TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL NO TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM

João Marcos Ferreira Gonçalves, Eduardo Luiz Muniz Medeiros, Ítalo Moreira Leite, João Paulo de Paiva Ramos

Resumo


O desenvolvimento cognitivo é uma sequência de procedimento poderosos para solução de problemas, juntamente com um conjunto eficiente de estruturas conceituais de conhecimento, reunindo a neurociência um importante papel de avaliação e compreensão deste desenvolvimento. Para que o desenvolvimento cognitivo ocorra é indispensável que a criança passe por sistemas específicos como o de ensino e aprendizagem e durante este processo, a criança pode ser frustrada devido aos transtornos do neurodesenvolvimento, impedindo-a de arquitetar padrões de cognição. A TCC trabalha o processo de estimulação a partir de técnicas e testes padronizados que se adequam a cada caso, demonstrando ser eficiente nas intervenções, porém pouco se encontra na literatura a abordagem cognitivo-comportamental associada diretamente aos canais da aprendizagem. O objetivo do trabalho foi avaliar as pesquisas relacionadas sobre a terapia cognitivo-comportamental no tratamento dos transtornos específicos da aprendizagem.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRISQUETA-GOMEZ, Jacqueline. Cols. Reabilitação neuropsicológica: Abordagem interdisciplinar e modelos conceituais na pratica clínica. Porto Alegre: Artmed, 2012.

AFONSO, Maria L. P. Disortografia: Compreender para intervir. Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti pera obtenção do grau de mestre em Ciências da Educação, especialização em Educação especial. MCE, 2010.

ALVES, Cleto A. Produção didático-pedagógico. A dislexia no contexto escolar: Subsídios e alternativas para o trabalho pedagógico com o aluno disléxico. Ponta Grossa - PR, 2014.

AMORIN, Cacilda. TDAH e transtornos de aprendizagem: para entender melhor as dificuldades de aprendizagem. SP: IPDA: Instituto Paulista de déficit de atenção. 2018. Disponível em: . Acesso em: 11 de outubro de 2018.

ASSOCIAÇÃO Psiquiátrica Americana. Manual Diagnostico Estatístico de Transtornos Mentais V. Santana, Porto Alegre RS: Ed Artmed, Vol. 05, p. 01 - 948, 2014.

BECK, Judith S, Terapia Cognitivo-Comportamental Teoria e Pratica. Porto Alegre: Artmed, Ed.: 2, 2011.

BARBOSA, Priscila S. Dificuldades de aprendizagem. São Luiz – MA: UemaNet, 2015.

BONADIO, Rosana A. A; MORI, Nerli N. R. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: Diagnostico e pratica pedagógica. Maringá: Editora da Universidade Estadual do Maringá, 2013.

BOSSOLAN, Marília; MARTINELLI, Selma C. Dificuldades de aprendizagem: levantamento bibliográfico e análise de estudos na UNICAMP.Campinas SP: UNICAMP, 2011.

BUNGE, Eduardo; SCANDAR, Mariano; MUSICH, Francisco; CORREA, Gabriela. Orgs. Sessões de psicoterapias com crianças e adolescentes: Erros e acertos. Novo Hamburgo: Rio de Janeiro, 2015.

CLASSIFICAÇÃO de Transtornos mentais e de comportamento da CID – 10: Descrições clinicas e Diretrizes Diagnosticas – Coord. Organiz. Mund. Da Saúde, Porto Alegre: Artmed, 2011.

CONSENZA, Ramon M; GUERRA, Leonor B., Neurociências e educação como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

DEHAENE, Stanislas. Os neurônios da leitura: Como a ciência explica a nossa capacidade de ler. Porto Alegre: Penso, 2012.

DELDUQUE, Marilza Org. A neurociência na sala de aula: Uma abordagem neurobiológica. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2016.

DÖHLA, D., HEIM, S. Developmental dyslexia and dysgraphia: What canwelearnfromtheon about the other?. Frontiers in Psychology, 6: 2045. 2015.

FRANCESCHINI, Belinda T; ANICETO, Gabriela; OLIVEIR, Sabrina D; ORLANDO, Rosimeire M. Distúrbios de aprendizagem: disgrafia, dislexia e discalculia. Batatais SP: Educação, v. 5, n. 2, 2015.

LAGGER, Kelly C. F; PROENÇA, Isolina. Dislexia e terapia comportamental cognitiva: Uma proposta de tratamento. Campinas – SP, 2009.

