O PROCESSO DE ASSIMILAÇÃO DA FALA E DA ESCRITA DO NATIVO BRASILEIRO E MOÇAMBICANO

Débora Felippe Ramos, Jefferson de Melo Silva, Lívia Serpa de Castro, Lídia Maria Nazaré Alves

Resumo


O presente trabalho propõe um estudo de perspectiva qualitativa sobre o processo de assimilação da fala e da escrita dos nativos brasileiros e moçambicanos, baseando seus padrões de ser e de viver naqueles europeus. Além disso, este trabalho aborda algumas considerações sobre os aspectos culturais de tais povos e o contato com seus colonizadores e, também, a imposição de uma língua e de uma escrita sobre os povos que não tinham nenhuma representação gráfica, sendo seus meios de comunicação extremamente orais, por isso, considerados povos ágrafos. O objetivo é evidenciar as relações às quais esses povos se submeteram e suas diversas contribuições para a formação, adaptação dos vocabulários e dos léxicos do Brasil e de Moçambique. Para autenticar este trabalho, foram feitas pesquisas de cunho bibliográfico, para assim, fundamentar e justificar esta pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. O que é uma língua? Imaginário, ciência e hipótese. In LAGARES, X. C.; BAGNO, M. (orgs.). Políticas da norma e conflitos linguístico. São Paulo: Parábola, 2011.

CÂNDIDO, A. Iniciação à Literatura Brasileira: resumo para principiantes. São Paulo: Humanistas/ FFLCH/USP, 3. ed., 1999.

FRANCHETTO, B. A guerra dos alfabetos: os povos indígenas na fronteira entre o oral e o escrito. MANA, 2008.

GUESSE, É. B. Da oralidade à escrita: os mitos e a literatura indígena no Brasil. v. 2, n. 2. Uberlândia: EDUFU, Anais do SILEL, 2011.

GUIMARÃES, E. A Língua Portuguesa no Brasil. São Paulo: Scielo/ Ciência e Cultura, v. 57, n. 2, 2005. p. 24-28.

ISA. Línguas. Povos Indígenas do Brasil. Instituto Socioambiental, 2018. Disponível em: . Acesso em: 09, out. 2018

MEDEIROS, J. S. Escola indígena e ensino de história: um estudo em uma escola Kaigang da terra indígena Guarita/RS. Dissertação de Mestrado (universidade Federal do Rio Grande do Sul): Porto Alegre, 2012.

OLIVEIRA, T. As modalidades oral e escrita da língua Portuguesa: um tratamento sociolinguístico na escola. Brasília: UnB/ FE, 2011.

RAMANUSH, N. Nheengatu-Tupi. Universidade do Texas. Editora STS, 2000.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SANTANA, A. P.; MULLER, L. C. P. A Língua Portuguesa no Brasil: percurso histórico linguístico. Campo Grande: Revista Sociodialeto, v. 3, nº 15, 2015.

SILVA, M. G. C. et al. A influência do processo de assimilação e aculturação na formação da identidade dos povos indígenas no brasil Disponível em: . Acesso em: 09/11/2018.

TIMBANE, A. Que português se fala em Moçambique? Uma análise sociolinguística da variedade em uso. Revista Vocábulo, 2014.

TEYSSIER, P. História da língua portuguesa. Tradução de Celso Cunha. São Paulo: Martins Fontes, 1982.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.