A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS PARA UMA EDUCAÇÃO AUTÔNOMA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA FÍSICA NO ENSINO MÉDIO

Fernanda Franklin Seixas Arakaki, Anildo Dias Júnior, Andréia Almeida Mendes, João Pedro Schuab Stangari Silva, Rinara Coimbra de Morais, Rosana Maria de Moraes e Silva Antunes, Rosinete Cavalcante da Costa

Resumo


Trata-se de um relato de experiência desenvolvido durante a elaboração do Trabalho de conclusão de curso de licenciatura em Física da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que objetivou, através da utilização de metodologias ativas, despertar a autonomia de educandos em física no ensino médio, otimizando o processo de ensino-aprendizagem, além de desenvolver habilidades socioemocionais de criatividade, perseverança, trabalho em equipe dentre outras. Para tanto, utilizou-se como metodologias ativas, principalmente, os seguintes métodos: peer instruction (Instrução aos Pares); videoaulas; jogos (gincana); e experimentos de física. Salienta-se que todos os métodos foram escolhidos por serem práticos, viáveis, baratos, de forma que pudessem ser aplicados em sala de aula e utilizados dentro das ideias/preposições desenvolvidas por Kant (1999) para que o aluno conquistasse seu conhecimento. As metodologias foram aplicadas nas turmas do ensino médio (1°, 2° e 3° anos além do EJA) da Escola Estadual Professor José Venâncio em Manhumirim- MG. As reflexões e os resultados obtidos na aplicação das metodologias demonstraram que houve um maior interesse pela disciplina e o que permitiu maior amadurecimento e aperfeiçoamento na prática docente no ensino da física.

Texto completo:

PDF

Referências


CHAVES, Eduardo O C. Tecnologia e educação: o futuro da escola na sociedade da informação. 3. ed. Campinas: Mindware Editora, 2007.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

KANT, Immanuel. A fundamentação da metafísica dos costumes. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009.

______. Crítica da Razão Prática. Tradução de Artur Mourão. Lisboa: Edições 70, 1986.

______. Crítica da Razão Pura. Tradução de Lucimar A. Coghi Anselmi Fulvio Lubisco. São Paulo: Martin Claret, 2009.

______ Sobre a pedagogia. Trad. Francisco Cock Fontanella. 2. ed. Piracicaba: Editora Unimep, 1999.

LALANDE, André. Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia. 3. ed. São Paulo: Martins , 1999

MENDES, Andreia Almeida e ARAKAKI, Fernanda Franklin Seixas. Educação para a autonomia: uma análise do papel do aluno no ensino à distância. Anais do EDUCERE Disponível em:http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25114_13014.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro. Estágio e docência: diferentes concepções. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/viewFile/10542/7012. Acesso em: 25 out. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.