INCENTIVOS ORGANIZACIONAIS: A CHAVE DO SUCESSO PARA O NOVO SISTEMA DE GESTÃO

Maria Julia Agustini, Mônica de Oliveira Costa, Farana de Oliveira Mariano, Alex Santiago Leite, Weven da Silva Viana da Fonseca Feitosa

Resumo


Devido ao aumento da competitividade no mercado as empresas viram a necessidade de criar alternativas para se destacar das demais, com o intuído de melhorar a produtividade sem aumentar o quadro de funcionários, com essa finalidade os empresários iniciaram o programa de incentivos onde o mesmo tem a função de melhorar o desempenho dos colaboradores dentro das empresas. Para o sucesso do programa é importante entender as necessidades do ser humano, pois assim conseguirão gerar incentivos que irão satisfazer suas necessidades. O presente artigo tem por objetivo identificar se os incentivos dados aos colaboradores de determinada empresa impactam em suas atividades laborais. A pesquisa utilizada foi do tipo descritivo procedido de estudo de caso na empresa Venda Nova EPP, para realizar o levantamento dos dados foi aplicado questionário, onde a abordagem foi quantiqualitativa. Percebeu-se que o programa de incentivos melhora o desempenho do colaborador em suas atividades laborais, pois geram em si uma  satisfação  pessoal transparecendo na qualidade do seu serviço, na sua performance e no convívio com sua equipe de trabalho.


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS. B. Processo de Recompensar Pessoas. Disponível em:

. Acesso em 10 dez. 2016.

BARROS, A.S; LEHFELD, N.S. Fundamentos de metodologia científica. 3 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

BASTOS. M.V. Motivação no Trabalho. 2011 27 pág. Monografia (especialista em reengenharia e gestão de RH) – Universidade Candido Mendes Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Diretoria de Projetos Especiais Projeto Avez do Mestre, Rio de Janeiro, 2001.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas organizações. 4.ed., São Paulo: Atlas, 1997.

BONAFIN T.C. BRANDALISE N.T: Incentivos Organizacionais Versus Satisfação dos Funcionários. Disponível em: . Acesso em 10 dez. 2016.

CARVALHO.P.M: Programas de incentivos a funcionários. Disponível em:. Acesso em: 06 dez. 2016.

CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento Organizacional: a dinâmica do sucesso das organizações. 2ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: o capital humano das organizações. 8 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

DUBRIN, A. J. Fundamentos do Comportamento Organizacional. São Paulo: Pioneiras, 2003. 471p.

FALCO; CASTANHEIRA:O processo de gestão de pessoas em empresas de comunicação: um estudo de caso 2012. 15p. Monografia Graduação em Comunicação Social- Centro Universitário da Grande Dourados-UNIGRAN, Dourados, 2012.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

JUDGE, T. A; ROBBINS, S. P; SOBRAL, F. Comportamento Organizacional. 14ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010;

LOPES, Tomas V. Motivação no trabalho. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1980. LOURENÇO C.V. Satisfação no trabalho. Disponível em:

. Acesso em 10 dez. 2016.

MARCONI, M.A; LAKATOS, E.M. Fundamentos da Metodologia Cientifica Disponivelem:. Acesso em 10 dez. 2016.

MOLLER, C. O lado humano da qualidade: maximizando a qualidade de produto e serviço através do desenvolvimento das pessoas. 12ª ed. São Paulo: Pioneiro, 1999.

MURPHY, K. Executive Compensation. Handbook of Labor Economics, Orley Ashenfelter and Davids Card, eds. North Holland, p.2485-2563, 1999.

OLIVEIRA, L. H; ZANUTTO.L.O e SILVEIRA. M. A. O Capital humano nos processos de inovação: estudo exploratório com as empresas associadas ao Grupo de Recursos Humanos de Campinas – GRHUS. Semead. Fea/Usp. 2007. Disponível em:

. Acesso em: 06 de dez.2013.

OLIVEIRA, M.C. Associação entre a remuneração oferecida aos gestores e o desempenho econômicos das empresas da américa latina: 2012. 46p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Fundação Instituto Capixaba De Pesquisas Em Contabilidade, Economia E Finanças – FUCAPE, Espirito Santo, 2012.

PERIARD, G.A: Hierarquia de necessidades de Maslow. Disponível em:

. Acesso em 09 dez. 2016.

RANDSTAD, H: 10 incentivos não monetários. Disponível em:

. Acesso em 06 dez. 2016.

REZ. R Pirâmide de Maslow: Hierarquia de Necessidades do Consumidor. Disponível em:

. Acesso em 06 dez. 2016.

SORIO. W. Afinal salário é fator motivador? Disponível em: http://www.rh.com.br/Portal/Motivacao/Artigo/4380/afinal-salario-e-fator-motivador.html. Acesso em: 02 jun. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.