LIMA, Francisco R. Entrelace entre dificuldades de aprendizagem e produção do fracasso escolar: Algumas ponderações teórico-práticas. Psicologia. PT O Portal dos Psicólogos,2014.

NEVES, Rita. A; DAMIANI, Magda. F. Vygotsky e as teorias da aprendizagem. Pelotas RS: Unirevista, Vol. 1, no 2, p. 1 – 10, 2006.

OLIVEIRA, Clarissa T; DIAS, Ana C. G; PICCOLOTO, Neri M. Contribuição da terapia cognitivo-comportamental para as dificuldades de adaptação acadêmica. Relato de Pesquisa: Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, vol. 9(1), 2013.

OSTERMANN, Fernanda; CAVALCANTI, Cláudio. J. H. Teorias de Aprendizagem. Rio Grande do Sul: Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul – Instituto De Física, p. 1 – 40, 2010.

PATTO, Maria H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Intermeios, 4.ed, 2015.

PENTEADO, Juliana O. A; PADIAR, Gláucia R; PAGLIARIN, Keina P. P. D; PEREIRA, Ludmila F. R. A disortografia como dificuldade de aprendizagem especifica. CONIC SEMESP: 160 Congresso Nacional de Iniciação Cientifica, 2016.

PERETTI, Lisiane; ZAGO, Adriane. Discalculia – transtorno de aprendizagem. Erechim – RS: Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai das Missões - URI- Campus de Erechim Departamento de Ciências Exatas e da Terra Curso de Matemática, 2009.

PONÇADILHA, Jaila C. N. Disortografia: Das concepções de professores e gestores às práticas pedagógicas e medidas educativas. Porto: Universidade Fernando Pessoa, 2016.

RANGÉ, Bernard & Cols, Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. Porto Alegre: Artmed, Ed.: 2, 2011.

RECKZIEGEL, Vanessa A; STEIN, Deise S. Dislexia e seus impactos na vida escolar e social. UCEFF: 7º Seminário de Iniciação Científica de Pedagogia-3° Seminário Institucional Interdisciplinar PIBID, 2016.

ROTTA, Newra T; OHLWEILER, Lygia; RIESGO, Rudimar S. Transtornos de aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, ed.: 2, 2016.

ROTTA, Newra, T; BRIDI-FILHO, César A; BRINDI, Fabiane R. S. Orgs. Plasticidade cerebral e aprendizagem: Abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2018.

SALLES, Jerusa F; HAASE, Vitor G; MALLOY-DINIZ, Leandro F. Org. Neuropsicologia do desenvolvimento: Infância e adolescência. Porto Alegre: Artmed, 2016.

SANTANA, S. M., ROAZZI, A., DIAS, M. G. B. B. Paradigmas do desenvolvimento cognitivos: uma breve retrospectiva. Pernambuco: Estudos de Psicologia, vol. 11(1), p. 71 – 78, 2006.

SANTOS, Flavia H; ANDRADE, Vivian M; BUENO, Horlando, F. A. Orgs. Neuropsicologia hoje. Porto Alegre: Artmed, Ed.: 2, 2015.

SILVA, Graciela N; SANTOS, Anderson O; OLIVEIRA, Camila S. Uma abordagem sobe as dificuldades de aprendizagem em matemática e a discalculia do desenvolvimento. IV – SIRSSE: Seminário internacional de representações sociais, subjetividade e educação. VI – SIPO/CATEDRA UNESCO: Seminário internacional sobre profissionalização docente. 2017.

SILVA, Juliana A. Eficácia de programas de intervenção na dislexia. Lins – SP: Unisalesiano, 2014.

TISSER, Luciana. Cols. Transtornos psicopatológicos na infância e na adolescência. Novo Hamburgo – RJ: Sinopsys, 2018.

WRIGHT, Jesse H; BASCO, Monica R; THASE, Michael E. Aprendendo a terapia cognitivo-comportamental: Um guia ilustrado. Porto Alegre: Artmed, 2008.

ZANELLA, Andréa. V. Zona de desenvolvimento proximal: análise teórica de um conceito em algumas situações variadas. Santa Catarina: Temas psicol. Vol. 2 no 2 Ribeirão Preto agos, p. 97 – 109, 1994. Disponível em: . Acessado em: 09 de outubro de 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.