O USO DE SOLOS GRAMPEADOS PARA A ESTABILIZAÇÃO DE TALUDES

Roberto Vicente Silva de Abreu, Lidiane Hott de Fúcio Borges, Hellen Cristine Prata de Oliveira, Fernando Simon Plaz, João Pedro Ávila

Resumo


A tecnologia conhecida como grampeamento de solos tem como função a estabilização de taludes e possui diversas vantagens se comparada com outros tipos de metodologias de contenção de solos. A presente pesquisa teve como objetivos a busca por informações relacionadas aos cálculos, vantagens e limitações da técnica de grampeamento de solos. A metodologia usada teve como coleta de dados o tipo revisão bibliográfica. Como resultados observados, pode-se destacar que as vantagens principais do uso de solos grampeados é a facilidade de adequação aos ambientes com espaço limitado pelo fato de os equipamentos serem pequenos, o baixo custo e a flexibilidade perante as outras técnicas. Entretanto, em alguns tipos de solos e situações peculiares de níveis do lençol freático, o grampeamento de solos não é adequado.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMSON, L. LEE, T., SHARMA, S., BOYCE, G. Slope stability and stabilization methods. Jonh Wiley & Sons Inc, New York, segunda edição. 1996.

BRUCE, D. A. & JEWELL, R. A. Soil Nailing: Application and Practice. Parte 1, Ground Engineering,19 (8): Novembro, 1986.

BUSTAMANTE, M.; DOIX, B. Une méthode pour le calcul des tyrants et des micropieux injectées. Bulletin des Liaison des Laboratoire des Ponts et Chaussées, no 140, 1985.

BYRNE, R.J., COTTON, D., PORTERFIELD, J., WOLSCHLAG, C., and UEBLACKER, G. Manual for

Design and Construction Monitoring of Soil Nail Walls. Report No. FHWA-SA-96-69R, Federal Highway Administration, Washington, DC. 1998.

CLOUTERRE. Recomendations Projet National Clouterre, Ecole Nationale des Ponts et Chausseés, Presses de l'ENPC, Paris, English Version, 269 p. 1991.

FEIJÓ, R. L. Monitoração de uma Escavação Experimental Grampeada em Solo Residual Gnáissico Não Saturado”. Rio de Janeiro. COPPE/UFRJ, Ph.D Dissertação– Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

LAZARTE, C. A. et al. Soil Nail Walls Reference Manual. U.S. Department of Transportation Federal Highway Administration, 2015.

LIMA, A. P. Comportamento de uma escavação grampeada em solo residual de gnaisse, tese de doutorado, departamento de engenharia civil, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2007.

MITCHELL, J. K. & VILLET, W. C. B. Reinforcement of Earth Slopes and Embankments, NCHRP Report 290, USA Transportation Research Board, National Research Council, Washington D.C, 1987.

ORTIGÃO, J. A. R.Ensaios de Arrancamento para Projetos de Solo Grampeado, Nota Técnica, Solos & Rochas, ABMS, Vol. 20:1, pp. 39 43. 1997.

RABCEWICZ, L.V. The New Austrian Tunneling Method, Part 3, Water Power, Vol. 17, January, London, England, 19-24. 1965.

RABEJAC, S. e TOUDIC, P. Construction d’un mur de soutènement entre Versailles-Chantiers et Versailles-Matelots, (Trans: Construction of a retaining wall between Versailles-Chantiers and Versailles-Matelots), Revue générale des chemins de fer, Vol. 93, Paris, France, 232-237. 1974.

SPRINGER, F. O. Ensaios de arrancamento de grampos em solo residual de gnaisse, Tese de Doutorado, PUC-Rio, 2006. Rio de Janeiro, 310p. 2006.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3.ed. Rio de Janeiro: Atlas, 2000.

TEIXEIRA, I. J. R. Estudo comparativo de duas alternativas para contenção de taludes verticais: solo grampeado e cortina atirantada. Universidade Estadual de Feira de Santana. Departamento de Tecnologia-DTEC, Engenharia Civil. Feira de Santana-BA, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.