A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DE KEHINDE E RAMI: UMA ANÁLISE DA OBRA DE ANA MARIA GONÇALVES E PAULINA CHIZIANE

Aparecida Gomes Oliveira, Lídia Maria Nazaré Alves, Ivete Azevedo

Resumo


O presente artigo faz parte de um projeto desenvolvido no campus da UEMG (Unidade Carangola), ao longo do ano em curso, 2016, intitulado: “Poéticas da modernidade: um olhar para a diferença”, orientado pela professora Dra. Lídia Maria Nazaré Alves e coordenado pelo Msc. Alexandre H. C. Bittencourt. Objetivou-se a análise da construção da identidade das personagens: Kehinde, da obra “Um defeito de Cor” de Ana Maria Gonçalves e Rami, da obra “Niketche, uma história de poligamia” de Paulina Chiziane. Propôs-se identificar fatores e ideologias que influenciaram a formação de suas identidades. A pesquisa foi iluminada por teóricos que dissertaram sobre o tema em questão, tais como: Spivak (1994), Cândido (1999), Hall (2003), Fanon (2008), Alves (2009). Chegou-se a conclusão de que as personagens vivenciaram um processo de desconstrução-construção-reconstrução de suas identidades, no qual alguns fatores desenvolveram funções determinantes: a desconstrução da identidade primeira, a construção através da influência de culturas diversas com as quais as personagens conviveram devido às circunstâncias, assimilando o que lhes poderia ser úteis, para reconstruírem-se. Percebe-se que kehinde e Rami viveram processos de metamorfose e suas identidades mostram um misto de valores e ideologias, com marcas da identidade primeira.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.