COMO SÃO UTILIZADAS AS FERRAMENTAS GERENCIAIS EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE AGROTURISMO NO MUNICÍPIO DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE-ES

Adriana Assis, Mônica de Oliveira Costa, Farana de Oliveira Mariano, Alex Santiago Leite, Sabrina Pereira Uliana Pianzoli

Resumo


O agroturismo é ainda uma atividade recente. No município de Venda Nova do Imigrante- ES, surgiu quando um agricultor decidiu abrir sua propriedade para receber visitantes que estivessem interessados em conhecer a rotina e os meios de produção de uma propriedade rural, valorizando a natureza e a cultura da região. A atividade é importante para a região por ser uma forma de complementar a renda das famílias. Estas empresas por serem de pequeno porte se preocupam apenas com seus processos de produção deixando de lado a administração que busque alcançar os melhores resultados. É para essa função que a contabilidade gerencial se faz necessária dentro de uma organização para dar suporte ao gestor em seu processo decisório. A pesquisa que é do tipo descritiva e utilizou da técnica de levantamento através da aplicação de questionário buscou averiguar se as empresas do agroturismo da cidade de Venda Nova do Imigrante utilizam ferramentas gerenciais e quais são essas ferramentas. Através da pesquisa realizada em 17 empresas, pode-se observar que ainda é prematura a utilização de ferramentas gerenciais e que para a tomada de decisão utilizam principalmente das experiências adquiridas no dia a dia, assim a contabilidade está presente apenas para atender a fiscalização.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Juliano, et al. A utilização da contabilidade como ferramenta de apoio à gestão nas micro e pequenas empresas do ramo de comércio de material de construção de Feira de Santana/BA Revista da Micro e Pequena Empresa, 2012, nº6.2p.89-106.

ALMEIDA, Joaquim Anécio; RIEDL, Mário (Org.). Turismo rural: ecologia, lazer e desenvolvimento. Bauru: Edusc, 2000. 159 p.

BRASIL. (14 de Dezembro de 2006). Lei Complementar n. 123. Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Brasília, DF.

CASA NOVA, Silvia Pereira de Castro. Dissertação Mestrado em Ciências Contábeis. As Empresas de Pequeno Porte e a Contabilidade.São Paulo: Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis, Departamento de Contabilidade das Faculdade de Economia, Administração e contabilidade da Universidade de São Paulo, 1996. p. 97.

CHÉR, Rogério. A gerência das pequenas e médias empresas: o que saber para administrá-las,

ed. rev. e ampl. São Paulo: Maltese, 1991.

CHING, Yuh Hong. MARQUES, Fernando. PRADO, Lucilene. Contabilidade eFinanças para não Especialistas, São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2003.

DIAS, Elaine Aparecida. O contador Gerencial. Boletim CRC SP, São Paulo, n.159, p.12-13, ago. 2006.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA, 2008.

GOMES, Fausto Rafael Gmach. Formação de estratégias organizacionais em pequenas empresas: um estudo regional. Departamento de Economia, Contabilidade e Administração, Universidade de Taubaté. Taubaté (2004).

GUITMAN, Lawrence J. Princípios de Administração Financeira. Tradução Allan Vidgal Hasting, revisão técnica de Jean Jaques Salin. 12 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

IBGE, I. B. Estatística do cadastro central de empresas 2012. Rio de Janeiro: IBGE. (2014). IUDÍCIBUS, Sérgio de. Contabilidade Gerencial. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1987. P. 15.

___. Análise de balanços. 5. ed. São Paulo: Atlas, p.22, 1988.

___. Teoria da contabilidade, 4.ed. São Paulo: Atlas, p. 26, 1994.

LACERDA, Joabe Barbosa. A Contabilidade como ferramenta gerencial na gestão financeira das micro, pequenas e médias empresas (MPMEs): Necessidade e Aplicabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade nº160, 2006. p.39-53.

MARION, José Carlos. Análise das Demonstrações Contábeis: contabilidade empresarial. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2005.

PADOVEZE, Clóvis Luís, and Gideon Carvalho de Benedicto. Cultura organizacional: análise e impactos dos instrumentos no processo de gestão. Revista Eletrônica de Administração nº11.2, 2003.

PADOVEZE, Clóvis Luís. Contabilidade gerencial: um enfoque em sistema de informação contábil. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

PARRA, Cecília de S.; SILVA, Carolina Priscila; CHEHADE, Michelle B. Agroturismo Como Fonte de Renda Para Pequeno Agricultores. Revista Cientifica Eletrônica de Turismo. São Paulo: (2007).

POMPERMAIER, Mauro José. Sistemas de Informações Contábeis Gerenciais para Pequenas e Médias Empresas. VII Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul. Canela: CRC-RS 1999.

PRODANOV, Cleber Cristiano; de FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2ª Edição. Editora Feevale, 2013.

SANTIAGO, Marlene Ferreira. O efeito da tributação no planejamento financeiro das empresas prestadoras de serviços: um estudo de caso de desenvolvimento regional. 2006. 139f. Dissertação de Mestrado – Universidade de Taubaté, 2006.

SANTOS, Eurico de Oliveira; SOUZA, Marcelino. Teoria e Pratica do Turismo no Espaço Rural.São Paulo: Manole, 2010.

SEBRAE, S.B. Arranjo Produtivo Local Agronegócio/ Agroturismo.Brasília: SEBRAE. (2013).

SEBRAE, S. B. Fatores Condicionantes e Taxas de Sobrevivência e Mortalidade das Micro e Pequenas Empresas no Brasil 2003-2005. Brasília: SEBRAE. (2007).

___. Retrato do Turismo Rural no Brasil com Foco nos Pequenos Negócios. Brasília: SEBRAE.2. (2013).

___. Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira. Brasília: SEBRAE. (2014).

___. Empresas familiares têm estrutura enxuta. Conheça os pontos fracos e fortes desse tipo de negócio. Brasília: SEBRAE. (2016).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.