TRATAMENTO CLÍNICO E DESCOMPRESSÃO CIRÚRGICA NA NEURITE HANSÊNICA

Fernanda Caldeira Ferraz Batista, Rúbia Soares de Sousa Gomes, Raquel Sena Pontes Grapiuna, Ana Carolina Dondoni Fávero, Flávio Cunha de Faria, Sergio Alvim Leite

Resumo


A neuropatia hansênica ocorre devido à invasão bacilar e ao processo de inflamação dos nervos periféricos, provocando dores intensas durante a palpação dos troncos nervosos na fase aguda e alterações sensitivas e motoras de início insidioso e lento quando crônicas. O tratamento da neurite hansênica pode ser clínico ou cirúrgico, ou a associação de ambos. A conduta do tratamento clínico se baseia na administração de fármacos, visando o controle do processo inflamatório e o alívio da dor, além da prevenção do dano neural e das incapacidades físicas, indicado para pacientes que estão no início do processo inflamatório. O tratamento cirúrgico consiste na neurólise, que é a realização de cirurgia para descompressão de troncos nervosos; esse procedimento libera o tronco nervoso de áreas anatômicas de compressão, reduzindo principalmente a dor crônica, sendo assim, indicado para casos em que a doença está mais evoluída.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia brasileiro de vigilância epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde; 2002. Disponível em: . Acesso em: 31.mai.2018.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de reabilitação e cirurgia em hanseníase [Manual of rehabilitation and surgery in leprosy]. Brasília: Ministério da Saúde; 2008. Disponível em: . Acesso em: 23.jun.2018.

DUERKSEN, F. Princípios gerais de cirurgia reparadora em hanseníase. Duerksen F, Virmond M. Cirurgia reparadora e reabilitação em hanseníase. Bauru: ALM International, p. 21-38, 1997. Disponível em: Acesso em: 21.jun.2018

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GARBINO, J.A; JUNIOR, W.M. Tratamento clinico da neuropatia da Hansenísae: controle das reações com recuperação neurológica e da dor Neuropática. S.d. Disponível em: . Acesso em: 20.jun.2018.

GRIMAUD, J. et al. How to detect neuropathy in leprosy. Revista de Neurologia, n. 150, p. 785-790, 1994. Disponível em: . Acesso em: 31.mai.2018.

NOBRE, M.L.; OLIVEIRA, M.L.W. Condutas frente as neurites hansênicas. Manual de Conduta. Sociedade Brasileira de Dermatologia. S.d. Disponível em: . Acesso em: 31.mai.2018.

RODRIGUES, L. C.; LOCKWOOD, D.N.J. Leprosy now: epidemiology, progress, challenges, and research gaps. The Lancet infectious diseases, v. 11, n. 6, p. 464-470, 2011. Disponível em: . Acesso em: 31.mai.2018.

URA S. Tratamento e controle das reações hansênicas. Hansenologia Internationalis. N. 1, v. 32, p. 67-70, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20.jun.2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.