DESPESA FINANCEIRA COMO SINALIZAÇÃO DE MERCADO: UMA ANÁLISE DAS EMPRESAS LISTADAS NA B3

Felipe Câmara Pinheiro Leal Gomes, Jhonatan Liberator Costa, Ricardo Farias de Medeiros, Renan Ferreira da Silva

Resumo


O objetivo deste estudo é verificar o impacto da despesa financeira no valor de mercado das empresas brasileiras listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão). Este estudo caracteriza-se como exploratório descritivo e quantitativo e se utiliza de dados das demonstrações contábeis extraídos através do software Economática do período de 2013 a 2016 de 266 empresas listadas. Para análise dos resultados, utilizou como ferramenta estatística regressão com dados em painel efeitos fixos o qual evidencia o impacto da despesa financeira ao longo do tempo no valor de mercado. Os resultados apontam que empresas que detém maior despesa financeira incorrem em um melhor valor de mercado. Deste modo, as empresas estariam sinalizando melhor qualidade e do outro lado os analistas precificando as empresas com tal qualidade. O teste de robustez, isolando apenas as empresas que possuem despesa financeira acima da mediana comprovam a hipótese de pesquisa, corroborando com o estudo. Conclui-se que as empresas tendem a possuir um valor de mercado melhor, a luz da teoria da sinalização exercida através do montante da despesa financeira.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOOMFIELD, Robert J. and WILKS, T. Jeffrey (2000) Disclosure Effects in the Laboratory: Liquidity, Depth, and the Cost of Capital. The Accounting Review: January 2000, Vol. 75, No. 1, pp. 13-41.

BOTOSAN, Christine A. Disclosure level and the cost of equity capital; Jul. 1997; 72, 3; ABI/INFORM Global pg. 323

BRUNI, Adriano L. Globalização Financeira, Eficiência Informacional e Custo de

Capital: Uma análise das emissões de ADRs brasileiros no período 1992-2001. Tese apresentada ao Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2002.

DIAMOND, Douglas W.; VERRECCHIA, Robert E. Disclosure, Liquidity, and the Cost of Capital. The Journal of Finance Cambridge. Vol. 46, Num. 4, p. 1325 – 1360. Sep 1991.

DYE, Ronald A. An Evaluation of “Essays on Disclosure” and the Disclosure Literature in Accounting.Journal of Accounting and Economics, n° 32, p. 181-135, 2001.

DYE, Ronald E. Disclosure of Nonproprietary Information. Journal of Accounting Research, Vol. 23, n° 1, p. 123-145, Spring 1985.

GREMAUD, Amaury Patrick; BRAGA, Márcio Bobik. Teoria dos jogos: uma introdução. In: Manual de economia[S.l: s.n.], 1998.

HAIL, Luzi. The impact of voluntary corporate disclosures on the ex-ante cost of capital for Swiss firms. The European Accounting Review. Vol 11, Num. 4, pág. 741-773. 2002.

LIMA, Gerlando A. S. F. de. Governança Corporativa e Hipótese de Mercados Eficientes: O Estudo do Anúncio da Emissão de American Depositary Receipts (ADRs) com a Utilização de Estudos de Evento. Dissertação apresentada ao Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.

MAS-COLELL, Andreu; WHINSTON, Michael D.; GREEN, Jerry R. Microeconomic Theory. New York: Oxford University Press, 1995.

NAKAMURA, Wilson T. et al. Estudo sobre os níveis de Disclosure adotados pelas empresas brasileiras e seu impacto no custo de capital. In: 30º ENANPAD. Anais...Salvador: Setembro, 2006.

MARTINEZ, Antonio L. SILVA, Renan F. AGRESSIVIDADE FISCAL E O CUSTO DE CAPITAL DE TERCEIROS NO BRASIL. No 1, Vitoria-ES, Brasil – Jan/2017.

PINDYCK, R. S. e RUBINFELD, D. L. Microeconomia. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.pp 464-465.

SPENCE, Michael ; Job market signaling. In: Uncertainty in Economics. 1978. P. 281-306.

SALOTTI, Bruno Meirelles; YAMAMOTO, Marina Mitiyo. Ensaio Sobre a Teoria da Divulgação, Brazilian Business Review, Vol. 2, No. 1Vitória-ES, Brasil – Jan / Jun 2005 pp. 53-70.

VERRECCHIA, Robert E. Discretionary Disclosure. Journal of Accounting and Economics, n° 5, p. 179-194, 1983.

VERRECCHIA, Robert E. Essays on Disclosure. Journal of Accounting and Economics, n° 32, p. 97-180, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.