CRACK: DA DEPENDÊNCIA AO TRATAMENTO

Raquel Grimalde Gadioli, Márcia Helena de Carvalho

Resumo


A cada dia o uso de drogas se torna mais comum entre homens e mulheres no Brasil, se transformando em um fenômeno alarmante que compromete a saúde pública, dentre as muitas drogas consumidas na atualidade, destaca-se nos últimos tempos, o crack. Diante desta constatação, o presente trabalho tem como objetivo apresentar os danos físicos e sociais causados pelo uso de Crack, ressaltando a importância da prevenção e tratamento. A postura metodológica utilizada foi a pesquisa bibliográfica com base em livros, textos e artigos que apresentam ideias concernentes ao tema. Concluiu-se que os equipamentos de tratamento contra o uso de CRACK ainda existem em número insuficiente para dar conta da demanda, é necessário  a ampliação de campanhas de mobilização social de prevenção e a criação de novos equipamentos especializados no atendimento ao dependente químico e seus familiares.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Renata Brasil, et all. Craving e dependência química: conceito, avaliação e tratamento. J. Bras Psiquiatria, 2008.

BRASIL. Brasil realiza pesquisa sobre o uso do crack. Disponível em: Acesso em 15 mai 2017.

CARNEIRO, Henrique. Transformações do significado da palavra droga: das especiarias coloniais ao proibicionismo contemporâneo. In: VENÂNCIO, Renato Pinto; CARNEIRO, Henrique. Álcool e drogas na história do Brasil. MG: PUC, 2005.

NETO, Francisco de Abreu Franco. O problema do crack: emergência, respostas e invenções sobre o uso do crack no Brasil. Dissertação de Mestrado. Fundação Oswaldo Cruz, 2013.

NETO, Manoel de Lima Acioli. Os contextos de uso do crack: representações e práticas sociais entre usuários. Recife: o autor, 2014.

NONTICURI, Amélia Rodrigues. As vivências de adolescentes e jovens com o crack e suas relações com as políticas sociais protetoras neste contexto. Universidade Católica de Pelotas. Pelotas, 2010.

OLIVEIRA, Georges Peres. Crack e recaída: os principais motivos que levam os usuários de crack a recaírem após o tratamento para a dependência química. Universidade Federal do Rio grande do Sul, 2011.

PEDROSO, Rosemari Siquiera. Trajetória do usuário de crack internado e seguimento de uma corte retrospectiva e prospectiva. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.