FREITAS, B. B.; FISCHER, A. L.; Et Al. A Questão Das Gerações No Campo da Gestão de Pessoas: Tema Emergente? Revista de Carreiras e Pessoas. São Paulo. V.03, n.02, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 Nov. 2016.

DASH, M. K.; PANDA, B. K. Comparative empirical analysis of occupational and motivational differences of different generations in Indian workforce. International Journal of Business Research. V. 10, n. 6, p. 103-119, 2010.

ENGELMANN, D. C. O Futuro da Gestão de Pessoas: como lidaremos com a geração Y?. 2009. Disponível em: Acesso em: 24 Nov. 2016.

ERICKSON, T. Para que as diferenças desapareçam. HSM Management, São Paulo, maio/jun. 2009, ed. 75, p. 86-90.

FERREIRA, H. M. G. Conflito Interpessoal em equipes de trabalho: o papel do líder como gerente das emoções do grupo, 2007. Disponível em http://ww.w.aedb.br/seget/artigos07/1271_SEGET_2_2007_2.pdf. Acesso em: 18 Nov. 2016.

FONTANELLA, B. J. B.; RICAS, J.; TURATO, E. R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2008.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008. GIL, A. C. Métodos e técnicas em pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1988.

GUIMARÃES, N. A. A sociologia dos mercados de trabalho, ontem e hoje. Disponível em:

Acesso em: 24 Nov. 2016.

GURSOY, D.; MAIER, T. A.; CHI, C. G. Generational differences: anexamination of work values and generational gaps in the hospitality workforce. International Journal of Hospitality Management. v. 27, p. 448-458, 2008.

HUNTER, J. C. Os princípios de liderança de o monge e o executivo: como se tornar um líder servidor. Trad. A. B. Pinheiro de Lemos, Rio de Janeiro: Sextante, 2006.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas – DPE. Coordenação de População e Indicadores Sociais. COPIS. Disponível em

. Acesso em: 24 Nov. 2016.

KULLOC K. E. Geração X,Y e Z. As mudanças no mercado de trabalho. Série Gerações Jornal da Globo. Disponível em: . Acesso em: 20 Nov. 2016.

KUNTZ, A. P. 2009. Disponível em:

. Acesso em: 24 Nov. 2016.

LAFUENTE, F. Do conflito à ação. HSM Management, São Paulo, maio/jun. 2009, ed. 75, p. 70-78.

LIMA, R. Perfil das Gerações no Brasil: as Gerações X, Y, Z e seus perfis políticos. São Paulo: Baraúna, 2012.

LOIOLA, R. Geração Y. Revista Galileu. São Paulo, n. 219, p. 50-53, out. 2009. LOMBARDIA, P. G. Quem é a geração Y? HSM Management, n.70, p.1-7. set./out. 2008.

MALAFAIA, G. S. Gestão Estratégica de pessoas em Ambientes Multigeracionais. VII Congresso de Excelência em Gestão. Rio de Janeiro. 2011

MALDONADO, M. T. (2005). A Geração Y no trabalho: um desafio para os gestores. Disponível em . Acesso em: 22 Nov. 2016

MATTOS, C. A.; BICHOFFE, P.; VALENCIANO, T. C. S.; Et Al. Os Desafios Na Transição da Geração X Para a Y Na Empresa Dori LTDA. Revista Científica do Unisalesiano. Ano 2, n.4, 2011.

MENDONÇA, C. F. Com geração Y, diminuem as diferenças entre homens e mulheres na liderança. (2011). Disponível em < http://gestaodepessoasrh.wordpress.com /2011/01/26 > Acesso em: 04 Dez. 2016.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa - características, usos e possibilidades. Caderno de pesquisas em administração, v.1, n.3, 1996.

OLIVEIRAS, F. C. Identificando e lidando com a Geração Y. Disponível em: . Acesso em: 04 Dez. 2016.

OLIVEIRA, S. Geração Y: Era das Conexões, tempo de Relacionamentos. São Paulo: Clube de Autores, 2009.

OLIVEIRA, S. Jovens para sempre: como entender os conflitos das gerações. São Paulo: Integrare, 2012.

RIFKIN, J. A era do acesso. São Paulo: Pearson-Makron Books, 2001.

ROBBINS, S. P. (2005), Comportamento Organizacional. Pearson Prentice Hall, São Paulo.

ROCHA, M. Depois do primeiro choque de realidade. Como a crise mudou o perfil dos impacientes executivos da chamada Geração Y. Revista Exame, São

SANTOS, A. L. (2012), A Geração Y nas Organizações Modernas: Um Estudo Exploratório sobre a Gestão dos Jovens nas Empresas. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo.

SANTOS, A. A. dos. Como realizar uma boa combinação entre juventude e experiência? Disponível em: . Acesso em: 24 Nov. 2016.

SERRANO, D. P. Geração Y. Disponível em: http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos3/Geracao_Y.htm>. Acesso em: 24 nov. 2016.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SHIYASHIKI, E. A geração Z e o mercado de trabalho. Disponível em:http://www.administradores.com.br/noticias/administracao-e-negocios/a-geracao-z-e-o-mercado- detrabalho/25973/. Acesso em: 03 dez. 2016.

STAUFFER, D. O que motiva cada geração. São Paulo: HSM Management, 2003.

STEVES, R. H. Managing human capital: how to use knowledge management to transfer knowledge

in today’s multi-generational workforce. International Business Research, vol. 3, n. 3, julho 2010.

TAPSCOTT, D. A hora da geração digital: como os jovens que cresceram usando a internet estão mudando tudo, das empresas aos governos. Rio de Janeiro: Agir Negócios, 2010.

VELOSO, E. F.; DUTRA, J. S.; NAKATA, L. E. Percepção sobre carreiras inteligentes: diferenças entre as gerações Y, X e baby boomers. XXXII Encontro da ANPAD. Anais... Rio de Janeiro, 2008.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2005.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

WEBER, M. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. v. 2. São Paulo: HNB, 2004.

ZEMKE, R. O. Respeito às gerações. In: MARIANO, S. R. H.; MAYER, V. F. (Org). Modernas Práticas na Gestão de Pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, p.51-55, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.